XXII Europeu de Voleibol Feminino, 2001, Bulgária: tricampeonato para a Rússia

cev 9

 

 

 

 

 

 

2001- Bulgária: Rússia

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 1) França 3-0 (25-23,25-22,25-16)
      Grécia 3-0 (25-13,25-20,25-19)
      República Checa 3-0 (25-12,25-15,25-13)
      Roménia 3-0 (25-17,25-13,25-10)
      Bulgária 3-0 (25-22,25-16,25-12)
    Meias-finais Ucrânia 3-0 (25-18,25-19,25-17)
    FINAL Itália 3-2 (21-25,25-23,25-23,18-25,15-6)
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

Em 2001, na Bulgária, no Europeu de Voleibol Feminino, a Rússia fez o tricampeonato. Depois de ter triunfado também em 1997 e 1999. Foi o seu 17ºtítulo. Uma prova convincente até à final já que não cedeu nenhum set até esse patamar, nem mesmo nas meias-finais. A final já foi mais complicada, só superou a Itália na negra, ao fim de cinco sets. A Itália e esta medalha de prata, na altura, era a sua melhor classificação de sempre. Ainda esperou mais uns anos para o ouro que viria nesta mesma década. A Bulgária conquistou o bronze 22 anos depois do último em 1979. Melhor que isto só título de 1981. A Ucrânia foi a sensação do torneio ao ficar em quarto lugar. Melhor só o terceiro de 1993.

 

Anúncios

IV Mundial de Voleibol Feminino 1962, União Soviética: título para o Japão

fivb 8

 

O Campeonato do Mundo de voleibol feminino de 1962 realizou-se na União Soviética. As soviéticas que tinham ganho os primeiros três mundiais foram surpreendidas em casa pela seleção do Japão que assim celebrou o seu primeiro título mundial. E não se pode sequer por em causa este feito! Em nove encontros só cederam um set perante as anfitriães. De resto tudo 3-0. Assim as nipónicas foram justamente campeãs mundiais.  A prata foi para as russas, a primeira da história. O bronze pela segunda e última vez para a Polónia, depois do de 1956, não mais estiveram no pódio desde então. A Bulgária ficou com o quarto lugar também pela segunda vez, a primeira foi em 1952. Até aos dias de hoje as búlgaras ainda não fizeram igual ou melhor. Numa prova que mais uma vez não teve final e foi decidida por um grupo final onde quem ganhasse mais jogos era campeão.

 

 

 

 

 

1962, União Soviética: Japão

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo C) RDA 3-0 (15-7,15-10,15-1)
      Coreia do Norte 3-0 (15-2,15-6,15-11)
      China 3-0 (15-5,15-12,15-7)
    Fase Final [RDA 3-0 (15-7,15-10,15-1] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Polónia 3-0 (15-3,15-5,15-2)
      Bulgária 3-0 (15-3,15-2,15-8)
      União Soviética 3-1 (14-16,15-7,15-11,15-3)
      Brasil 3-0 (15-4,15-2,15-4)
      Roménia 3-0 (15-2,15-0,15-1)
      Checoslováquia 3-0 (15-2,15-4,15-1)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

XXI Europeu de Voleibol Feminino 1999 Itália: título para as russas

cev 2

O Europeu de voleibol feminino disputou-se em 1999 na Itália. Ficou marcado por um aspeto peculiar. A Croácia perdeu a terceira final seguida e todas sem ganhar um set. Acusaram sempre a pressão da importância de um jogo desse calibre. Para a Rússia foi ótimo pois assim revalidou o título novamente diante das croatas. Uma prova onde esta nação em cinco jogos só cedeu um set frente à Itália na primeira fase. Uma vitória concludente da seleção com mais palmarés neste evento. A Itália conseguiu o bronze repetindo o alcançado em 1989, à altura era a melhor classificação de sempre. A Alemanha ficou um quarto, uma posição respeitável para quem tinha acabado de se unificar.

 

 

 

 

 

1999-Itália: Rússia

   
   
       
       
       
  1ªfase (Grupo A) Holanda 3-0 (26-24,25-11,25-20)
    Roménia 3-0 (25-17,25-18,25-20)
    Itália 3-1 (22-25,25-21,27-25,25-19)
  Meias-finais Alemanha 3-0 (25-14,25-9,25-16)
  FINAL Croácia 3-0 (25-18,25-19,25-12)
       
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

III Mundial de Voleibol Feminino, 1960, Brasil: tricampeonato para a União Soviética

fivb 6

 

O Brasil foi palco do III Mundial de Voleibol Feminino em 1960. As vencedoras foram as mesmas de edições anteriores: as soviéticas. Numa prova com um formato sem final: disputava-se uma primeira fase de grupos, as seleções apuradas encontravam-se numa fase final, todas contra todas, o que mais vitórias conseguisse era campeão. A União Soviética venceu todos os jogos, os últimos três com dificuldade, contudo, assim, celebrou o seu terceiro título consecutiva, coisa que mais ninguém repetiu até aos dias de hoje. O Japão foi a surpresa, conseguindo a sua primeira medalha, neste caso de prata, mas, no futuro, mostraria que isto não tinha sido obra do acaso! A Checoslováquia, terceira classificada, teve aqui o seu último pódio da história neste evento. O quarto lugar foi para a Polónia, não mais o repetiu, apesar de ter conseguido mais um pódio no futuro.

 

 

 

 

 

 

1960-Brasil: União Soviética

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo C) Perú 3-0 (15-4,15-1,15-3)
      Checoslováquia 3-0 (15-10,15-8,15-9)
    Fase Final [Checoslováquia 3-0 (15-10,15-8,15-9)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      EUA 3-0 (16-14,15-5,15-5)
      Japão 3-1 (15-6,12-15,15-13,15-13)
      Polónia 3-2 (8-15,15-8,9-15,15-13,16-14)
      Brasil 3-1 (13-15,15-9,15-5,15-6)
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

II Mundial de Voleibol Feminino, 1956, França: bis para a União Soviética

fivb4

A França albergou esta segunda edição do Mundial de Voleibol feminino em 1956. A União Soviética fez o bis depois de ter conquistado o primeiro em 1952. A Roménia conquistou a medalha de prata sua melhor classificação de sempre neste evento. A Polónia conquistou o bronze. Quanto à URSS venceu todos os jogos, o mais difícil foi contra a Roménia, com uma recuperação depois de ter perdido os dois primeiros sets. Esta vitória fez toda a diferença pois se o triunfo tivesse pendido para as romenas, seriam estas as campeãs. Como as russas prevaleceram conquistaram assim o seu segundo título mundial. Um formato de apuramento de campeão que seguiu o mesmo da outra edição: uma primeira fase de grupos, onde, após esta se encontravam num grupo final de dez seleções onde quem triunfasse mais era campeão. Apesar desse jogo renhido com a Roménia, a União Soviética ganhou todos os outros jogos, festejando assim o seu segundo troféu neste evento.

 

1956-França: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Luxemburgo 3-0 (15-1,15-2,15-0)
      EUA 3-0 (15-7,15-4,15-6)
      Israel 3-0 (15-2,15-2,15-0)
    Fase Final [EUA 3-0 (15-7,15-4,15-6)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      China 3-0 (15-8,15-0,15-9)
      Coreia do Norte 3-0 (15-6,15-6,15-7)
      Roménia 3-2 (12-15,11-15,15-6,15-2,15-8)
      Holanda 3-0 (15-2,15-7,15-12)
      RDA 3-0 (15-1,15-2,15-3)
      Bulgária 3-0 (15-12,15-7,15-12)
      Polónia 3-1 (15-4,9-15,15-6,

15-6)

      Checoslováquia 3-0 (15-13,15-8,15-5)
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

XX Europeu de Voleibol Feminino, 1997, República Checa: vitória da Rússia

cev 2

 

Apesar do fim da URSS, a Rússia continuava a dominar o panorama europeu de voleibol feminino. Depois, do título da Holanda em 1995, parece que tudo regressava ao que era normal na altura: Rússia campeã da Europa. Um torneio realizado na República Checa onde as anfitriãs surpreenderam e chegaram às meias-finais. Quanto às russas, nada a dizer, venceram os jogos todos, só cederam dois sets ao longo do torneio e na final uma vitória concludente diante da Croácia. As croatas voltavam à final pela segunda vez consecutiva e o resultado o mesmo, derrota por três sets a zero, repetindo o desfecho de 1995, aí contra a Holanda. Uma medalha de prata, mas nunca passaram disto iriam perder outro jogo decisivo. A Rússia continuava a dominar, uma hegemonia que se iria prolongar no tempo.

1997: República Checa: Rússia
   
 
 
  1ªfase (Grupo 1) Bielorrússia 3-1 (15-11,15-3,9-15,15-4)
  Holanda 3-0 (15-11,15-5,15-5)
  Letónia 3-0 (15-2,15-5,15-8)
  Bulgária 3-0 (15-0,15-0,15-0)
  Polónia 3-1 (15-6,15-13,3-15,15-7)
  Meias-finais República Checa 3-0 (15-4,15-2,15-1)
  FINAL Croácia 3-0 (15-7,15-12,15-9)
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

I Mundial de Voleibol Feminino, 1952, URSS: título para a União Soviética

fivb

Com um formato onde oito seleções se encontravam entre elas, num minicampeonato, onde quem ganhasse mais jogos era campeã. Isto ocorreu em 1952, na União Soviética que assim organizou o primeiro Campeonato do Mundo de voleibol feminino. E tal como sucedeu nos masculinos a URSS ganhou. Com uma particularidade: triunfou, vencendo todos os jogos sem ceder um único set, o que demonstra não só a superioridade das russas, como o passeio que deram, não deixando qualquer dúvida em relação a quem merecia este troféu. Foi o primeiro título da União Soviética neste torneio, mais se seguiriam. A Polónia ficou em segundo e este ainda é o seu melhor resultado de sempre, ainda por igualar.

1952: URSS: URSS
   
 
 
  Fase Final Bulgária 3-0 (15-10,15-4,15-6)
  Roménia 3-0 (15-5,15-3,15-7)
  Checoslováquia 3-0 (15-10,15-5,15-6)
  Índia 3-0 (15-0,15-1,15-1)
  França 3-0 (15-2,15-3,15-7)
  Hungria 3-0 (15-2,15-5,15-4)
  Polónia 3-0 (15-8,15-4,15-8)
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

 

XVIII Europeu de Voleibol Feminino, 1993, Checoslováquia: título para a Rússia

 

 

1993, Checoslováquia: Rússia
   
 
 
  1ªfase (Grupo 2) Ucrânia 0-3 (10-15,13-15,7-15)
  Bielorrússia 3-0 (15-5,15-3,15-6)
  Grécia 3-1 (15-5,10-15,15-7,15-3)
  Roménia 3-0 (15-4,15-7,15-5)
  Alemanha 3-0 (15-3,15-7,15-9)
  Meias-finais Itália 3-1 (15-9,12-15,16-14,15-2)
  FINAL Checoslováquia 3-0 (17-15,15-3,15-6)
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

cev 2

 

Em 1993, a União Soviética estava dissolvida. Parecia um raio de esperança para os adversários deste país que tinha dominado hegemonicamente esta competição. E o início parecia dar-lhes razão já que as russas perderam o primeiro jogo, da fase de grupos, por 3-0, diante da Ucrânia. Porém, este foi um pequeno percalço numa caminhada rumo ao título. Não mais perderam, cederam apenas mais dois sets, e conquistaram mais um título. O primeiro pós URSS. As coisas politicamente mudavam, mas desportivamente o vencedor continuava a ser o mesmo. No entanto, no futuro as coisas mudariam. A Rússia não deixou de triunfar, todavia, não o fez  como nos tempos da União Soviética, houve outras campeãs, embora as russas continuassem a triunfar.

Leixões o primeiro de onze seguidos: 1975-76

fpv 1

Esta é a imagem do título conquistado em 2016-17. 25 anos depois do último e 16º do historial do clube. Todavia, houve um período na história do campeonato de voleibol feminino em que o Leixões colecionava títulos. Ano após ano. Hoje deixo a classificação de um início de algo bonito, que começou em 1975-76. Entre 1975-76 e 1985-86, as matosinhenses venceram onze campeonatos seguidos, algo sem paralelo no palmarés da modalidade. Além disso, junte-se mais cinco Taças de Portugal. Um domínio hegemónico. Apenas no andebol feminino, por parte, do Madeira SAD, se encontra algo parecido. Nesse hiato temporal, quase ninguém as batia. Ainda, este ciclo começou e interrompeu a série de nove campeonatos seguidos pelo Benfica. Porém, as lisboetas não ganharam mais nada nesta vertente e género. O Leixões não mais conseguiu tal sequência, mas ainda ganhou mais alguns troféus. Mas isto foi algo de incrível! Provavelmente irrepetível!

De referir que em 1975-76 não havia segundas fases, divisões em grupos ou play-offs. Jogavam as quatro melhores equipas do Norte e do Sul respetivamente. Depois, quem ficasse em primeiro, após 14 jogos, todos contra todos, casa e fora era considerado campeão.

 

1975-76 J V D SETS P
1-Leixões 14 13  1 41-11 27
2-CDUP 14 11  3 38-10 25
3-Benfica 14 11  3 36-16 25
4-Vila Real 14  9  5 32-18 23
5-Sporting Braga 13  4  9 16-30 17
6-Desportivo Póvoa 14  3 11 16-36 17
7-CDUL 14  2 12 10-38 16
8-Escola Matosinhos 13  2 11  8-34 15

 

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑