XIV Europeu de Andebol Áustria/Noruega e Suécia: bicampeonato para a Espanha

ehf 16

 

A Espanha fez o bicampeonato no Europeu de 2020 na Áustria/Noruega e Suécia. Numa prova marcada pela prestação portuguesa. A França também fez história, negativamente pois ficou em 14º, pior classificação de sempre, para uma seleção que tem 3 ouros nesta prova. Depois de vencer em 2018, os espanhóis fizeram a festa outra vez, tornando-se na segunda nação a conseguir dois seguidos, coisa que só os suecos tinham feito, no caso destes  chegaram ao tri. A Croácia continua a falhar no jogo decisivo, terceira derrota depois das de 2008 e 2010. Os croatas foram campeões do Mundo em 2003 que foi organizada por Portugal. A Noruega ficou com o bronze conseguindo a melhor prestação de sempre. Em 2004, em casa a Eslovénia atingiu a final e perdeu para os alemães, 16 anos depois voltou a uma meia-final, mas teve que contentar-se com o quarto lugar que é, no entanto, a sua segunda melhor classificação neste evento.

Logo na primeira fase Portugal bateu a muito titulada seleção francesa, contribuindo para a sua eliminação. A segunda fase começou com uma vitória frente à Suécia, algo inédito na sua história e concluiu com outra diante da Hungria. Isto deu possibilidade de ir discutir o quinto lugar com os germânicos. Apesar da derrota, o sexto lugar foi a melhor classificação de sempre que, além disto, permite ir discutir uma vaga nos Jogos Olímpicos.

FC Porto da I Divisão de Andebol

fpandebol 14

Chego agora ao campeão nacional de Andebol da época 2018-19: o FC Porto. É o clube com mais títulos nesta modalidade, no que concerne ao campeonato, com 21, com três curiosidades: esteve 31 anos sem o vencer entre 1967-68 e 1998-99, foi heptacampeão de 2008-09 a 2014-15, recorde da prova e apesar do número de títulos só fez uma dobradinha no seu historial a de 2018-19. É a equipa com mais presenças na I Divisão, juntamente com o Sporting, 62: 1953-54, 1956-57 a 1971-72, 1974-75 a 2018-19. A pior classificação foi um sétimo lugar em 1992-93. A isto adiciona mais oito Taças de Portugal, a última em 2018-19, 7 Supertaças, a derradeira em 2018-19 e 3 Taças da Liga: 2003-04, 2004-05 e 2007-08.
Os portistas nas camadas jovens também têm colecionado vários títulos ao longo das décadas: 15 em Juniores, o mais titulado neste escalão, o derradeiro há muito tempo já, 2001-02; 6 de Juvenis, desde 2000-01 que não faz a festa; e 2 Iniciados: 2003-04 e 2014-15. 23 no total.

Apesar de ser o clube português com mais presenças nas competições europeias, nunca atingiu qualquer final. O melhor que fez foi precisamente em 2018-19, quando chegou à meia-final da Taça EHF. Assim, tem 14 presenças na agora Liga dos Campeões, 10 na Taça das Taças e 15 na Taça EHF.

Sporting da I Divisão de Andebol

fpandebol 13

Estou de regresso com a apresentação do vice-campeão nacional de Andebol de 2018-19, o Sporting. É o clube, juntamente com o FC Porto, com mais presenças neste campeonato, 62: 1951-52 a 1953-54, 1955-56 a 1957-58, 1959-60 a 1963-64, 1965-66 a 1972-73, 1974-75 a 2003-04, 2006-07 a 2018-19. Tem 19 títulos conquistados, só batido pelos portistas, o derradeiro em 2017-18, conseguindo um penta entre 1968-69 a 1972-73 e um tetra de 1977-78 a 1980-81. É a equipa com mais Taças de Portugal, 15, já não vence desde 2013-14. Obteve um tri duas vezes: 2002-03 a 2004-05 e 2011-12 a 2013-14. Para finalizar, três triunfos na Supertaça: 1996-97, 2000-01 e 2012-13.

Os sucessos nas camadas jovens são em número considerável: 13 nos Juniores, é detentor do título; 6 de Juvenis, último em 2017-18 e um de Infantis em 2014-15. Vinte no total.
O historial nas competições europeias da EHF fica marcado por dois conquistas na Taça Challenge em 2009-10 e 2016-17. Foi a primeira equipa portuguesa a disputar nisto uma meia-final, na então Taça dos Campeões (agora Liga dos Campeões) em 1970-71. Embora, tenha lá chegado pois os clubes se recusaram a defrontar o Sporting nos oitavos e quartos. O panorama neste tipo de patamar faz-se com 12 presenças na agora Liga dos Campeões, 10 na Taça das Taças, 9 na Taça EHF e 5 na agora Taça Challenge. 36 no total.

Benfica da I Divisão de Andebol

fpandebol 12

 

O Benfica terminou o campeonato de Andebol da I Divisão 2018-19 no terceiro lugar. Os lisboetas são a quarta equipa com mais presenças nesta prova, atrás do Belenenses, FC Porto e Sporting, 46: 1953-54, 1955-56, 1958-59 a 1962-63, 1966-67 a 1968-69, 1971-72, 1974-75 e 1975-76, 1978-79 a 1997-98, 2006-07 a 2018-19. Os encarnados foram campeões em sete ocasiões: 1961-62, 1974-75, 1981-82, 1982-83, 1988-89, 1989-90 e 2007-08. Só ficaram abaixo dos quatro primeiros duas vezes: um quinto lugar em 1997-98 e um sexto em 1995-96. Ergueram a Taça de Portugal seis vezes: 1984-85, 1985-86, 1986-87, 2010-11, 2015-16 e 2017-18. O mesmo acontece na Supertaça: 1988-89, 1992-93, 2010-11, 2011-12, 2015-16 e 2017-18.

Os encarnados também têm várias conquistas nas camadas jovens: começando pelos Juniores, onde festejaram 10 vezes, derradeira em 2017-18; nos Juvenis em: 1990-91, 1991-92, 1993-94, 2004-05 e 2012-13; apenas uma ocasião nos Iniciados: 2012-13; no mesmo ano que somaram o único nos Infantis.
O Benfica obviamente tem várias presenças nas competições europeias de Andebol, 29. Destaca-se as duas derrotas na final da Taça Challenge, em 2010-11, contra os eslovenos RK Cimos Koper; em 2015-16, numa final só portuguesa, cederam diante do ABC. Ainda foi semifinalista 2007-08 e 2014-15. Os encarnados têm 7 presenças na agora Liga dos Campeões, 5 na Taça das Taças, 8 na Taça EHF e 9 na agora Taça Challenge, 29 no total.

Águas Santas da I Divisão de Andebol

fpandebol 11

Águas Santas fez a sua estreia na I Divisão de Andebol em 1999-2000 e tem se mantido aí até agora. Isso dá um total de 20 presenças. Na temporada transata terminou em quarto lugar uma das melhores classificações de sempre, visto que ficou nesta posição em 2001-02, 2004-05, 2012-13 e 2018-19. Melhor só o terceiro lugar em 2003-04. O maior feito do seu historial deu-se em 2001-02, quando venceu a Taça de Portugal diante do ABC. Uma das únicas duas finais que os bracarenses perderam em 14 disputadas. Foi preciso 17 anos para regressar a este patamar, mas o FC Porto em 2018-19 foi mais forte por 31-30. Não foi só na Taça Portugal que pelejou por troféus, nota-se as três derrotas em finais da Supertaça: 2001-02, 2010-11 e 2018-19 e também na Taça da Liga de 2005-06 e 2006-07.
É um clube que aposta muito na formação, daí não se estranhar que tem vários títulos: 2 de Juvenis: 2013-14 e 2015-16; 3 de Iniciados: 2011-12, 2015-16 e 2017-18; e seis de Infantis, derradeiro em 2015-16. Dá um total de 11 troféus de campeão nacional.
Os maiatos também experimentaram as competições europeias com uma presença na Taça EHF e 5 na Taça Challenge. Foi aqui que conseguiram atingir as meias-finais em 2013-14.

 

Belenenses da I Divisão de Andebol


fpandebol 10

O Belenenses finalizou a I Divisão de Andebol de 2018-19 em quinto lugar. Foi a melhor classificação desde 2009-10, quando também concluiu neste lugar. É o terceiro clube com mais presenças nesta prova, 51: 1951-52 e 1952-53, 1957-58, 1969-70 a 1971-72, 1973-74 a 1979-80, 1981-82 a 2018-19. Na foto está a sua última grande conquista, o campeonato de 1993-94, quinto do seu historial. A este junta-se os de: 1973-74, 1975-76, 1976-77 e 1984-85. Foi vice-campeão nos anos: 1977-78, 1985-86, 1992-93 e 1994-95. Ainda venceu a Taça de Portugal em quatro ocasiões: 1973-74, 1977-78, 1981-82 e 1983-84. Já não vai à final desde 2003-04, onde o Sporting foi mais forte. Finalizo com a conquista da Taça Liga em 2005-06 e a Taça Presidente da República 2008-09.

Nas camadas jovens, o Belenenses também tem algumas conquistas: 6 títulos de Juniores, derradeiro em 2008-09.

O Belenenses também se aventurou pelas competições europeias. 11 presenças. 4 na Liga dos Campeões, 3 na Taça das Taças, 3 na Taça EHF e 1 na Taça Challenge. Não teve grandes resultados, chegou aos oitavos-de-final da então Taça dos Campeões em 1977-78 e da Taça EHF 1995-96 e 2008-09.

Madeira SAD da I Divisão de Andebol

 

fpandebol 9

 

O Madeira SAD classificou-se em sexto lugar na I Divisão de Andebol de 2018-19. Este clube estreou-se neste campeonato em 1998-99, contando com 21 presenças consecutivas desde então. A primeira época não fez nada de especial no campeonato, acabou em sétimo lugar, mas, trouxe um troféu, a Taça de Portugal. A única do seu historial, diante do Boavista. Só voltou a outra final em 2010-11, onde o Benfica foi superior. O seu grande êxito nesta modalidade deu-se em 2004-05, quando se sagrou campeão nacional. Não tem mais até aos dias de hoje, mesmo assim foi vice-campeão quatro vezes: 2006-07, 2009-10, 2010-11 e 2011-12. Na final do campeonato em 2007, diante do ABC, consegui ganhar os dois primeiros jogos, mas os bracarenses triunfaram nos dois em casa e foram à Madeira conquistar o título. Podiam ser dois títulos em vez de um só. A pior classificação de sempre é um 9ºlugar em 2012-13. Só ficou abaixo dos sete primeiros duas vezes, essa de 2013 e 8ºlugar em 2014-15.
Em 2018-19, o Madeira SAD fez história na Europa, chegou à final da Taça Challenge, onde os romenos do CSM Bucareste foram melhores, todavia, foi a sua primeira final europeia. Além disso, acumula 1 presença na Taça das Taças, 6 na Taça EHF e 3 na Taça Challenge, onde também alcançou as meias-finais em 2017-18.

ABC da I Divisão de Andebol

fpandebol 8

 

O campeonato da I Divisão de Andebol começou em 1951-52, o ABC só chegou pela primeira vez em 1984-85, mesmo assim já é o terceiro clube com mais troféus, só batido pelo FC Porto e Sporting. Tem quase o dobro de Benfica. Tem assim 35 presenças nesta prova: 1984-85 a 2018-19. O sétimo lugar de 2018-19 é a sua pior classificação de sempre. Além disto só tinha ficado fora dos 5 primeiros, com três sextos: 1984-85, 2008-09 e 2011-12. Ergueu o troféu de campeão nacional em treze ocasiões, a último em 2015-16. Chegou a ser tricampeão: 1990-91 a 1992-93 e depois tetra; 1994-95 a 1997-98. Por doze vezes ganhou a Taça de Portugal, derradeira em 2016-17. Conseguiu um inédito tetra que ninguém igualou de 1989-90 a 1992-93. Tem um registo impressionante no que concerne a finais: 14 disputadas, 12 conquistadas. Para completar um palmarés valioso, acrescente-se ainda 7 Supertaças, com três seguidas, recorde por repetir: 1989-90 a 1991-92.
Nas camadas jovens o ABC também tem um lista de troféus. 11 títulos de Juniores, último em 2006-07. É o atual campeão de Juvenis, onde perfaz 10 taças. Ainda 4 de Iniciados: 1999-2000, 2001-02, 2009-10 e 2010-11. Para finalizar 2 de Infantis: 2000-01 e 2008-09. Ou seja, conquistou 27 campeonatos nas camadas jovens.
Em 1993-94, na Liga dos Campeões, o ABC fez algo que atualmente é quase impossível de repetir, chegou à final da Liga dos Campeões. Perdeu-a para os espanhóis do TEKA Santander por apenas dois golos. Não se ficou por aqui, venceu a Taça Challenge em 2015-16, diante o Benfica e perdeu mais duas em 2004-05 e 2014-15. Em termos de presenças, andou 13 vezes pela Liga dos Campeões, 3 pela Taça das Taças, 6 na Taça EHF e 5 na Taça Challenge.

ISMAI da I Divisão de Andebol

fpandebol 7

 

Falo agora do ISMAI. O oitavo lugar de 2018-19 é a melhor classificação de sempre desta agremiação. A seguir a isto estão dois nonos lugares em 2013-14 e 2015-16. Tudo conseguido com sete presenças neste campeonato: 2011-12, 2013-14 a 2018-19. A época de 2019-20 já decorre e se conseguir manter o mesmo desempenho poderá pensar numa histórica presença nos seis primeiros lugares que depois de concluída a primeira fase vão discutir o título. Nunca chegou a qualquer final da Taça de Portugal ou Supertaça. Não tem troféus nacionais nas camadas jovens.
O ISMAI teve uma passagem fugaz pelas competições europeias. Isso aconteceu em 2007-08, na Taça Challenge, onde chegou à 3ªeliminatória.

Artística Avanca na I Divisão de Andebol

fpandebol 6

 

Chego ao nono classificado do campeonato de Andebol da I Divisão, de 2018-19: Artística Avanca. Tem uma história recente neste campeonato, tendo aqui se estreado em 2012-13. Assim, alcançou seis presenças: 2012-13 e 2013-14, 2015-16 a 2018-19. A sua melhor prestação foi um quinto lugar em 2017-18 e dois sétimos lugares: 2015-16 e 2016-17. Nunca disputou qualquer final da Taça Portugal.
Não tem qualquer participação nas competições europeias. Nas camadas jovens ainda não ergue um troféu nacional em nenhum escalão.

 

 

 

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑