V Mundial de Andebol Feminino, 1973, Jugoslávia: único título das anfitriãs

ihf 9

As anfitriãs do Mundial de 1973 de Andebol Feminino, isto é, a Jugoslávia, conseguiram fazer o percurso completo, ou seja, sagraram-se campeãs mundiais pela única vez na historial, depois de terem perdido as finais de 1965 e 1971, nas duas edições anteriores. Chegaram a mais finais, porém, nunca mais ergueram o cetro mundial,  em 1990 e 2013. A Roménia, medalha de prata, falhou o título que seria o seu segundo, desiderato que nunca festejaria, ficou-se pelo de 1962 e teve perto em 2005, mas as russas foram mais fortes. A União Soviética obteve o bronze, único do seu palmarés. Estava a preparar a equipa que dominaria o andebol feminino nos anos 1980.  A Hungria, campeã em 1965, também o seu troféu solitário, atingiu o quarto lugar, não mais repetiria esta classificação. A Jugoslávia não teve uma caminhada fácil, chegando mesmo a perder um jogo na segunda fase de grupos, mesmo assim apurou-se para a final. Aí bateu a Roménia por 16-11 e fez a festa!

 

 

 

 

 

1973- Jugoslávia: Jugoslávia

   
   
         
       
         
    1ªfase (Grupo D) Holanda 20-4
      Dinamarca 11-10
    2ªfase (Grupo II) [Dinamarca 11-10] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Polónia 8-9
      URSS 7-5
    FINAL Roménia 16-11
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

Anúncios

XXIII Europeu de Voleibol Feminino, 2003, Turquia: primeiro para a Polónia

cev 9

 

Está a decorrer o Europeu de Voleibol Feminino de 2019. Portugal participa pela primeira vez. Tentará o difícil apuramento para os oitavos. Tem outra novidade, conta com 24 seleções.  Uma das nações favoritas ao título é a Polónia. Em 2003, na Turquia, obteve o seu primeiro título, depois de quatro segundos, quatro terceiros e até um quarto lugar. O seu jogo mais fácil foi o da final. A Turquia acusou a pressão e foi batida em três sets e em nenhum deles sequer chegou aos 20 pontos. As polacas, nos seis jogos anteriores, não tinham vencido nenhum em só 3 partidas, na final, não deram hipóteses. Para as turcas foi a sua primeira medalha. O melhor que tinha feito até então era um nono lugar em 1995 e esta era apenas a sua sexta presença neste certame. Desde 2003, não falharam qualquer edição do Europeu, embora, ainda não tenham repetido este segundo lugar.  12 anos depois a Alemanha chegava ao bronze, seria preciso mais uma década para melhorar isto. Para a Holanda foi o único quarto lugar da sua história.

 

 

 

 

2003- Turquia: Polónia

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 2) Holanda 3-2 (25-22,25-19,32-34,23-25,15-5)
      Ucrânia 3-1 (25-19,23-25,25-19,25-23)
      Bulgária 3-2 (25-17,25-22,22-25,20-25,15-12)
      Itália 1-3 (25-20,22-25,20-25,22-25)
      República Checa 3-1 (25-19,23-25,25-22,25-16)
    Meias-finais Alemanha 3-2 (25-23,20-25,22-25,25-22,15-9)
    FINAL Turquia 3-0 (25-17,25-14,25-17)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

1971-72 J V E D GOLOS P

XXII Europeu de Basquetebol Feminino, 1989, Bulgária: mais um para a União Soviética

 

 

 

1989- Bulgária: União Soviética

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Checoslováquia 78-75
      Itália 79-48
      Holanda 59-56
    Meias-finais Bulgária 90-71
    FINAL Checoslováquia 64-61
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

Apesar de haver jogos com a União Soviética mais renhidos, os outros países já não eram atropelados quando jogavam com as russas, esta voltou a ser campeã.  Continuava a ganhar consecutivamente desde o título 1958 que fugiu para a Bulgária. Mas, já se reparava que esta hegemonia estava cada vez mais ameaçada. A Checoslováquia foi vice-campeã pela sétima vez e última, pois esta país ia ser dividido em dois no início da década de 90. Nunca foi campeã, apesar de vários lugares no pódio. A Bulgária também foi o quarto e último bronze da sua história. A Jugoslávia ficou num honroso quarto lugar pela quarta ocasião.

 

fpb 5

IV Mundial de Andebol Feminino, 1971, Holanda: RDA festeja

 

ihf 6

 

 

 

 

 

1971-Holanda: RDA

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo C) Holanda 15-8
      Hungria 9-8
    2ªfase (Grupo I) Roménia 12-10
      Dinamarca 12-7
    FINAL Jugoslávia 11-8
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar

 

O Mundial de 1971 de Andebol Feminino ocorreu na Holanda seis anos após o último, o que é um bocado estranho! As campeãs: a Alemanha Oriental, isto é, a RDA, ou seja, a Alemanha aliada à União Soviética com um regime ditatorial.  Quarta edição, quarto vencedor diferente. Uma prova curta para o que era normal em outras modalidades, decidida em duas fases de grupo cada uma com três seleções e os vencedores de cada um, da segunda fase de grupos defrontavam-se na final. Foi assim o caminho da RDA que venceu os jogos todos. Curiosamente, o mais renhido foi na primeira fase de grupos com uma vitória por 9-8 diante da Hungria. Na final, 11-8 contra a Jugoslávia dando às alemãs o seu primeiro título. As jugoslavas perderam a sua segunda final consecutiva. A Hungria campeã em título ficou com o bronze pela primeira vez, não seria o último. Em quarto lugar a Roménia. Uma classificação que seria um espécie de sina para esta nação, pois é de longe a que mais vezes ficou com este lugar na história deste evento.

XXI Europeu de Basquetebol, 1979, Itália: mais um para os soviéticos

fiba 14

 

Depois do tri jugoslavo, nas últimas três edições, a União Soviética recuperou o título. Cedeu apenas uma derrota na primeira fase de grupos diante da Espanha. De resto, venceu todos os jogos. Com maior ou menor dificuldade os russos chegaram à final contra a surpreendente Israel. Na final uma vitória concludente por 98-76 chegou para mais um troféu. Israel ficou em segundo lugar, melhor classificação de sempre e única vez que ficou nos quatro primeiros. Os melhores resultados a seguir a isto são dois quinto lugares em 1953 e 1977.  A Jugoslávia mesmo assim não saiu de mãos a abanar pois conquistou o bronze. A Itália, país anfitrião fixou-se no quarto lugar, um lugar respeitável.

 

 

 

 

 

 

1979-Itália: União Soviética

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo B) Holanda 92-84
      Bulgária 104-71
      Espanha 90-101
    Fase Final [Espanha 90-101] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Jugoslávia 96-77
      Checoslováquia 71-66
      Israel 92-71
      Itália 90-84
    FINAL Israel 98-76
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

XXI Europeu de Voleibol Feminino 1999 Itália: título para as russas

cev 2

O Europeu de voleibol feminino disputou-se em 1999 na Itália. Ficou marcado por um aspeto peculiar. A Croácia perdeu a terceira final seguida e todas sem ganhar um set. Acusaram sempre a pressão da importância de um jogo desse calibre. Para a Rússia foi ótimo pois assim revalidou o título novamente diante das croatas. Uma prova onde esta nação em cinco jogos só cedeu um set frente à Itália na primeira fase. Uma vitória concludente da seleção com mais palmarés neste evento. A Itália conseguiu o bronze repetindo o alcançado em 1989, à altura era a melhor classificação de sempre. A Alemanha ficou um quarto, uma posição respeitável para quem tinha acabado de se unificar.

 

 

 

 

 

1999-Itália: Rússia

   
   
       
       
       
  1ªfase (Grupo A) Holanda 3-0 (26-24,25-11,25-20)
    Roménia 3-0 (25-17,25-18,25-20)
    Itália 3-1 (22-25,25-21,27-25,25-19)
  Meias-finais Alemanha 3-0 (25-14,25-9,25-16)
  FINAL Croácia 3-0 (25-18,25-19,25-12)
       
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

II Mundial de Voleibol Feminino, 1956, França: bis para a União Soviética

fivb4

A França albergou esta segunda edição do Mundial de Voleibol feminino em 1956. A União Soviética fez o bis depois de ter conquistado o primeiro em 1952. A Roménia conquistou a medalha de prata sua melhor classificação de sempre neste evento. A Polónia conquistou o bronze. Quanto à URSS venceu todos os jogos, o mais difícil foi contra a Roménia, com uma recuperação depois de ter perdido os dois primeiros sets. Esta vitória fez toda a diferença pois se o triunfo tivesse pendido para as romenas, seriam estas as campeãs. Como as russas prevaleceram conquistaram assim o seu segundo título mundial. Um formato de apuramento de campeão que seguiu o mesmo da outra edição: uma primeira fase de grupos, onde, após esta se encontravam num grupo final de dez seleções onde quem triunfasse mais era campeão. Apesar desse jogo renhido com a Roménia, a União Soviética ganhou todos os outros jogos, festejando assim o seu segundo troféu neste evento.

 

1956-França: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Luxemburgo 3-0 (15-1,15-2,15-0)
      EUA 3-0 (15-7,15-4,15-6)
      Israel 3-0 (15-2,15-2,15-0)
    Fase Final [EUA 3-0 (15-7,15-4,15-6)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      China 3-0 (15-8,15-0,15-9)
      Coreia do Norte 3-0 (15-6,15-6,15-7)
      Roménia 3-2 (12-15,11-15,15-6,15-2,15-8)
      Holanda 3-0 (15-2,15-7,15-12)
      RDA 3-0 (15-1,15-2,15-3)
      Bulgária 3-0 (15-12,15-7,15-12)
      Polónia 3-1 (15-4,9-15,15-6,

15-6)

      Checoslováquia 3-0 (15-13,15-8,15-5)
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

XX Europeu de Voleibol Feminino, 1997, República Checa: vitória da Rússia

cev 2

 

Apesar do fim da URSS, a Rússia continuava a dominar o panorama europeu de voleibol feminino. Depois, do título da Holanda em 1995, parece que tudo regressava ao que era normal na altura: Rússia campeã da Europa. Um torneio realizado na República Checa onde as anfitriãs surpreenderam e chegaram às meias-finais. Quanto às russas, nada a dizer, venceram os jogos todos, só cederam dois sets ao longo do torneio e na final uma vitória concludente diante da Croácia. As croatas voltavam à final pela segunda vez consecutiva e o resultado o mesmo, derrota por três sets a zero, repetindo o desfecho de 1995, aí contra a Holanda. Uma medalha de prata, mas nunca passaram disto iriam perder outro jogo decisivo. A Rússia continuava a dominar, uma hegemonia que se iria prolongar no tempo.

1997: República Checa: Rússia
   
 
 
  1ªfase (Grupo 1) Bielorrússia 3-1 (15-11,15-3,9-15,15-4)
  Holanda 3-0 (15-11,15-5,15-5)
  Letónia 3-0 (15-2,15-5,15-8)
  Bulgária 3-0 (15-0,15-0,15-0)
  Polónia 3-1 (15-6,15-13,3-15,15-7)
  Meias-finais República Checa 3-0 (15-4,15-2,15-1)
  FINAL Croácia 3-0 (15-7,15-12,15-9)
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

XX Europeu de Voleibol, 1997, Holanda: título para a Holanda

Finalmente! Após ter estado, desde o final da década de 80, tantas vezes perto de conquistar este troféu, a Holanda, em casa, sagrou-se campeã europeia de voleibol. Em 1996, já tinham chegado ao ouro olímpico, finalmente acrescentaram este troféu ao seu palmarés. Era a geração de ouro do voleibol masculino da Holanda. Nem antes, nem depois desta década de 90, tiveram outra que sequer se comparasse. Continuam a qualificar-se para torneios deste cariz, mas muito longe de alcançarem fases decisivas. Este ainda é algo que não foi repetido pela Holanda, o seu único título europeu. Custou muito! Mas conseguiram. Só faltou o Mundial, onde em 1994 atingiram a final, mas perderam com a sua besta negra a Itália. Durante este torneio, não teve adversário à altura, só cedeu um set, na final com a Jugoslávia. E a vitória nas meias-finais diante da Itália deve ter sabido bem, tantas desilusões que tiveram contra este antagonista. A Holanda em 1997 foi campeã europeia, espera-se por outra geração que volte a por esta nação na luta por títulos.

cev 1

1997: Holanda: Holanda
   
 
 
  1ªfase (Grupo 2) Finlândia 3-0 (15-3,15-7,15-2)
  Ucrânia 3-0 (15-6,15-10,15-1)
  República Checa 3-0 (15-7,15-2,15-6)
  França 3-0 (16-14,15-6,15-5)
  Bulgária 3-0 (15-3,15-9,15-11)
  Meias-finais Itália 3-0 (15-9,15-6,15-13)
  FINAL Jugoslávia 3-1 (15-11,10-15,15-10,15-9)
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑