V Mundial de Andebol Feminino, 1973, Jugoslávia: único título das anfitriãs

ihf 9

As anfitriãs do Mundial de 1973 de Andebol Feminino, isto é, a Jugoslávia, conseguiram fazer o percurso completo, ou seja, sagraram-se campeãs mundiais pela única vez na historial, depois de terem perdido as finais de 1965 e 1971, nas duas edições anteriores. Chegaram a mais finais, porém, nunca mais ergueram o cetro mundial,  em 1990 e 2013. A Roménia, medalha de prata, falhou o título que seria o seu segundo, desiderato que nunca festejaria, ficou-se pelo de 1962 e teve perto em 2005, mas as russas foram mais fortes. A União Soviética obteve o bronze, único do seu palmarés. Estava a preparar a equipa que dominaria o andebol feminino nos anos 1980.  A Hungria, campeã em 1965, também o seu troféu solitário, atingiu o quarto lugar, não mais repetiria esta classificação. A Jugoslávia não teve uma caminhada fácil, chegando mesmo a perder um jogo na segunda fase de grupos, mesmo assim apurou-se para a final. Aí bateu a Roménia por 16-11 e fez a festa!

 

 

 

 

 

1973- Jugoslávia: Jugoslávia

   
   
         
       
         
    1ªfase (Grupo D) Holanda 20-4
      Dinamarca 11-10
    2ªfase (Grupo II) [Dinamarca 11-10] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Polónia 8-9
      URSS 7-5
    FINAL Roménia 16-11
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

V Mundial de Andebol, 1964, Checoslováquia: título para os romenos

ihf 8

 

 

 

 

 

1964- Checoslováquia: Roménia

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo D) União Soviética 16-14
      Noruega 18-10
      Japão 36-12
    2ªfase (Grupo 2) [União Soviética 16-14] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Dinamarca 25-15
      Checoslováquia 16-15
    FINAL Suécia 25-22
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

A Roménia mostrou aqui o seu potencial no mundo de Andebol de 1964. Conquistou o seu segundo título consecutivo. Sobreviveu a duas fases de grupos sem perder qualquer jogo. Na final, encontrando o vencedor do outro grupo, a Suécia, derrotou-a com uma vitória equilibrada de 25-22. Eram os tempos onde a Roménia era candidata ao título. Atualmente, está muito longe disso! A Suécia conseguiu a sua primeira medalha de prata, melhorando do bronze que tinha alcançado no mundial transato. Não conseguiu o seu terceiro título, depois de ter ganho em 1954 e 1958 e só faria nos anos 90. A Checoslováquia, país anfitrião, obteve o seu segundo bronze, depois de o de 1954, não mais acabou em terceiro até ao seu fim nos anos 90, do século XX. A Alemanha Ocidental repetiu o resultado de 1961.

IV Mundial de Andebol Feminino, 1971, Holanda: RDA festeja

 

ihf 6

 

 

 

 

 

1971-Holanda: RDA

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo C) Holanda 15-8
      Hungria 9-8
    2ªfase (Grupo I) Roménia 12-10
      Dinamarca 12-7
    FINAL Jugoslávia 11-8
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar

 

O Mundial de 1971 de Andebol Feminino ocorreu na Holanda seis anos após o último, o que é um bocado estranho! As campeãs: a Alemanha Oriental, isto é, a RDA, ou seja, a Alemanha aliada à União Soviética com um regime ditatorial.  Quarta edição, quarto vencedor diferente. Uma prova curta para o que era normal em outras modalidades, decidida em duas fases de grupo cada uma com três seleções e os vencedores de cada um, da segunda fase de grupos defrontavam-se na final. Foi assim o caminho da RDA que venceu os jogos todos. Curiosamente, o mais renhido foi na primeira fase de grupos com uma vitória por 9-8 diante da Hungria. Na final, 11-8 contra a Jugoslávia dando às alemãs o seu primeiro título. As jugoslavas perderam a sua segunda final consecutiva. A Hungria campeã em título ficou com o bronze pela primeira vez, não seria o último. Em quarto lugar a Roménia. Uma classificação que seria um espécie de sina para esta nação, pois é de longe a que mais vezes ficou com este lugar na história deste evento.

IV Mundial de Andebol, 1961, RFA: título para a Roménia

ihf 6

 

República Federal da Alemanha organizou o Campeonato do Mundo de Andebol em 1961 pela segunda vez em quatro edições.  A diferença para o de 1938 é que naquela altura estava unificada. Após a II Guerra Mundial (1939-1945), como se sabe, ficou dividida em dois: República Federal da Alemanha, a democrática; e a República Democrática da Alemanha, aliada da União Soviética. Isto aconteceu porque após a guerra, o seu território ficou sob o controlo dos vencedores e como uns tinham sido os soviéticos que ficaram responsáveis por parte do território e a Guerra Fria que se seguiu originou isto. Só nos anos 90 do século XX, quase cinquenta anos depois do fim da guerra é que esta voltou a ser uma.

Quanto ao Mundial de 1961 de Andebol, a RFA não o venceu, aliás terminou num desapontante quarto lugar, a primeira vez que tinha ficado fora do pódio nestas primeiras quatro edições.  A Suécia também não conseguiu o tri ficando com o bronze, resultado igual ao de 1938, também na Alemanha. A final teve um campeão sensação que nas três edições anteriores nunca sequer tinha ficado nos quatro primeiros, a Roménia. Na final bateram a Checoslováquia por uns inacreditáveis 9-8 após dois prolongamentos! Os checos perdiam a sua segunda final consecutiva.

 

 

 

 

 

 

1961-RFA: Roménia

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo C) Japão 29-11
      Checoslováquia 8-12
    2ªfase (Grupo 2) Dinamarca 15-13
      RFA 12-9
      Noruega 16-14
    FINAL Checoslováquia 9-8 a.2p.
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

XIII Europeu de Andebol Feminino, 2018, França: primeiro para a França

ehf 5

 

 

 

 

 

2018-França: França

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo B) Rússia 23-26
      Eslovénia 30-21
      Montenegro 25-20
    2ªfase (Grupo I) [Rússia 23-26] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      [Montenegro 25-20] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Dinamarca 29-23
      Suécia 21-21
      Sérvia 38-28
    Meias-finais Holanda 27-21
    FINAL Rússia 24-21
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

A França recebeu a Europa do Andebol Feminino. Foi a capital do Andebol durante duas semanas onde se decidia o Europeu de Andebol Feminino. A Noruega era a grande favorita, mas, desta vez, nem as meias-finais chegou. Uma seleção que ganhou mais de metade (7) das edições deste evento que começou em 1994. As gaulesas ao jogarem em casa também eram fortes candidatas até porque eram as campeãs mundiais em título. Numa final diante da Rússia que também nunca tinha ganhou isto, tinha apenas uma prata em 2006, as francesas venceram e conquistaram o seu primeiro título. Curiosamente, as anfitriães tinham perdido com as russas no primeiro jogo da primeira fase de grupos. Na final tiveram a sua vingança. A Holanda conseguiu a sua segunda medalha nesta prova, depois da prata e final perdida de 2016. A Roménia ao ficar em quarto pela segunda vez fez a sua melhor prova desde o bronze de 2010.

 

III Mundial de Andebol Feminino, 1965, RFA: título inédito para a Hungria

Em 1965, na RFA, fez-se história. A Hungria festejou o seu único título mundial de Andebol Feminino. Numa prova curta, com dois grupos, onde o vencedor de cada de defrontava na final. Foi assim que as húngaras triunfaram, numa final, onde derrotaram a Jugoslávia por…5-3! Um resultado impensável na atualidade! Para ter a ideia deste feito, as magiares, além deste título, têm quatro pratas, 4 bronzes e terminaram uma vez como quartas classificadas. Só em 1965 conseguiram o tão desejado título.

A Sérvia, ou Jugoslávia na altura, também tem um registo semelhante à Hungria: esta foi a primeira de quatro medalhas de prata, com apenas um título adquirido. Conta ainda com três bronze e um quarto lugar. Para a Alemanha foi aqui medalhada pela primeira vez, um terceiro lugar. Só na década de 90 regressaria ao pódio.  A Checoslováquia falhava o lugar de consolação pela primeira vez. Não seria a última!

 

 

 

 

 

1965-RFA: Hungria

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo B) Checoslováquia 7-4
      Roménia 9-6
      Polónia 15-5
    FINAL Jugoslávia 5-3
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

ihf 5

 

III Mundial de Andebol, 1958, RDA: bi para a Suécia

 

 

 

 

 

1958-RDA: Suécia

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Espanha 31-11
      Polónia 19-14
      Finlândia 27-16
    2ªfase (Grupo 2) [Polónia 19-14]-resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Jugoslávia 26-9
      Dinamarca 13-12
    FINAL Checoslováquia 22-12
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

A terceira edição do Mundial de Andebol teve lugar na RDA em 1958. A Suécia revalidou o título. A primeira seleção a vencer dois consecutivos. Só seria campeã novamente nos anos 90. Um título sem derrotas. Caminhou duas fases de grupo sem perder e apenas teve complicações no jogo com a Dinamarca, onde venceu por 13-12. Na final, uma vitória esclarecedora por dez golos de diferença diante da Checoslováquia. Relembre-se que o formato deste campeonato passava por duas fases de grupo, onde na segunda destas, o vencedor de cada grupo, tinha dois, disputava a final com o primeiro classificado do outro. Os segundos de cada grupo competiam pelo bronze.  O bronze foi para a Alemanha, campeã em 1938. A Dinamarca ficou em quarto lugar. Os dinamarqueses são os líderes dos quarto classificados, pois, ficou aqui por seis vezes, última em 2009. A Checoslováquia, medalha de prata, estava a preparar a festa que teria no futuro.

 

ihf 3

II Mundial de Andebol Feminino, 1962, Roménia: título para as romenas

 

ehf 3

O Campeonato do Mundo de Andebol Feminino teve lugar na Roménia em 1962. As vencedoras foram as anfitriãs. Um evento que teve uma primeira fase de grupos com três equipas onde passavam duas seleções para uma segunda fase de grupos de três equipas, onde o vencedor de cada um defrontavam-se na final, os segundos discutiam o bronze. O único mau jogo da Roménia foi na primeira fase de grupos, onde concedeu um empate diante da Jugoslávia. Depois, duas vitórias e a qualificação para a final, onde lutaram contra a Dinamarca, num jogo que terminou 8-5 e assim conquistaram o seu único título mundial até aos nossos dias. Por usa vez, as dinamarquesas só chegaram a outra final em 1993. A Checoslováquia alcançou o seu único bronze na história deste evento e Jugoslávia ficou em quarto um lugar que melhoraria em edições seguintes.

 

1962- Roménia: Roménia
   
 
 
  1ªfase (Grupo C) Polónia 9-4
  Jugoslávia 3-3
  2ªfase (Grupo I) Hungria 9-7
  Checoslováquia 7-3
  FINAL Dinamarca 8-5
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

II Mundial de Andebol, 1954, Suécia: título para os suecos

 

 

Mundial de Andebol na Suécia, 1954, primeiro título para os anfitriões. Uma competição curta, com apenas seis seleções, dividas em dois grupos de três, onde os dois primeiros se qualificavam para a final e os dois segundos para discutir o bronze. A Suécia era uma das favoritas e não deixou os créditos em mãos alheias, venceu os dois jogos na fase de grupos com alguma margem confortável. Na final, diante dos campeões, numa partida equilibrada, superiorizou-se por 17-14. Assim somou o seu primeiro troféu. De realçar, o quarto lugar da Suíça, que ainda é o seu melhor resultado, igualado em 1993. A Suécia começou aqui a marcar o seu lugar na história deste evento e começou a ser vista em todas as competições como um candidato a ir longe.

 

1954- Suécia: Suécia
   
 
 
  1ªfase (Grupo A) Dinamarca 16-8
  Checoslováquia 23-14
  FINAL RFA 17-14
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑