XIX Europeu de Voleibol Feminino, 1995, Holanda: Holanda campeã

cev 2

 

A Holanda organizou esta edição do Europeu de Voleibol Feminino. Uma prova que contou com uma final de certa forma inesperada, entre a Croácia e a Holanda. A favorita Rússia foi eliminada pelas anfitriães nas meias. Tendo em conta que as holandesas perderam as últimas duas finais, em 2015 e 2017, tem que se dar valor a este facto: em 1995 conquistaram o seu único título europeu que ostentam no palmarés. Curiosamente a única derrota neste evento foi na fase de grupos, diante da Croácia. Na final tiveram a sua vingança onde triunfaram por fáceis 3-0, num jogo que em princípio deviam ter tido mais dificuldades. Infelizmente, a Holanda não deu ainda seguimento a este título, continuando a ser o único da sua história.

1995, Holanda: Holanda    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 2) Bulgária 3-1 (15-9,15-9,8-15,15-10)
      Itália 3-0 (15-10,15-13,15-5)
      Turquia 3-0 (15-11,15-7,15-12)
      Croácia 2-3 (15-12,11-15,11-15,15-12,11-15)
      República Checa 3-0 (15-7,15-4,15-13)
    Meias-finais Rússia 3-1 (15-7,15-7,12-15,15-7)
    FINAL Croácia 3-0 (15-7,15-13,15-2)
         
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Anúncios

XIX Europeu de Basquetebol, 1975, Jugoslávia: título para os anfitriões

fiba 2

 

Depois do título de 1973, pondo fim à hegemonia soviética, em casa, a Jugoslávia alcançou o bi, somando o título de 1975 ao de dois anos atrás. Um campeonato em que não houve final. Houve sim um grupo final de cinco equipas, todos contra todos, acumulando o resultado da primeira fase de grupos da outra seleção qualificada do mesmo grupo, onde quem ganhasse mais encontros era campeã. A Jugoslávia transitou com uma vitória frente à Itália conseguida na primeira fase de grupos e venceu os outros quatro atingindo assim o seu segundo troféu, o seu segundo campeonato. Apenas a vitória, decisiva na atribuição do título, diante da União Soviética, foi por menos de dez pontos, seis no caso (90-84). De resto, tudo triunfos concludentes. Assim, a Jugoslávia somou o seu segundo Eurobasket. E esta geração ainda não tinha acabado.

 

1975, Jugoslávia: Jugoslávia    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Holanda 102-76
      Turquia 92-65
      Itália 83-69
    2ªfase (Grupo II) [Itália 83-69] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Espanha 98-76
      Checoslováquia 84-68
      Bulgária 105-76
      URSS 90-84
         
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

XVI Europeu de Voleibol Feminino, 1989, RFA: título soviético

Depois de terem perdido o título, em 1987, para a RDA, a União Soviética voltou a conquistá-lo. Não teve oposição até à final, já que, chegou lá sem ceder um único set. Um passeio até ao jogo decisivo, mostrando, que ainda eram uma potência da modalidade, à altura, provavelmente a seleção mais forte da Europa e uma das melhores do Mundo. Na final, diante da RDA, as coisas não foram assim tão simples. Cederam um set, o primeiro, e venceram os três seguintes, mas todos decididos nas vantagens (16-14,15-13,15-13). Assim, alcançaram mais um título europeu de voleibol feminino a juntar ao seu vasto palmarés. As conquistas, ao contrário da equipa masculina da Rússia, continuaram após o fim da URSS. Nos homens só um título após isso. Na equipa feminina seis, o que demonstra o lugar da Rússia no panorama internacional desta modalidade.

 

 

1989, RFA: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 1) Turquia 3-0 (15-5,15-9,15-8)
      Roménia 3-0 (15-7,16-14,16-14)
      Jugoslávia 3-0 (15-12,17-16,15-8)
      Finlândia 3-0 (15-3,15-1,15-7)
      RFA 3-0 (15-9,15-7,15-4)
    Meias-finais Itália 3-0 (15-10,15-7,15-8)
    FINAL RDA 3-1 (8-15,16-14,15-13,15-13)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

cev 2

VI Taça das Confederações, 2003, França: vitória dos anfitriões

Pela segunda edição consecutiva, em 2003, a França voltou a vencer este evento, organizado por si. O Brasil foi a grande desilusão, já que era o campeão mundial, título conquistado em 2002 no continente asiático. Aqui, não passou a fase de grupos, porque a Turquia tinha uma diferença igual de golos, mas com mais marcados que os brasileiros. Um fiasco! Contudo, nas edições seguintes estes iam compensar este desastre.

Quanto aos gauleses, a sua vitória não podia ser mais inequívoca, ganharam todos os seus jogos, só sofreram três golos e golearam a Nova Zelândia por 5-0. Após, uma fase de grupos, onde venceram todos os jogos, as meias-finais, frente à Turquia, foi um encontro equilibrado e empolgante, já que, a França venceu por três a dois, passando assim à final.

A final, frente, a mais uma surpresa tão caraterística deste evento, os Camarões, só foi decidido no prolongamento, onde os franceses venceram por um a zero. Os africanos continuam a ser a única equipa desse continente a chegar à final. Aliás, esta prova todas as confederações já atingiram a final. Um fato transversal nesta organização, não repetido no Mundial.

fifa 6

 

2003-França: França
 
 
 
1ªfase (Grupo A) Colômbia 1-0
Japão 2-1
Nova Zelândia 5-0
Meias-finais Turquia 3-2
FINAL Camarões 1-0 a.p.
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

XII Europeu de Voleibol feminino, 1981, Bulgária: Primeiro título para a Bulgária

 Após décadas de domínio por parte das soviéticas no Campeonato Europeu de Voleibol, esse chegou ao fim, em 1981, na Bulgária. Quem conseguiu tal feito foi o país anfitrião, ou seja, a Bulgária, Um título ganho com alguma facilidade, já que, venceu todos os jogos e só frente à Hungria, na primeira fase de grupos, é que foi a cinco sets. Nos restantes vitórias mais ao menos tranquilos e sobretudo, no último encontro, frente à múltipla campeã, a União Soviética, uma vitória clara, por três sets a zero. Finalmente, alguém conseguiu acabar com a hegemonia russa e este alguém foi a Bulgária, em casa, no setor feminino.

cev

1981-Bulgária:
Bulgária
   
    1ªfase(Grupo 3) RFA 3-0 (15-4,16-14,15-8)
  Turquia 3-0 (15-4,15-9,15-4)
  Hungria 3-2 (15-13,6-15,13-15,15-5,15-10)
  Fase Final [Hungria 3-2 (15-13,6-15,13-15,15-5,15-10)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
  Polónia 3-0 (15-6,15-10,15-5)
  Checoslováquia 3-1 (10-15,15-3,15-2,15-9)
  RDA 3-1 (15-3,15-0,11-15,15-4)
  URSS 3-0 (15-6,15-13,15-12)
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

XI Europeu de Basquetebol, 1959, Turquia: celebraram os soviéticos

1959-Turquia:
URSS
   
    1ªfase

(Grupo C)

França 80-48
  RDA 87-37
  Israel 90-44
  Itália 59-44
  2ªfase (Grupo 1) Polónia 78-59
  Bulgária 66-60
  Hungria 69-60
  Fase Final [Hungria 69-60] -resultado que transita da 2ªfase acumulando aos jogos desta fase final
  Checoslováquia 83-72
  França 88-72
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

O Europeu de Basquetebol, em 1959, realizou-se na Turquia. Como vinha sendo habitual, os russos festejaram novo título. Com um formato onde se chegou a disputar três fases de grupo, a última para apurar o campeão, nada deteve os soviéticos que com maior ou menor dificuldade ganharam todos os encontros, tornando-se num campeão invicto, apesar das três fases de grupo. Foi mais um para este país, o seu domínio ainda se iria estender até à década de 60, quando chegou outra seleção com armas para lutar contra isto, os jugoslavos. Mas, até lá, poucos, durante cerca de duas décadas, se conseguiram bater contra a União Soviética.

fiba 2

X Europeu de Basquetebol, 1957, Bulgária: mais um troféu para os soviéticos

Mais um Eurobasket, na Bulgária, em 1957. O campeão final: o de costume, a União Soviética. Foi campeã sem derrotas. Relembre-se, nesta altura, não havia finais, o campeão era apurado num grupo final, onde o que ganhasse mais jogos alcançaria o troféu. Depois, de um passeio na primeira fase, nesta fase final, os russos só tiveram dificuldades no último jogo, frente aos anfitriões, a Bulgária, vencendo por apenas três pontos, garantindo assim mais uma festa. O outro jogo mais complicado foi contra os checos, com um triunfo por dois pontos. Nos outros, todos vitórias por mais de dez pontos. Ao contrário das mulheres, no masculino, a URSS não estenderia o seu domínio até à sua dissolução. Nos anos 70, de um país que adora basquetebol, Jugoslávia (outro que começou o a sua desintegração no início dos anos 90, do século XX), acabaria com esta hegemonia, mas até lá, só deu União Soviética.

 

fiba 2

 

 

1957-Bulgária:
URSS
   
    1ªfase(Grupo B) Áustria 107-38
  Polónia 83-71
  Turquia 80-49
  Fase Final França 83-53
  Jugoslávia 97-61
  Checoslováquia 62-60
  Polónia 86-64
  Roménia 87-63
  Hungria 62-51
  Bulgária 60-57
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

IX Europeu de Basquetebol, 1955, Hungria: único título magiar

fiba 2

 

Caminho para o título europeu
1955-Hungria
Hungria
   
    1ªfase

(Grupo B)

Finlândia 94-58
  Itália 75-58
  Turquia 66-55
  Fase Final Checoslováquia 65-75
  Polónia 98-66
  Itália 81-65
  Bulgária 69-59
  Jugoslávia 48-34
  URSS 82-68
  Roménia 71-60
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

 

Depois de algumas classificações interessantes, em 1955, no Eurobasket por si organizado, a Hungria obteve aqui o seu único título da sua história. Feito que, nos dias de hoje, parece impensável e quase utópico. Uma prova onde apenas sofreu uma derrota, na fase final, no seu primeiro jogo, isto não impediu a conquista do troféu, pois venceu os seis jogos finais por mais de dez pontos. Assim se processou uma conquista no seu próprio país.

VII Europeu de Voleibol feminino, 1967, Turquia: novo título soviético

cev 2

 

No Eurovolley, 1967, organizado pela Turquia, assistiu-se a uma caminhada, melhor, um passeio rumo ao título (mais um), por parte da URSS. Foram campeãs sem ceder um único set. Venceram os seus jogos sem grandes problemas, até porque foram poucas as vezes que as suas adversárias sequer chegaram aos 10 pontos num set. Uma equipa formidável ,que demonstrou todo o seu poderio, sendo campeã europeia sem ter tido muita oposição, aliás sem adversário à altura, já que, as suas oponentes pouca ou nada a incomodaram. Um passeio, mas justo, isto é, um troféu conquistado com imponência!

Caminho para o título europeu      
1967-Turquia      
URSS      
         
    1ªfase Suíça 3-0 (15-2,15-3,15-2)
    (Grupo D) Holanda 3-0 (15-10,15-7,15-4)
    Fase Final [Holanda 3-0 (15-10,15-7,15-4)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Bulgária 3-0 (15-5,15-3,15-0)
      RDA 3-0 (15-1,15-3,15-2)
      Hungria 3-0 (15-2,15-0,15-0)
      Checoslováquia 3-0 (15-4,15-10,15-4)
      Israel 3-0 (15-7,15-1,15-1)
      Polónia 3-0 (15-7,15-10,15-10)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑