III Mundial de Basquetebol Feminino, 1959, União Soviética: título para as russas

O terceiro mundial de basquetebol feminino teve lugar na União Soviética, em 1959. Desta vez foi apenas decidido num único grupo com oito seleções, onde quem ganhasse mais jogos sagrar-se-ia campeão. Os EUA não participaram. Sem a oposição das americanas, as russas não tiveram grandes dificuldades em conquistar este título. Já dominavam a nível europeu, isto foi só juntar o útil ao agradável, o seu primeiro cetro mundial. Venceram todos os seus jogos por mais de dez pontos, o que expressa esse sinal, não houve adversários à altura. A Bulgária, ao ser segunda classificada, alcançou a sua melhor classificação de sempre, não mais superada ou igualada. A Checoslováquia conseguiu mais um pódio, o segundo bronze. A Jugoslávia obteve um honroso quarto lugar, que ainda ia demorar um tempo até ser repetido.

 

fiba 13

 

 

 

 

 

 

1959-União Soviética: União Soviética

   
   
         
         
         
    Fase Final Jugoslávia 80-42
      Polónia 67-45
      Hungria 51-29
      Coreia do Sul 89-24
      Checoslováquia 59-46
      Roménia 70-39
      Bulgária 51-38
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Anúncios

III Mundial de Voleibol, 1956, França: Checoslováquia campeã

fivb 5

 

O Campeonato do Mundo de Voleibol de 1956 disputou-se na França. O campeão não foi a União Soviética que tinha ganho as primeiras duas edições deste evento. Não só isto aconteceu como ficaram em terceiro. Ainda não havia finais nesta prova. A uma primeira fase de grupos, seguia-se um grupo final com dez equipas, todos contra todos, onde quem ganhasse mais jogos alcançava o título. Foi isso mesmo que a Checoslováquia fez: triunfou nesses nove encontros e sagrou-se campeã mundial. A Roménia foi segunda, ainda, atualmente, o seu melhor resultado, igualado mais tarde, mas nunca superado. Nos dias que correm, ver os romenos em segundo numa prova deste calibre, é quase uma miragem, embora, estes tenham conquistado um Europeu nos anos 60. O terceiro classificado foi a União Soviética, a pior posição de sempre até 1956. No futuro, quer os soviéticos, quer a Rússia, depois do fim destes, fizeram provas piores, mas, à altura era assim.

Portugal estreou-se neste evento, participando pela primeira vez. Alcançou um lugar a meio da tabela, décimo quinto. Foi uma presença razoável, podia-se ter subido um ou dois lugares nesta tabela, mas não foi mau. Teríamos que esperar pelo século XXI para voltarmos a competir neste evento.

 

 

 

 

 

 

 

1956-França: Checoslováquia

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo B) RDA 3-0 (15-5,15-4,15-7)
    Fase Final Jugoslávia 3-1 (15-9,15-13,7-15,15-6)
      Roménia 3-2 (3-15,11-15,15-9,15-2,15-3)
      China 3-0 (15-13,15-3,15-8)
      França 3-0 (15-2,15-3,15-5)
      Polónia 3-0 (15-8,15-8,15-9)
      Hungria 3-0 (15-5,15-9,15-6)
      Bulgária 3-2 (15-11,11-15,17-19,15-8,17-15)
      EUA 3-0 (15-4,15-8,15-10)
      URSS 3-2 (9-15,15-3,15-13,9-15,15-12)
         
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

II Mundial de Voleibol Feminino, 1956, França: bis para a União Soviética

fivb4

A França albergou esta segunda edição do Mundial de Voleibol feminino em 1956. A União Soviética fez o bis depois de ter conquistado o primeiro em 1952. A Roménia conquistou a medalha de prata sua melhor classificação de sempre neste evento. A Polónia conquistou o bronze. Quanto à URSS venceu todos os jogos, o mais difícil foi contra a Roménia, com uma recuperação depois de ter perdido os dois primeiros sets. Esta vitória fez toda a diferença pois se o triunfo tivesse pendido para as romenas, seriam estas as campeãs. Como as russas prevaleceram conquistaram assim o seu segundo título mundial. Um formato de apuramento de campeão que seguiu o mesmo da outra edição: uma primeira fase de grupos, onde, após esta se encontravam num grupo final de dez seleções onde quem triunfasse mais era campeão. Apesar desse jogo renhido com a Roménia, a União Soviética ganhou todos os outros jogos, festejando assim o seu segundo troféu neste evento.

 

1956-França: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Luxemburgo 3-0 (15-1,15-2,15-0)
      EUA 3-0 (15-7,15-4,15-6)
      Israel 3-0 (15-2,15-2,15-0)
    Fase Final [EUA 3-0 (15-7,15-4,15-6)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      China 3-0 (15-8,15-0,15-9)
      Coreia do Norte 3-0 (15-6,15-6,15-7)
      Roménia 3-2 (12-15,11-15,15-6,15-2,15-8)
      Holanda 3-0 (15-2,15-7,15-12)
      RDA 3-0 (15-1,15-2,15-3)
      Bulgária 3-0 (15-12,15-7,15-12)
      Polónia 3-1 (15-4,9-15,15-6,

15-6)

      Checoslováquia 3-0 (15-13,15-8,15-5)
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

II Mundial de Voleibol, 1952, URSS: título para os russos

fivb 2

 

Depois de vencer em 1949 os russos renovaram o título, conquistando assim a segunda edição deste torneio, pela segunda vez comemoraram o título mundial de voleibol. Mais uma vez o torneio teve um formato diferente do que agora é hábito: uma primeira fase de grupos, depois, as seleções apuradas iriam, num grupo de seis, todas contra todas, onde quem ganhasse mais jogos era campeão. O pódio foi todo oriundo do bloco de leste; aliás, os primeiros quatro classificados era idêntico ao de 1949: ouro para a URSS, prata para a Checoslováquia, bronze para a Bulgária e quarto lugar para a Roménia. Todos melhorariam os seus resultados no futuro. Quanto aos soviéticos, um torneio perfeito, não cederam qualquer set. Um triunfo inquestionável e que não deixou margens para dúvidas. Nestas primeira edições era muito difícil derrotar estes atletas da ex: União Soviética.

1952-URSS: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo B) Israel 3-0 (15-2,15-4,15-1)
      Roménia 3-0 (15-10,15-2,15-8)
      Líbano 3-0 (15-1,15-1,15-6)
    Fase Final Hungria 3-0 (15-3,15-5,15-12)
      Roménia 3-0 (15-5,15-6,15-10)
      Bulgária 3-0 (15-11,15-10,15-5)
      França 3-0 (15-6,15-11,15-8)
      Checoslováquia 3-0 (15-11,15-7,15-6)
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

II Mundial de Basquetebol Feminino 1957 Brasil: bi para os EUA

1957- Brasil: EUA
   
 
 
  1ªfase (Grupo A) Perú 75-37
  Argentina 64-39
  Checoslováquia 50-53
  Fase Final Hungria 51-46
  Brasil 67-44
  Chile 76-47
  Checoslováquia 61-55
  Paraguai 60-40
  URSS 51-48
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

A segunda edição do mundial de basquetebol feminino realizou-se no Brasil, em 1957. Os favoritos eram os do costume: EUA, URSS, Brasil e Checoslováquia, mais os primeiros. Segundo torneio, segundo título para as americanas. A fase de grupos nem foi a melhor, perderam um jogo, mas, como ganharam os outros dois apuraram-se para a fase final. Esta consistia em um grupo de sete equipas, todos contra todos, o que ganhasse mais jogos era campeão. Os EUA venceram todos os jogos e sagraram-se campeões. Um caminho com encontros muitos renhidos, sobretudo o decisivo para a atribuição do título diante das russas que ficou decidido por uma diferença de 3 pontos. Cinco foi a margem de vitória contra a Hungria no primeiro encontro desta etapa. Ao triunfarem neste seis jogos, uns mais difíceis que outros, fizeram a festa.

O pódio ficou concluído com o segundo lugar da URSS e o bronze para a Checoslováquia. Resultados que ambas as nações iriam melhorar no futuro. O Brasil ficou em quarto, igualando o resultado da edição anterior; também iria fazer mais nas edições seguintes.

 

fiba 8

XX Europeu de Basquetebol Feminino, 1985, Itália: mais um para a URSS

fiba 6

 

Mais um Europeu de Basquetebol Feminino mais um título incontestável, indiscutível e…que pareceu fácil, aliás, muito fácil! Para se ter uma ideia, o jogo mais renhido da União Soviética foi o primeiro diante do país organizador a Itália, que acabou com uma vantagem de 18 pontos para as russas! De resto, margens de mais de vinte pontos, inclusive na final triunfo por 103-69, contra a Bulgária, o que demonstra a diferença e o domínio da URSS no panorama do basquetebol europeu feminino. Domínio que só se perdeu com a desintegração desta nação no início da década 90. O primeiro Europeu disto foi nos anos 30, com a vitória da Itália. Desde aí, até 1985, só um título fugiu às russas; que mais é preciso dizer?! Em 1985, na Itália, ninguém foi capaz de sequer equilibrar os jogos. Nada a dizer uma hegemonia absoluta.

 

1985: Itália: URSS
   
 
 
  1ªfase (Grupo B) Itália 75-57
  Bélgica 95-46
  Hungria 87-65
  Polónia 77-51
  Espanha 115-42
  Meias-finais Checoslováquia 111-43
  FINAL Bulgária 103-69
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

 

XX Europeu de Basquetebol 1977, Bélgica: tri para a Jugoslávia

1977: Bélgica: Jugoslávia
   
 
 
  1ªfase (Grupo B) Espanha 79-76
  Finlândia 88-80
  Bélgica 111-83
  Holanda 111-75
  Checoslováquia 103-111
  Meias-finais Itália 88-69
  FINAL URSS 74-61
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

A Jugoslávia era bicampeã europeia aqui, em 1977, na Bélgica fez o tri. Depois da hegemonia soviética veio a jugoslava. Seria a partir da década de 70 que este país começou a afirmar-se como uma potência do basquetebol europeu e mundial. Na primeira fase de grupos cedeu uma derrota diante da Checoslováquia. Não foi muito penalizante pois já tinha o apuramento garantido quando se chegou a esse encontro. Depois nas meias-finais uma vitória fácil diante da Itália. Na final, contra os anteriores dominadores deste evento, a União Soviética, uma vitória surpreendentemente fácil, treze pontos de diferença, chegando assim ao seu terceiro título europeu de basquetebol. Não seria o último. Finalmente, os russos tinham um oponente à altura, embora este não deixariam que isto ficasse assim nas próximas edições do torneio.

 

fiba 5

I Mundial de Voleibol Feminino, 1952, URSS: título para a União Soviética

fivb

Com um formato onde oito seleções se encontravam entre elas, num minicampeonato, onde quem ganhasse mais jogos era campeã. Isto ocorreu em 1952, na União Soviética que assim organizou o primeiro Campeonato do Mundo de voleibol feminino. E tal como sucedeu nos masculinos a URSS ganhou. Com uma particularidade: triunfou, vencendo todos os jogos sem ceder um único set, o que demonstra não só a superioridade das russas, como o passeio que deram, não deixando qualquer dúvida em relação a quem merecia este troféu. Foi o primeiro título da União Soviética neste torneio, mais se seguiriam. A Polónia ficou em segundo e este ainda é o seu melhor resultado de sempre, ainda por igualar.

1952: URSS: URSS
   
 
 
  Fase Final Bulgária 3-0 (15-10,15-4,15-6)
  Roménia 3-0 (15-5,15-3,15-7)
  Checoslováquia 3-0 (15-10,15-5,15-6)
  Índia 3-0 (15-0,15-1,15-1)
  França 3-0 (15-2,15-3,15-7)
  Hungria 3-0 (15-2,15-5,15-4)
  Polónia 3-0 (15-8,15-4,15-8)
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

 

I Mundial de Voleibol, 1949, Checoslováquia: campeonato para a União Soviética

1949: Checoslováquia: URSS
   
 
 
  1ªfase (Grupo A) Bélgica 3-0 (15-1,15-6,15-3)
  Roménia 3-0 (15-4,15-6,16-14)
  Hungria 3-0 (15-9,15-3,15-9)
  Fase Final Roménia 3-1 (14-16,15-6,15-6,15-11)
  Polónia 3-0 (15-9,15-5,15-6)
  Bulgária 3-0 (15-8,15-4,15-1)
  França 3-0 (15-4,15-1,15-0)
  Checoslováquia 3-1 (15-7,15-11,17-19,15-13)
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

O primeiro campeonato do Mundo de Voleibol foi disputado em 1949, na Checoslováquia. Depois de outras modalidades se terem lançado com esta competição, em 1949 foi a vez do voleibol. Com um formato comum a quase todas as modalidades exceto o futebol, isto é: uma primeira fase de grupos, onde os dois primeiros se apuravam para um grupo final de seis seleções, todos contra todos, onde quem ganhasse mais jogos era campeão. Assim, a União Soviética venceu esses seis jogos, depois de ter triunfado também nos três encontros da primeira fase de grupos, conseguindo desta forma o seu primeiro título mundial. Numa prova marcada pelo domínio das nações para lá da cortina de ferro, monopolizaram os quatro primeiros lugares. Uma preponderância que se iria manter durante algumas edições. Para os russos foi o primeiro troféu neste evento; não seria o último.

 

fibv

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑