João Sousa vence o Estoril Open 2018

atp 2

 

Nasci em 1981. Comecei a acompanhar o desporto com mais atenção em 1989. Nem sequer existia um torneio de ténis ATP em Portugal nessa altura. O primeiro foi em 1990. O agora chamado Estoril Open. Na altura e durante toda a década de 90 parecia quase utópico um português conquistar esta prova.  Nuno Marques e João Cunha e Silva chegaram aos quartos, mas daí não passaram. Ou seja, era um sonho ver um lusitano erguer o troféu.

Na primeira década do século XXI apareceu um português que conseguiu atingir um top 60 na tabela do ATP. Esse indivíduo era Frederico Gil. Tal como os outros dois citados no parágrafo anterior, também chegou aos quartos. Até que em 2010 chegou onde nenhum lusitano tinha obtido em toda a história do ATP, isto é, à final de um torneio deste calibre. Foi o pioneiro neste sentido. E para tudo ser melhor, foi no Estoril Open. O que era quase utópico estava a um pequeno passo de ser conseguido. Num jogo muito renhido, onde Gil desperdiçou dois breaks à maior no terceiro set, ditou a vitória do espanhol Montanes e o sonho ficou muito mais longe. Parecia um oportunidade irrepetível! Tão perto e tão longe!

Em 2013 o país acordou para uma nova realidade. Na Malásia, um tenista chamado João Sousa venceu um torneio ATP. Três anos depois da derrota de Gil, este alcançou o que ninguém tenha feito anteriormente. Em 2015, novo torneio ATP, em Espanha. Todos em hardcourts. Parecia que finalmente tínhamos alguém capaz de tornar o sonho em realidade! Até porque, em 2012, ainda no início da carreira tinha chegado aos quartos deste evento. Só que, talvez por não lidar bem com pressão, nunca mais chegou sequer a essa fase.

Isto tudo até 2018. Um jogo equilibradíssimo na primeira eliminatória durante um ucraniano, com vitória por 7-6 e 7-5. Os oitavos diante de Pedro Sousa, também não foram menos com um triunfo saldado em três sets muito iguais. Nos quartos, mais três sets frente a Edmund, sendo que no último o britânico implodiu, perdendo por 6-0. Já estava nas meias, talvez fosse desta. E nas meias, contra uma estrela emergente do ténis atual, um tenista grego, a vitória no tie-break do terceiro set, colocou João Sousa na final. Era uma oportunidade a não desperdiçar. Curiosamente, o encontro mais fácil para o jogador português foi a final, saldada numa vitória por duplo 6-4, frente ao também promissor Tiafoe. O quase utópico transformou-se numa realidade muito saborosa! Finalmente, após 29 anos, 29 edições, um lusitano chamado João Sousa fez a festa!

 

2018: Estoril Open: João Sousa
   
 
 
  1ªeliminatória Daniil Medvedev 7-6/7-5
  Oitavos-de-final Pedro Sousa 4-6/7-6/7-5
  Quartos-de-final Kyle Edmund 6-3/1-6/6-0
  Meias-finais Stefanos Tsitsipas 6-4/1-6/7-6
  FINAL Frances Tiafoe 6-4/6-4
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

 

 

Fed Cup (1988-2010)

Depois de um período dominado pela Austrália e os EUA, este teria picos de domínio, isto é, várias selecções dominaram a competição durante um curto espaço de tempo: a Espanha com cinco vitórias entre 1991-98, a Rússia com quatro entre 2004 e 2008, a Itália com três entre 2006 e 2010, os EUA com cinco entre 1989 e 2000, sendo que a conquista de 2000 foi a última das tenistas norte-americanas, contudo continuam a ser o país com mais triunfos nesta prova.

ANO FINAL RESULTADO
1988 Checoslováquia-URSS 2-1
1989 EUA-Espanha 3-0
1990 EUA-URSS 2-1
1991 Espanha-EUA 2-1
1992 Alemanha-Espanha 2-1
1993 Espanha-Austrália 3-0
1994 Espanha-EUA 3-0
1995 Espanha-EUA 3-2
1996 EUA-Espanha 5-0
1997 França-Holanda 4-1
1998 Espanha-Suíça 3-2
1999 EUA-Rússia 4-1
2000 EUA-Espanha 5-0
2001 Bélgica-Rússia 2-1
2002 Eslováquia-Espanha 3-1
2003 França-EUA 4-1
2004 Rússia-França 3-2
2005 Rússia-França 3-2
2006 Itália-Bélgica 3-2
2007 Rússia-Itália 4-0
2008 Rússia-Espanha 4-0
2009 Itália-EUA 4-0
2010 Itália-EUA 3-1

Fed Cup (1963-1987), o domínio americano e as vitórias australianas

Ao contrário da Taça Davis, que se começou a disputar-se no início do século XX, a competição correspondente por países na vertente feminina teve o seu berço na década de 60, mais concretamente em 1963. Com uma diferença que se manteve durante várias décadas: em vez de ser à maior de cinco como na Taça Davis, era à maior de três, isto é, quem ganhasse dois encontros conquistava a taça, no sector masculino era quem triunfasse em três.

Isto é uma competição por selecções, onde as jogadoras vão defender o seu país. Neste primeiro hiato temporal, houve dois países dominantes os EUA e Austrália com uma curiosidade, é verdade que as australianas conquistaram sete troféus, no entanto, desde aí não mais a venceram e, actualmente, não se vislumbra que outra vitória possa surgir para o seu lado.

ANO FINAL RESULTADO
1963 EUA-Austrália 2-1
1964 Austrália-EUA 2-1
1965 Austrália-EUA 2-1
1966 EUA-RFA 3-0
1967 EUA-Grã-Bretanha 2-0
1968 Austrália-Holanda 3-0
1969 EUA-Austrália 2-1
1970 Austrália-RFA 3-0
1971 Austrália-Grã-Bretanha 3-0
1972 África do Sul-Grã-Bretanha 2-1
1973 Austrália-África do Sul 3-0
1974 Austrália-EUA 2-1
1975 Checoslováquia-Austrália 3-0
1976 EUA-Austrália 2-1
1977 EUA-Austrália 2-1
1978 EUA-Austrália 2-1
1979 EUA-Austrália 3-0
1980 EUA-Austrália 3-0
1981 EUA-Grã-Bretanha 3-0
1982 EUA-RFA 3-0
1983 Checoslováquia-RFA 2-1
1984 Checoslováquia-Austrália 2-1
1985 Checoslováquia-EUA 2-1
1986 EUA-Checoslováquia 3-0
1987 RFA-EUA 2-1

Lendl, Sampras e Federer (Open EUA)

Nos últimos 30 anos destacam-se três nomes no Open dos EUA: Ivan Lendl, Pete Sampras e Roger Federer. Todos eles com registos significativos. Primeiro falemos de Lendl, venceu todos os grand slams excepto Wimbledon e foi tri-campeão neste, ganhando consecutivamente. Mais que o tri, salienta-se as oito finais consecutivas deste tenista, entre 1982 e 1989, só  a sua eficácia o traíra, pois venceu três e perdeu cinco finais.

Logo a seguir a este registo, na década de 90, Pete Sampras começou o seu pecúlio de triunfos e finais neste torneio. Também, atingiu oito finais entre 1990 e 2002, não consecutivas, venceu em cinco ocasiões, tornando-se no primeiro tenista a vencer cinco vezes este torneio desde Jimmy Connors. Perdeu por três vezes e venceu cinco.

O outro grande campeão foi Federer que venceu por cinco vezes consecutivas, feito que não era alcançado desde Bill Tilden nos anos 20. Atingiu também uma sexta final de enfiada, no entanto, perdendo-a  para Del Potro. Como ainda não terminou a sua carreira, veremos se ele se torna o primeiro tenista desde Bill Tilden a vencer por seis vezes este torneio. Conseguirá ou não?

ANO FINAL RESULTADO
1981 John McEnroe (EUA)-Björn Borg (Suécia) 4-6/6-2/6-4/6-3
1982 Jimmy Connors (EUA)-Ivan Lendl (Checoslováquia) 6-3/6-2/4-6/6-4
1983 Jimmy Connors (EUA)-Ivan Lendl (Checoslováquia) 6-3/6-7/7-5/6-0
1984 John McEnroe (EUA)-Ivan Lendl (Checoslováquia) 6-3/6-4/6-1
1985 Ivan Lendl (Checoslováquia)-John McEnroe (EUA) 7-6/6-3/6-4
1986 Ivan Lendl (Checoslováquia)-Miloslav Mecir (Checoslováquia) 6-4/6-2/6-0
1987 Ivan Lendl (Checoslováquia)-Mats Wilander (Suécia) 6-7/6-0/7-6/6-4
1988 Mats Wilander (Suécia)-Ivan Lendl (Checoslováquia) 6-4/4-6/6-3/5-7/6-4
1989 Boris Becker (RFA)-Ivan Lendl (Checoslováquia) 7-6/1-6/6-3/7-6
1990 Pete Sampras (EUA)-Andre Agassi (EUA) 6-4/6-3/6-2
1991 Stefan Edberg (Suécia)-Jim Courier (EUA) 6-2/6-4/6-0
1992 Stefan Edberg (Suécia)-Pete Sampras (EUA) 3-6/6-4/7-6/6-2
1993 Pete Sampras (EUA)-Cedric Pioline (França) 6-4/6-4/6-3
1994 Andre Agassi (EUA)-Michael Stich (Alemanha) 6-1/7-6/7-5
1995 Pete Sampras (EUA)-Andre Agassi (EUA) 6-4/6-3/4-6/7-5
1996 Pete Sampras (EUA)-Michael Chang (EUA) 6-1/6-4/7-6
1997 Patrick Rafter (Austrália)-Greg Rusedski (Grã-Bretanha) 6-3/6-2/4-6/7-5
1998 Patrick Rafter (Austrália)-Mark Philippoussis (Austrália) 6-3/3-6/6-2/6-0
1999 Andre Agassi (EUA)-Todd Martin (EUA) 6-4/6-7/6-7/6-3/6-2
2000 Marat Safin (Rússia)-Pete Sampras (EUA) 6-4/6-3/6-3
2001 Lleyton Hewitt (Austrália)-Pete Sampras (EUA) 7-6/6-1/6-1
2002 Pete Sampras (EUA)-Andre Agassi (EUA) 6-3/6-4/5-7/6-4
2003 Andy Roddick (EUA)-Juan Carlos Ferrero (Espanha) 6-3/7-6/6-3
2004 Roger Federer (Suíça)-Lleyton Hewitt (Austrália) 6-0/7-6/6-0
2005 Roger Federer (Suíça)-Andre Agassi (EUA) 6-3/2-6/7-6/6-1
2006 Roger Federer (Suíça)-Andy Roddick (EUA) 6-2/4-6/7-5/6-1
2007 Roger Federer (Suíça)-Novak Djokovic (Sérvia) 7-6/7-6/6-4
2008 Roger Federer (Suíça)-Andy Murray (Grã-Bretanha) 6-2/7-5/6-2
2009 Juan Martín Del Potro (Argentina)-Roger Federer (Suíça) 3-6/7-6/4-6/7-6/6-2
2010 Rafael Nadal (Espanha)-Novak Djokovic (Sérvia) 6-4/5-7/6-4/6-2

Fantásticos australianos (Open EUA-Laver, Emerson e Rosewall; Connors)

Se nos anos 20 a França teve a sua geração de ouro no ténis, nos anos 50 e 60 foi a vez da Austrália ter esse desígnio. Jogadores como Rod Laver, Roy Emerson, Fred Stolle, Ken Rosewall, Neale Fraser, Ashley Cooper, Malcolm Anderson, John Newcombe, todos estes venceram este torneio pelo menos uma vez neste período de tempo analisado, todos os triunfos obtidos entre 1956 e 1973, isto é, oito tenistas australianos venceram este torneio entre 1956 e 1973, o que não deixa de ser um reflexo do poderio australiano nessa altura. Ao que juntaram inúmeras vitórias na Taça Davis, numa altura em que os triunfos nessa competição se resumiam a dois países: Austrália e EUA.

A vitória de Manuel Santana também teve o seu sabor inesperado porque tornou-se o primeiro espanhol a aqui triunfar, feito igualado em 1975 por Manuel Orantes e só depois por Rafael Nadal em 2010.

Depois deste domínio australiano, entre 1956 e 1973, o torneio voltou à sua normalidade, ou seja, vitórias de tenistas da casa, isto é, norte-americanos. Após um espaço temporal onde raramente sentiram o sabor da glória, as vitórias de McEnroe e Connors voltaram a repôr o tinha sido normal até ao domínio australiano: vitórias de tenistas da casa. Embora, o último date de 2003, por Andy Roddick, será que a normalidade será reposta nos próximos anos ou acontecerá o mesmo dos outros torneios do grand slam onde raramente os tenistas da casa ganham?

ANO FINAL RESULTADO
1956 Ken Rosewall (Austrália)-Lew Hoad (Austrália) 4-6/6-2/6-3/6-3
1957 Malcolm J. Anderson (Austrália)-Ashley J. Cooper (Austrália) 10-8/7-5/6-4
1958 Ashley J. Cooper (Austrália)-Malcolm J. Anderson (Austrália) 6-2/3-6/4-6/10-8/8-6
1959 Neale Fraser (Austrália)-Alex Olmedo (EUA) 6-3/5-7/6-2/6-4
1960 Neale Fraser (Austrália)-Rod Laver (Austrália) 6-4/6-4/9-7
1961 Roy Emerson (Austrália)-Rod Laver (Austrália) 7-5/6-3/6-2
1962 Rod Laver (Austrália)-Roy Emerson (Austrália) 6-2/6-4/5-7/6-4
1963 Rafael Osuna (México)-Frank Froehling, III (EUA) 7-5/6-4/6-2
1964 Roy Emerson (Austrália)-Fred Stolle (Austrália) 6-4/6-2/6-4
1965 Manuel Santana (Espanha)-Cliff Drysdale (África do Sul) 6-2/7-9/7-5/6-1
1966 Fred Stolle  (Austrália)-John Newcombe (Austrália) 4-6/12-10/6-3/6-4
1967 John Newcombe (Austrália)-Clark Graebner (EUA) 6-4/6-4/8-6
1968 Arthur Ashe (EUA)-Tom Okker (Holanda) 14-12/5-7/6-3/3-6/6-3
1969 Rod Laver (Austrália)-Tony Roche (Austrália) 7-9/6-1/6-2/6-2
1970 Ken Rosewall (Austrália)-Tony Roche (Austrália) 2-6/6-4/7-6/6-3
1971 Stan Smith (EUA)-Jan Kodes (Checoslováquia) 3-6/6-3/6-2/7-6
1972 Ilie Nastase (Roménia)-Arthur Ashe (EUA) 3-6/6-3/6-7/6-4/6-3
1973 John Newcombe (Austrália)-Jan Kodes (Checoslováquia) 6-4/1-6/4-6/6-2/6-2
1974 Jimmy Connors (EUA)-Ken Rosewall (Austrália) 6-1/6-0/6-1
1975 Manuel Orantes (Espanha)-Jimmy Connors (EUA) 6-4/6-3/6-3
1976 Jimmy Connors (EUA)-Björn Borg (Suécia) 6-4/3-6/7-6/6-4
1977 Guillermo Vilas (Argentina)-Jimmy Connors (EUA) 2-6/6-3/7-5/6-0
1978 Jimmy Connors (EUA)-Björn Borg (Suécia) 6-4/6-2/6-2
1979 John McEnroe (EUA)-Vitas Gerulaitis (EUA) 7-5/6-3/6-3
1980 John McEnroe (EUA)-Björn Borg (Suécia) 7-6/6-1/6-7/5-7/6-4

 

Diversos campeões (Open EUA, Budge, Perry, Kramer)

Ao contrário dos períodos analisados anteriormente, neste não houve nenhum super-campeão, isto é, um tenista que ganhasse quatro, cinco ou mais vezes. Quem mais triunfou foi o britânico Fred Perry (até hoje o único desse país a aqui vencer), por três ocasiões. Sendo que Fred Perry, além de ser o último inglês a vencer um Grand Slam, foi, no entanto, o primeiro a vencer pelo menos uma vez cada um dos quatro torneios dessa categoria. Feit0 igual, ao vencer também um de cada, mas, mais especial, porque foi feito no mesmo ano, ou seja, Don Budge, juntou, em 1938, o título do Open dos EUA ao Roland Garros, Wimbledon e Open da Austrália, sendo o primeiro a vencer os quatro no mesmo ano. Façanha igualada apenas por Rod Laver em 1962 e 1969.

De resto, vários tenistas com dois títulos: Ellsworth Vines, Bobby Riggs, Frank Parker, Jack Kramer, Pancho Gonzales, Frank Sedgman (primeiro australiano a aqui vencer) e Tony Trabert. Este foram os que conseguiram o bis, isto é, dois triunfos. Como eu disse no início, nenhum foi um super-campeão, sendo este hiato temporal o que produziu mais campeões, até agora.

ANO FINAL RESULTADO
1931 Ellsworth Vines (EUA)-George M. Lott, Jr. (EUA) 7-9/6-3/9-7/7-5
1932 Ellsworth Vines (EUA)-Henri Cochet (França) 6-4/6-4/6-4
1933 Fred Perry (Grã-Bretanha)-Jack Crawford (Austrália) 6-3/11-13/4-6/6-0/6-1
1934 Fred Perry (Grã-Bretanha)  -Wilmer L. Allison (EUA) 6-4/6-3/1-6/8-6
1935 Wilmer L. Allison  (EUA)-Sidney B. Wood (EUA) 6-2/6-2/6-3
1936 Fred Perry (Grã-Bretanha)  -Don Budge (EUA) 2-6/6-2/8-6/1-6/10-8
1937 Don Budge (EUA)-Gottfried von Cramm (Alemanha) 6-1/7-9/6-1/3-6/6-1
1938 Don Budge (EUA)-C. Gene Mako (EUA) 6-3/6-8/6-2/6-1
1939 Bobby Riggs (EUA)-S. Welby van Horn (EUA) 6-4/6-2/6-4
1940 Donald McNeill (EUA)-Bobby Riggs (EUA) 4-6/6-8/6-3/6-3/7-5
1941 Bobby Riggs (EUA)-Francis Kovacs (EUA) 5-7/6-1/6-3/6-3
1942 Fred Schroeder, Jr. (EUA)  -Frank Parker (EUA) 8-6/7-5/3-6/4-6/6-2
1943 Ten. Joseph R. Hunt (EUA)-Seaman Jack Kramer (EUA) 6-3/6-8/10-8/6-0
1944 Sarg. Frank Parker (EUA)-William F. Talbert (EUA) 6-4/3-6/6-3/6-3
1945 Sarg. Frank Parker (EUA)-William F. Talbert (EUA) 14-12/6-1/6-2
1946 Jack Kramer (EUA)-Tom Brown, Jr. (EUA) 9-7/6-3/6-0
1947 Jack Kramer (EUA)-Frank Parker (EUA) 4-6/2-6/6-1/6-0/6-3
1948 Pancho Gonzales (EUA)-Eric W. Sturgess (África do Sul) 6-2/6-3/14-12
1949 Pancho Gonzales (EUA)-Ted Schroeder (EUA) 16-18/2-6/6-1/6-2/6-4
1950 Arthur Larsen (EUA)-Herbert Flam (EUA) 6-3/4-6/5-7/6-4/6-3
1951 Frank Sedgman (Austrália)-Vic Seixas (EUA) 6-4/6-1/6-1
1952 Frank Sedgman (Austrália)-Gardnar Mulloy (EUA) 6-1/6-2/6-3
1953 Tony Trabert (EUA)-Vic Seixas (EUA) 6-3/6-2/6-3
1954 Vic Seixas (EUA)-Rex Hartwig (Austrália) 3-6/6-2/6-4/6-4
1955 Tony Trabert (EUA)-Ken Rosewall (Austrália) 9-7/6-3/6-3

Novos super vencedores e primeiras vitórias forasteiras (Open EUA, Lacoste, Tilden, Larned)

Já abordado no período anterior exposto, Bill Tilden venceu por seis vezes consecutivas este torneio, competindo em oito finais seguidas, triunfando nas últimas seis. Viria a vencer mais uma em 1929, igualando o número de triunfos de Richard Sears sete, embora os deste tenham sido consecutivos. Assim, foi o terceiro (e último) tenista masculino a alcançar o sabor da vitória por sete ocasiões. Mais nenhum a seguir a ele conseguiu tal desiderato. Federer conta com cinco vitórias neste torneio, talvez ele consiga ou não tal feito.

Entre Richard Sears e Bill Tilden houve um outro que ganhou por sete vezes. Enquanto Sears venceu por sete vezes seguidas, Bill Tilden por seis, William Larned venceu por cinco consecutivas, juntando a duas vitórias precedentes, prefazendo o recorde de sete triunfos. Além destes, só Roger Federer conseguiu cinco vitórias consecutivas, no início do século XXI entre 2004 e 2008, mais de oitenta anos  depois do último com tal registo. Será que alguém igualará tal desiderato nas próximas décadas?

Neste hiato temporal, aconteceram as primeiras vitórias de tenistas estrangeiros no Open dos EUA. Nos anos 20, a geração de ouro do ténis francês alargou os seus triunfos ao Open dos EUA, conseguindo mesmo o feito da primeira final sem tenistas nativos dos EUA, nomeadamente a final entre René Lacoste e Jean Borotra em 1926. Três triunfos entre 1926 e 1928, dois de Lacoste e um de Henri Cochet. Mais nenhum francês aqui venceria e poucos venceram torneios do Grand Slam depois desta geração de ouro do ténis francês. Esta geração não só venceu torneios do Grand Slam, como também, seis taças Davis consecutivas, só em 1991, quase 60 anos depois, é que a França voltaria a vencer uma.

ANO FINAL RESULTADO
1906 William Clothier  (EUA)-Beals C. Wright (EUA) 6-3/6-0/6-4
1907 William A. Larned (EUA)-Robert LeRoy (EUA) 6-2/6-2/6-4
1908 William A. Larned (EUA)   -Beals C. Wright (EUA) 6-1/6-2/8-6
1909 William A. Larned (EUA)   -William J. Clothier (EUA) 6-1/6-2/5-7/1-6/6-1
1910 William A. Larned (EUA)-Thomas C. Bundy (EUA) 6-1/5-7/6-0/6-8/6-1
1911 William A. Larned (EUA)-Maurice E. McLoughlin (EUA) 6-4/6-4/6-2
1912 Maurice E. McLoughlin (EUA)-Wallace F. Johnson (EUA) 3-6/2-6/6-2/6-4/6-2
1913 Maurice E. McLoughlin (EUA)-Richard N. Williams (EUA) 6-4/5-7/6-3/6-1
1914 Richard N. Williams (EUA)-Maurice E. McLoughlin (EUA) 6-3/8-6/10-8
1915 William M. Johnston (EUA)-Maurice E. McLoughlin (EUA) 1-6/6-0/7-5/10-8
1916 Richard N. Williams (EUA)-William M. Johnston (EUA) 4-6/6-4/0-6/6-2/6-4
1917 R. Lindley Murray (EUA)-Nathaniel W. Niles (EUA) 5-7/8-6/6-3/6-3
1918 R. Lindley Murray (EUA)-Bill Tilden (EUA) 6-3/6-1/7-5
1919 William M. Johnston (EUA)-Bill Tilden (EUA) 6-4/6-4/6-3
1920 Bill Tilden (EUA)-William M. Johnston (EUA) 6-1/1-6/7-5/5-7/6-3
1921 Bill Tilden (EUA)-William M. Johnston (EUA) 6-1/6-3/6-1
1922 Bill Tilden (EUA)-William M. Johnston (EUA) 4-6/3-6/6-2/6-3/6-4
1923 Bill Tilden (EUA)-William M. Johnston (EUA) 6-4/6-1/6-4
1924 Bill Tilden (EUA)-William M. Johnston (EUA) 6-1/9-7/6-2
1925 Bill Tilden (EUA)-William M. Johnston (EUA) 4-6/11-9/6-3/4-6/6-3
1926 René Lacoste (França)-Jean Borotra (França) 6-4/6-0/6-4
1927 René Lacoste (França)-Bill Tilden (EUA) 11-9/6-3/11-9
1928 Henri Cochet (França)-Francis T. Hunter (EUA) 4-6/6-4/3-6/7-5/6-3
1929 Bill Tilden (EUA)-Francis T. Hunter (EUA) 3-6/6-3/4-6/6-2/6-4
1930 John H. Doeg (EUA)-Francis X. Shields (EUA) 10-8/1-6/6-4/1-6/6-4

 

Primeiros campeões (Open EUA: Sears, Campbell)

Nos primórdos do Open dos EUA, apenas americanos venceram este torneio, ou seja, neste período de tempo, os primeiros 25 anos, apenas tenistas dos EUA venceram este torneio. O primeiro fez história: não só ainda é actualmente o tenista com mais vitórias neste torneio, sete, como as venceu consecutivamente, uma marca dificilmente igualável. Quem esteve perto disso, foi Lendl que disputou oito finais seguidas na década de 80, mas só triunfou em três. Também, Federer, no início do século XXI, foi a seis finais consecutivas, vencendo cinco. Igualado com sete triunfos, estão Bill Tilden e William A. Larned, já vencedor de duas neste período, mas não foram consecutivas, embora Tilden tenha ganho seis consecutivas e disputado também oito finais consecutivas, na década de 20, vencendo as últimas seis consecutivamente, mais eficácia que Lendl e também o que mais perto andou das sete consecutivas de Richard D. Sears.

Os tri de Oliver S.Campbell e Malcolm D.Whitman são feitos também admiráveis pois poucos conseguiram vencer três consecutivamente. Não esquecer, embora não consecutivos, os quatro triunfos de Robert D.Wrenn.

ANO FINAL RESULTADO
1881 Richard D. Sears (EUA)-William E. Glyn  (EUA) 6-0/6-3/6-2
1882 Richard D. Sears (EUA)-Clarence M. Clark (EUA) 6-1/6-4/6-0
1883 Richard D. Sears (EUA)-James Dwight (EUA) 6-2/6-0/9-7
1884 Richard D. Sears (EUA)-Howard A. Taylor (EUA) 6-0/1-6/6-0/6-2
1885 Richard D. Sears (EUA)-Godfrey M. Brinley (EUA) 6-3/4-6/6-0/6-3
1886 Richard D. Sears (EUA)-R. Livingston Beeckman (EUA) 4-6/6-1/6-3/6-4
1887 Richard D. Sears (EUA)-Henry W. Slocum, Jr. (EUA) 6-1/6-3/6-2
1888 Henry W. Slocum, Jr. (EUA)-Howard A. Taylor (EUA) 6-4/6-1/6-0
1889 Henry W. Slocum, Jr. (EUA)-Quincy Shaw (EUA) 6-3/6-1/4-6/6-2
1890 Oliver S. Campbell (EUA)-Henry W. Slocum, Jr. (EUA) 6-2/4-6/6-3/6-1
1891 Oliver S. Campbell (EUA)-Clarence Hobart (EUA) 2-6/7-5/7-9/6-1/6-2
1892 Oliver S. Campbell (EUA)-Fred H. Hovey (EUA) 7-5/3-6/6-3/7-5
1893 Robert D. Wrenn (EUA)-Fred H. Hovey (EUA) 6-4/3-6/6-4/6-4
1894 Robert D. Wrenn (EUA)-Manliff Goodbody (EUA) 6-8/6-1/6-4/6-4
1895 Fred H. Hovey EUA)-Robert D.Wrenn (EUA) 6-3/6-2/6-4
1896 Robert D. Wrenn (EUA)-Fred H. Hovey (EUA) 7-5/3-6/6-0/1-6/6-1
1897 Robert D. Wrenn (EUA)-Wilberforce Eaves (Grã-Bretanha) 4-6/8-6/6-3/2-6/6-2
1898 Malcolm D. Whitman (EUA)-Dwight F. Davis (EUA) 3-6/6-2/6-2/6-1
1899 Malcolm D. Whitman (EUA)-J. Parmly Paret (EUA) 6-1/6-2/3-6/7-5
1900 Malcolm D. Whitman (EUA)-William A. Larned (EUA) 6-4/1-6/6-2/6-2
1901 William A. Larned (EUA)-Beals C. Wright (EUA) 6-2/6-8/6-4/6-4
1902 William A. Larned (EUA)-Reginald Doherty (Grã-Bretanha) 4-6/6-2/6-4/8-6
1903 Hugh L. Doherty (EUA)-William A. Larned (EUA) 6-0/6-3/10-8
1904 Holcombe Ward (EUA)-William J. Clothier (EUA) 10-8/6-4/9-7
1905 Beals C. Wright (EUA)-Holcombe Ward (EUA) 6-2/6-1/11-9

Uma variedade de campeãs (Open EUA, Graf, Serena Williams e Clijsters)

Neste último período de tempo analisado, a principal jogadora foi Steffi Graf com cinco títulos. No entanto, houve várias campeãs: Monica Seles, Martina Navratilova, Venus e Serena Williams, Justine Henin, Kim Clijsters, Svetlana Kuznetsova, Maria Sharapova, Gabriela Sabatini, Arantxa Sánchez, Martina Hingis, Lindsay Davenport. Apesar de algumas só terem conquistado o troféu por uma vez, este é o espaço temporal com mais campeãs, destacando-se, além da tenista alemã, Serena Williams e  Kim Clijsters com três taças alcançadas.

Também se nota o facto de os títulos estarem divididos por tenistas de várias nacionalidades, ao contrário do que se passava anteriormente: alemã, belga, americana, suíça, espanhola, argentina, russa. O que demonstra que o ténis, agora sim, é uma modalidade global, em vez, do que acontecia há 30/40 anos atrás, onde ganhavam, com excepções, obviamente, tenistas dos mesmos países.

A final de 1995 entre Steffi Graf e Monica Seles foi bastante equilibrada e disputada até ao fim, com vitória da tenista germânica em três sets. Isto não seria nada de especial se não se passasse o seguinte, isto é, após esta final, as quinze seguintes não tiveram três sets, ou seja, desde 1995 final alguma foi à negra o que não deixa de ser curioso!

ANO FINAL RESULTADO
1987 Martina Navratilova (EUA)-Steffi Graf (RFA) 7-6/6-1
1988 Steffi Graf (RFA)-Gabriela Sabatini (Argentina) 6-3/3-6/6-1
1989 Steffi Graf (RFA)-Martina Navratilova (EUA) 3-6/7-5/6-1
1990 Gabriela Sabatini (Argentina)-Steffi Graf (RFA) 6-2/7-6
1991 Monica Seles (Jugoslávia)                -Martina Navratilova (EUA) 7-6/6-1
1992 Monica Seles (Jugoslávia)                -Arantxa Sánchez Vicario (Espanha) 6-3/6-3
1993 Steffi Graf (Alemanha)-Helena Sukova (Checoslováquia) 6-3/6-3
1994 Arantxa Sánchez Vicario (Espanha)-Steffi Graf (Alemanha) 1-6/7-6/6-4
1995 Steffi Graf (Alemanha)-Monica Seles (EUA) 7-6/0-6/6-3
1996 Steffi Graf (Alemanha)-Monica Seles (EUA) 7-5/6-4
1997 Martina Hingis (Suíça)-Venus Williams (EUA) 6-0/6-4
1998 Lindsay Davenport (EUA)-Martina Hingis (Suíça) 6-3/7-5
1999 Serena Williams (EUA)-Martina Hingis (Suíça) 6-3/7-6
2000 Venus Williams (EUA)-Lindsay Davenport (EUA) 6-4/7-5
2001 Venus Williams (EUA)-Serena Williams (EUA) 6-2/6-4
2002 Serena Williams (EUA)-Venus Williams (EUA) 6-4/6-3
2003 Justine Henin-Hardenne (Bélgica)-Kim Clijsters (Bélgica) 7-5/6-1
2004 Svetlana Kuznetsova (Rússia)-Elena Dementieva (Rússia) 6-3/7-5
2005 Kim Clijsters (Bélgica)-Mary Pierce (França) 6-3/6-1
2006 Maria Sharapova (Rússia)-Justine Henin-Hardenne (Bélgica) 6-4/6-4
2007 Justine Henin (Bélgica)-Svetlana Kuznetsova (Rússia) 6-1/6-3
2008 Serena Williams (EUA)-Jelena Jankovic (Sérvia) 6-4/7-5
2009 Kim Clijsters (Bélgica)-Caroline Wozniacki (Dinamarca) 7-5/6-3
2010 Kim Clijsters (Bélgica)-Vera Zvonareva (Rússia) 6-2/6-1

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑