Rivalidade entre Benfica e Sporting na Taça Portugal e na Supertaça Cândido Oliveira

fpf 13

 

Benfica vs Sporting na Taça Portugal e Supertaça Cândido Oliveira:
 
Taça Portugal:
 
1941-42,
Quartos-de-final: Sporting-Benfica 4-0
1942-43, Meias-finais: Benfica-Sporting 3-2
1944-45, Meias-finais: Sporting-Benfica 1-2/3-2/1-0
1947-48, Meias-finais: Sporting-Benfica 3-0
1951-52, FINAL: Benfica-Sporting 5-4
1953-54, 1ªeliminatória: Sporting-Benfica 3-2/1-2/4-2
1954-55, FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1958-59, Meias-finais: Benfica-Sporting 1-2*/3-1
1959-60, Meias-finais:                                          Sporting-Benfica 3-0/0-0
1962-63, Meias-finais: Sporting-Benfica 0-1/2-0*
1969-70, FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1970-71, FINAL: Sporting-Benfica 4-1
1971-72, FINAL: Benfica-Sporting 3-2 a.p.
1973-74, FINAL: Sporting-Benfica 2-1 a.p.
1975-76, 5ªeliminatória: Sporting-Benfica 1-0 a.p.
1976-77, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 3-0
1977-78, Quartos-de-final: Sporting-Benfica 3-1
1979-80, Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 2-1
1982-83, Quartos-de-final: Benfica-Sporting 3-0
1983-84, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 2-1
1985-86, Quartos-de-final: Benfica-Sporting 5-0
1986-87, FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1995-96, FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1999-2000, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 3-1*
2004-05, Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 3-3/7-6 g.p.
2007-08, Meias-finais: Sporting-Benfica 5-3
2013-14, 4ªeliminatória: Benfica-Sporting 4-3 a.p.
2015-16, 4ªeliminatória: Sporting-Benfica 2-1 a.p.
2018-19, Meias-finais: Sporting-Benfica 1-2*/1-0
   
Supertaça:  
1979-80, FINAL: Benfica-Sporting 2-2*/2-1
1986-87, FINAL: Sporting-Benfica 3-0*/1-0
2014-15, FINAL: Sporting-Benfica 1-0
2018-19, FINAL: Benfica-Sporting 5-0
   
* jogos no recinto adversário

 

O Benfica tem mais títulos que o Sporting em quase tudo, exceto na Supertaça Cândido Oliveira, tem os mesmos oito, no Campeonato Portugal (espera-se pela definição a que prova se devem acrescentar os ganhos neste) 4 contra 3; e na Taça das Taças, competição europeia que foi extinta em 1998-99, os leões conquistaram-na em 1963-64 e as águias nunca disputaram sequer uma final. Nos jogos do campeonato a vantagem é grande também, até, porque, nos encontros na casa do Sporting, todas que este já possuiu desde os anos 30, os encarnados ganharam tantos quantos os sportinguistas, em casa deste!

Na Taça de Portugal o Benfica manda em termos de finais, em oito, ganhou seis: 1951-52, 1954-55, 1969-70, 1971-72, 1986-87 e 1995-96; o Sporting duas: 1970-71 e 1973-74. Curiosamente, em jogos a eliminar, os leões levam larga vantagem, eliminando os encarnados mais vezes que o inverso.  Não é uma margem pequena é substancial. É só ver o quadro acima e fazer as contas.

Na Supertaça o panorama é igual: duas para o Sporting: 1986-87 e 2014-15 e duas para o Benfica: 1979-80 e 2018-19. Aqui anda-se a falar dos 5-0. A maior goleada ocorrida nesta prova foi em 1981-82, na 2ªmão, o Sporting trucidou o Sporting Braga por 6-1 e conquistou a sua 1ªsupertaça então.

 

A subida à primeira da União Coimbra em 1971-72

fpf 17

 

A Académica obteve a classificação para a então Taça UEFA após finalizar o campeonato no 5ºlugar, na época de 1970-71. Em 1971-72, seria eliminado na primeira eliminatória pelo eventual finalista vencido, Wolverhampton, agora treinado por Nuno Espírito Santo. No campeonato de 1971-72 da I Divisão desceu à II Divisão. Iria Coimbra ficar sem representantes no escalão máximo do futebol português?

O outro clube de Coimbra, a União, estava na III Divisão em 1970-71, conseguindo subir à II Divisão. Em 1971-72, na Zona Norte, apesar de um ataque fraquíssimo para uma equipa que a vence, conseguiu ficar em primeiro lugar e assim subir à primeira, numa época onde a Académica desceu. Depois de ter estado no final dos anos 40, início dos anos 50, muitas vezes à bica para subir, em 1971-72 finalmente isso aconteceu, num ano em que o Sporting Braga acabou em sétimo, nesta Zona Norte da II Divisão. Não satisfeitos, ainda conquistaram o título da II Divisão, batendo o vencedor da Zona Sul, Montijo, na final. Curiosamente, iria ser a estreia de ambos na temporada seguinte na I Divisão.

Não demorou muito a estadia da União Coimbra na primeira. Acabou em 14º e foi disputar a Liguilha I/II Divisão, onde precisava de acabar nos dois primeiros para manter-se. Não o fez e a Académica venceu a II Divisão, regressando assim à normalidade. Mas durante uma época foi a União Coimbra que sorriu!

1971-72 J V E D GOLOS P
1-União Coimbra 30 13 12  5 35-18 38
2-Riopele 30 12 13  5 40-26 37
3-Marinhense 30 15  6  9 43-25 36
4-Varzim 30 12 10  8 32-27 34
5-Sanjoanense 30 12  9  9 41-33 33
6-Famalicão 30 12  6 12 46-44 30
7-Sporting Braga 30 12  6 12 33-35 30
8-Fafe 30 12  6 12 37-39 30
9-Sporting Espinho 30  9 11 10 37-31 29
10-Penafiel 30 10  9 11 32-42 29
11-União Lamas 30 12  4 14 38-39 28
12-Salgueiros 30  8 12 10 25-32 28
13-Gil Vicente 30  9  9 12 29-35 27
14-Sporting Covilhã 30 11  4 15 46-47 26
15-Alba 30  9  5 16 37-55 23
16-Gouveia 30  9  4 17 21-42 22

 

 

 

 

 

Portugal vence a Liga das Nações em 2019, em casa

fpf 14

 

Depois da infelicidade e trauma do Euro 2004 com a derrota na final com a Grécia, Portugal reconciliou-se com os adeptos e pôs esse facto para trás, vencendo a Liga das Nações 2019, no Estádio do Dragão, diante da Holanda. Foi a primeira edição desta prova, com vitória lusa. Uma primeira fase regular, duas vitórias e dois empates contra Itália e Polónia, fazendo uma coisa inédita, na fase de apuramento triunfo em casa diante da Itália e empatou lá, a primeira vez que contra os italianos não perdemos nenhum jogo casa e fora. Não perder em terras transalpinas é muito raro. Contra a Polónia os resultados inverteram-se, vitória lá e empate cá, se bem que cá já sabíamos que estávamos apurados.

 

Portugal foi escolhido para albergar a final four da Liga das Nações de 2019. O adversário na meia-final era a Suíça, com quem ainda tem um registo negativo apesar da vitória por 3-1 neste jogo com um hat-trick de Ronaldo. Foi a oitava vitória em 23 jogos, acumulando 5 empates e dez derrotas. Porém, desde o início da década de 80 só sofreu duas derrotas. O pior foi antes com maus resultados, sobretudo em jogos amigáveis. Para os suíços foi um jogo histórico, porque, pela primeira vez desde a final dos Jogos Olímpicos de 1924, em Los Angeles, chegaram a uma meia-final. Em 1924, perderam a final para o Uruguai por 3-0. Europeus e Mundiais a Suíça nunca passou dos quartos-de-final, no Campeonato do Mundo, o último foi em 1954, organizado por esta Nação. Nos Europeus o melhor foi oitavos-de-final em 2016, França.

Na final Portugal tinha como adversário a Holanda. Ao contrário dos helvéticos, tem um registo francamente favorável diante da Laranja Mecânica. Só duas derrotas e quatro empates, sendo que em jogos oficiais só um jogo perdido, na qualificação para o Europeu de 1992, na Suécia. Os holandeses foram e nós não. A partir daí, vitória na Holanda e empate em casa no apuramento para o Mundial de 2002, no Japão e Coreia do Sul. Nas meias-finais do Europeu 2004, em casa, 2-1 para os lusos. Nos oitavos-de-final do Mundial de 2006, na Alemanha, nova vitória para os lusitanos, 1-0. Na fase de grupos do Europeu de 2012, na Polónia e Ucrânia, 2-1 para Portugal. Agora na final, no Estádio do Dragão, com o seu público, Gonçalo Guedes aos 60m, marcou o único golo do jogo e deu mais um troféu para Portugal novamente superiorizando-se aos holandeses.

 

 

 

 

 

2019- Portugal: Portugal

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 3) Itália 1-0
      Polónia 3-2*
      Itália 0-0*
      Polónia 1-1
    Meias-finais, Final 4, Portugal Suíça 3-1
    FINAL Holanda 1-0
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

 

Primeira subida do Famalicão à primeira, 1977-78

fpf 13

 

1977-78 J V E D GOLOS P
1-Famalicão 30 21  7  2 67-16 49
2-Aliados Lordelo 30 13  9  8 33-30 35
3-Fafe 30 12 10  8 34-24 34
4-Rio Ave 30  9 13  8 26-25 31
5-Penafiel 30 12  7 11 42-44 31
6-Desportivo Chaves 30 10 11  9 35-33 31
7-Leixões 30 12  6 12 43-37 30
8-Lourosa 30 11  8 11 40-35 30
9-Vianense 30 11  8 11 28-38 30
10-Gil Vicente 30 10  9 11 30-31 29
11-União Lamas 30 10  9 11 34-37 29
12-Paços Ferreira 30 11  6 13 31-39 28
13-Paços Brandão 30  9  9 12 32-37 27
14-Régua 30  9  7 14 33-47 25
15-Sanjoanense 30  8  7 15 24-30 23
16-Vila Real 30  6  6 18 24-53 18

O Famalicão já tinha estado na então I Divisão em 1946-47, onde teve o saldo de 60 golos marcados e 100 sofridos (!), concluindo no 13ºlugar, classificação que ainda é a sua melhor de sempre. Os famalicenses têm seis presenças na agora I Liga. As suas melhores prestações são dois 13º lugares, o dos anos 40 e o de 1978-79. Curiosamente nesses dois anos desceu. A seguir têm três 14ºlugares consecutivos entre 1990-91 e 1992-93, conseguindo a permanência nessas temporadas. Esta, em 1977-78, foi a sua primeira subida à então I Divisão. Em 1946-47 foi o último ano em que os apurados para a I Divisão eram decididos nos campeonatos regionais pelo país fora. Sistema que operou entre, a primeira edição, em 1934-35 e 1946-47. Foi uma subida incontestável! 14 pontos de avanço, quando a vitória só valia dois pontos, se fosse a pontuação atual, três pontos, seria uma margem quase escandalosa! Não teve qualquer oposição! E para por a cereja em cima do bolo, despois, na fase de apuramento para campeão, conseguiu o título da II Divisão, o primeiro grande troféu da sua história.

Nesta época o Aliados Lordelo ficou em segundo lugar na Zona Norte, melhor resultado do seu historial. Foi discutir com os segundos da Zona Centro e Zona Sul a subida, não a conseguiu, mas foi uma das maiores surpresas da história deste evento, num ano em que a diferença entre o quarto classificado, Rio Ave, e o primeiro clube abaixo da linha de descida, Paços Brandão, foi de quatro pontos. Uma competitividade que não ocorreu na luta pela subida. O Aliados de Lordelo teve uma diferença positiva de golos de mais três marcados que sofridos, 33-30, algo também muito raro na história da II Divisão.

A primeira promoção do Santa Clara à I Liga, 1998-99

fpf 11

Depois de ter sido campeão da II Divisão B em 1997-98, o Santa Clara, orientado por Manuel Fernandes, subiu em 1998-99 à I Liga. Duas subidas consecutivas, algo raro na história do futebol português. Nesta altura subiam três equipas em vez das duas atuais. E assim, ao classificar-se em terceiro lugar conseguiu essa promoção. Os dois primeiros classificados subiram com alguma folga, mas, na última jornada, para esse terceiro posto, foi tudo decidido quase até ao fim dos 90 minutos. O Santa Clara assim obteve a sua primeira subida à agora I Liga. Desceria no ano a seguir, mas foi a sua primeira vez!

1998-99 J V E D GOLOS P
1-Gil Vicente 34 20  8  6 58-24 68
2-Belenenses 34 17 10  7 55-28 61
3-Santa Clara 34 14 13  7 53-37 55
4-Desportivo Aves 34 14  9 11 46-43 51
5-Felgueiras 34 12 14  8 60-40 50
6-Leça 34 14  8 12 51-49 50
7-Sporting Espinho 34 13 11 10 45-37 50
8-Varzim 34 13  9 12 51-46 48
9-Penafiel 34 11 14  9 56-49 47
10-Maia 34 12 10 12 53-50 46
11-Paços Ferreira 34 10 14 10 38-35 44
12-Moreirense 34 11  8 15 40-56 41
13-Naval 1ºMaio 34  9 11 14 34-54 38
14-Esposende 34  8 14 12 24-34 38
15-União Lamas 34  9 10 15 28-48 37
16-Feirense 34  9 10 15 34-53 37
17-União Madeira 34  8  9 17 34-50 33
18-Estoril 34  6 10 18 23-50 28

Portugal campeão europeu de sub-19 em 2018

fpf 4

 

2018-Finlândia: Portugal    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Noruega 3-1
      Itália 2-3
      Finlândia 3-0
    Meias-finais Ucrânia 5-0
    FINAL Itália 4-3 a.p.
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

Portugal foi campeão europeu de sub-19 pela quarta vez na Finlândia em 2018. É o primeiro título desde que a UEFA fez a mudança de sub-18 para sub-19 em 2003. Depois das finais perdidas de 2003,2014 e 2017 finalmente a vitória. Um percurso na primeira fase onde se deu uma derrota diante da Itália, de resto, duas vitórias relativamente tranquilas diante da Noruega e o país anfitrião da Finlândia. Nas meias-finais jogo resolvido à meia-hora de jogo, já que o resultado era um inesperado cinco a zero frente à Ucrânia. Inesperado porque aos 30 minutos já estava cinco a zero! Numa das mais empolgantes finais da história deste evento, Portugal bateu a Itália por 4-3, após prolongamento, vingando a derrota de 2003.

Este foi o quarto título: 1961,1994,1999 e 2018. Junta-se a isso mais oito finais perdidas: 1971,1988,1990,1992,1997,2003,2014 e 2017. Um palmarés rico para o registo histórico de Portugal neste torneio. Além disto, ainda teve os dois melhores marcadores do torneio: Trincão e João Filipe, ambos com cinco golos. O treinador Hélio tem a particularidade de como jogador ter sido campeão mundial de sub-20 em 1989 e agora como treinador o título dos sub-17 em 2016 e agora o dos sub-19 em 2018. Para concluir, este triunfo também apurou esta seleção para o Mundial de sub-20 em 2019, na Polónia.

 

1987-88, primeira subida do Nacional à I Liga

fpf 7

 

O Nacional da Madeira subiu esta época à I Liga. Aqui vou abordar a primeira vez que este clube foi promovido à então I Divisão. Isso aconteceu na época de 1987-88. A II Liga não existia, havia apenas II e III Divisão, além da I Divisão. Nessa temporada subiam seis equipas ao escalão máximo do futebol português, 2 da Zona Norte, 2 da Zona Centro e 2 da Zona Sul, enquanto desciam o mesmo número da primeira. Na Zonal Sul, o Nacional, terminou em segundo atrás do Estrela Amadora que também subiu este ano pela primeira vez à primeira. Uma subida com alguma folga, cinco pontos de vantagem sobre o Louletano (à altura a vitória só valia dois pontos). Na primeira época na I Divisão, em 1988-89 ficaram em décimo. Esta aventura durou três anos. Depois, só no século XXI regressariam, em 2001-02. Uma estadia de 15 anos onde foi apurado para as competições europeias, ficando duas vezes em quarto, 2003-04 e 2008-09. Veremos se nesta nova vida, em 2018-19 igualarão esses anos.

 

 

1987-88 J V E D GOLOS P
1-Estrela Amadora 38 24  8  6 64-22 56
2-Nacional 38 25  5  8 69-25 55
3-Louletano 38 23  4 11 80-36 50
4-Estoril 38 18 11  9 55-35 47
5-Barreirense 38 15 14  9 42-37 44
6-União Madeira 38 16 10 12 59-39 42
7-Sacavenense 38 14 13 11 43-40 41
8-Atlético 38 15 10 13 55-39 40
9-Oriental 38 14 11 13 53-51 39
10-Silves 38 12 14 12 38-47 38
11-Olhanense 38 15  8 15 50-43 38
12-Esperança Lagos 38 14  8 16 39-48 36
13-Santiago do Cacém 38 12 11 15 36-55 35
14-Montijo 38 13  7 18 46-51 33
15-Amora 38 11  9 18 43-64 31
16-Lusitânia 38 10 11 17 26-54 31
17-Cova Piedade 38  8 14 16 40-54 30
18-Samora Correia 38 10  7 21 33-58 27
19-Pescadores 38  8  8 22 33-74 24
20-Santa Clara 38  5 13 20 19-51 23

 

 

2010-11, FC Porto campeão sem derrotas e vencedor da Liga Europa

fpf 3

 

Uma época quase perfeita: campeonato sem derrotas, Taça de Portugal e Liga Europa. O Benfica foi campeão sem derrotas em 1972-73, só cedendo dois empates. Nesta época o FC Porto permitiu três empates. Na Taça de Portugal, o Benfica, em 1972-73 perdeu nos oitavos diante do Leixões; os portuenses venceram-na, fazendo uma recuperação nas meias diante dos encarnados e na final, 6-2 contra o Vitória Guimarães, que há 23 anos não chegava tão longe. Foram o segundo clube a marcar seis numa final. Só o Benfica em 1963-64, 6-2 contra os dragões e em 1943-44, 8-0 diante do Estoril fez igual ou melhor.

Outra diferença foi as competições europeias: em 1972-73, os encarnados, na então Taça dos Campeões, foi eliminado nos oitavos-de-final contra o campeão inglês Derby County. Recorde-se, na década de 70, os países participantes neste torneio só tinham mais de um participante se o campeão europeu não fosse campeão nacional, caso contrário só vencedor da sua liga se apuraria. O FC Porto conquistou a Liga Europa frente ao Sporting Braga, numa época em que Portugal colocou três clubes nas meias-finais, algo impensável. Só o Villarreal se intrometeu entre os lusitanos, mas foi despachado, logo na primeira mão, no Dragão por 5-1 e pouco pode fazer contra o poderio português. É verdade que em 2002-03, tivemos duas equipas nas meias-finais (FC Porto e Boavista), mas, três, nem as principais potências europeias fizeram isso muitas vezes nas três competições europeias que se disputam ou disputavam, a Taça das Taças foi extinta em 1998-99. Na final, equilibrada, um golo de Falcao fez a diferença e oito anos depois FC Porto voltou a vencer a agora designada Liga Europa.

Esta, uma das melhores equipas da história do futebol português ao nível de clubes, no campeonato passeou e festejou o título na Luz às escuras e com o sistema de rega ligado! O Benfica ficou em segundo a 21 pontos de distância, ou seja, ninguém tinha qualidade para se opor aos portistas. Num campeonato sem grandes destaques além disso, isto é,  nenhuma equipa teve uma classificação histórica, melhor de sempre ou que as recentes, as últimas duas décadas, o FC Porto foi o inatacável campeão sem derrotas, algo que só tinha acontecido uma vez, a supracitada em 1972-73, pelo Benfica e só seria repetido mais uma vez, mas, com uma equipa longe de atingir o nível desta nas competições europeias. Era realmente uma equipa que marcou e vai ficar para sempre na história do futebol português como uma das melhores de sempre!

2010-11 J V E D GOLOS P
1-FC Porto 30 27  3  0 73-16 84
2-Benfica 30 20  3  7 61-31 63
3-Sporting 30 13  9  8 41-31 48
4-Sporting Braga 30 13  7 10 45-33 46
5-Vitória Guimarães 30 12  7 11 36-37 43
6-Nacional 30 11  9 10 28-31 42
7-Paços Ferreira 30 10 11  9 35-42 41
8-Rio Ave 30 10  8 12 35-33 38
9-Marítimo 30  9  8 13 33-32 35
10-União Leiria 30  9  8 13 25-38 35
11-Olhanense 30  7 13 10 24-34 34
12-Vitória Setúbal 30  8 10 12 29-42 34
13-Beira-Mar 30  7 12 11 32-36 33
14-Académica 30  7  9 14 32-48 30
15-Portimonense 30  6  7 17 29-49 25
16-Naval 1ºMaio 30  5  8 17 26-51 23

 

2010-11: FC Porto, 1ºlugar CASA FORA
Benfica 5-0 2-1
Sporting 3-2 1-1
Sporting Braga 3-2 2-0
Vitória Guimarães 2-0 1-1
Nacional 3-0 2-0
Paços Ferreira 3-3 3-0
Rio Ave 1-0 2-0
Marítimo 4-1 2-0
União Leiria 5-1 2-0
Olhanense 2-0 3-0
Vitória Setúbal 1-0 4-0
Beira-Mar 3-0 1-0
Académica 3-1 1-0
Portimonense 2-0 3-2
Naval 1ºMaio 3-1 1-0
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
14 1 0 43-11 13 2 0 30-5
TOTAL
J V E D GOLOS P
30 27 3 0 73-16 84

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A primeira subida do Portimonense à primeira: 1975-76

fpf 2

 

1975-76 J V E D GOLOS P
1-Portimonense 38 24  7  7 82-45 55
2-Montijo 38 21 10  7 61-33 52
3-Peniche 38 19  9 10 50-36 47
4-Marítimo 38 16 13  9 48-32 45
5-Caldas 38 17  9 12 55-44 43
6-Oriental 38 14 14 10 47-32 42
7-Barreirense 38 14 12 12 41-39 40
8-Esperança Lagos 38 15 10 13 49-39 40
9-Olhanense 38 13 12 13 40-32 38
10-Torreense 38 12 14 12 48-51 38
11-Estrela Portalegre 38 15  8 15 46-39 38
12-Juventude Évora 38 12 13 13 39-34 37
13-Almada 38 16  4 18 42-39 36
14-União Santarém 38 14  8 16 34-47 36
15-Sintrense 38  9 17 12 33-40 35
16-Sesimbra 38 12 10 16 33-42 34
17-União Leiria 38 11 12 15 42-52 34
18-Lusitano Évora 38  9 11 18 30-55 29
19-Torres Novas 38  7  7 24 35-86 21
20-União Montemor 38  6  8 24 18-56 20

 

O Algarve até à época de 1975-76 só tinha tido três equipas a participar na I Divisão: Olhanense, Farense e Lusitano VRSA. Os melhores resultados então foram um quarto lugar do Olhanense em 1945-46 e dois quintos lugares em 1942-43 e 1943-44. O Lusitano VRSA tinha participado três vezes entre 1947-48 e 1949-50 (não participou mais nenhuma vez até hoje). O Farense tinha se estreado em 1970-71 no primeiro escalão do futebol português.

O Portimonense, curiosamente no ano em que o Farense desceu à segunda, conseguiu finalmente a sua promoção à então I Divisão, depois de décadas a procurar este feito. Alcançou-o ao ganhar a Zona Sul da II Divisão, com uma vantagem de três pontos perante o segundo classificado, o Montijo. O Montijo subiria depois na liguinha.

Seria uma estadia curta na I Divisão, só duraria duas épocas, mas lançou as fundações para os anos 80, onde os algarvios estariam por onze épocas consecutivas no escalão máximo do futebol português, conseguindo mesmo qualificar-se para as provas europeias, em virtude de um quinto lugar em 1984-85.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑