Rivalidade entre Benfica e Sporting na Taça Portugal e na Supertaça Cândido Oliveira

fpf 13

 

Benfica vs Sporting na Taça Portugal e Supertaça Cândido Oliveira:
 
Taça Portugal:
 
1941-42,
Quartos-de-final: Sporting-Benfica 4-0
1942-43, Meias-finais: Benfica-Sporting 3-2
1944-45, Meias-finais: Sporting-Benfica 1-2/3-2/1-0
1947-48, Meias-finais: Sporting-Benfica 3-0
1951-52, FINAL: Benfica-Sporting 5-4
1953-54, 1ªeliminatória: Sporting-Benfica 3-2/1-2/4-2
1954-55, FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1958-59, Meias-finais: Benfica-Sporting 1-2*/3-1
1959-60, Meias-finais:                                          Sporting-Benfica 3-0/0-0
1962-63, Meias-finais: Sporting-Benfica 0-1/2-0*
1969-70, FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1970-71, FINAL: Sporting-Benfica 4-1
1971-72, FINAL: Benfica-Sporting 3-2 a.p.
1973-74, FINAL: Sporting-Benfica 2-1 a.p.
1975-76, 5ªeliminatória: Sporting-Benfica 1-0 a.p.
1976-77, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 3-0
1977-78, Quartos-de-final: Sporting-Benfica 3-1
1979-80, Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 2-1
1982-83, Quartos-de-final: Benfica-Sporting 3-0
1983-84, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 2-1
1985-86, Quartos-de-final: Benfica-Sporting 5-0
1986-87, FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1995-96, FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1999-2000, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 3-1*
2004-05, Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 3-3/7-6 g.p.
2007-08, Meias-finais: Sporting-Benfica 5-3
2013-14, 4ªeliminatória: Benfica-Sporting 4-3 a.p.
2015-16, 4ªeliminatória: Sporting-Benfica 2-1 a.p.
2018-19, Meias-finais: Sporting-Benfica 1-2*/1-0
   
Supertaça:  
1979-80, FINAL: Benfica-Sporting 2-2*/2-1
1986-87, FINAL: Sporting-Benfica 3-0*/1-0
2014-15, FINAL: Sporting-Benfica 1-0
2018-19, FINAL: Benfica-Sporting 5-0
   
* jogos no recinto adversário

 

O Benfica tem mais títulos que o Sporting em quase tudo, exceto na Supertaça Cândido Oliveira, tem os mesmos oito, no Campeonato Portugal (espera-se pela definição a que prova se devem acrescentar os ganhos neste) 4 contra 3; e na Taça das Taças, competição europeia que foi extinta em 1998-99, os leões conquistaram-na em 1963-64 e as águias nunca disputaram sequer uma final. Nos jogos do campeonato a vantagem é grande também, até, porque, nos encontros na casa do Sporting, todas que este já possuiu desde os anos 30, os encarnados ganharam tantos quantos os sportinguistas, em casa deste!

Na Taça de Portugal o Benfica manda em termos de finais, em oito, ganhou seis: 1951-52, 1954-55, 1969-70, 1971-72, 1986-87 e 1995-96; o Sporting duas: 1970-71 e 1973-74. Curiosamente, em jogos a eliminar, os leões levam larga vantagem, eliminando os encarnados mais vezes que o inverso.  Não é uma margem pequena é substancial. É só ver o quadro acima e fazer as contas.

Na Supertaça o panorama é igual: duas para o Sporting: 1986-87 e 2014-15 e duas para o Benfica: 1979-80 e 2018-19. Aqui anda-se a falar dos 5-0. A maior goleada ocorrida nesta prova foi em 1981-82, na 2ªmão, o Sporting trucidou o Sporting Braga por 6-1 e conquistou a sua 1ªsupertaça então.

 

Anúncios

Vitória Setúbal na Taça de Portugal: 1953-54 a 1984-85

fpf 6

ÉPOCA FASE ATINGIDA RESULTADO
1953-54 Finalista: Sporting 2-3
1954-55 Oitavos-de-final: Académica 1-3
1955-56 1ªeliminatória: Leões Santarém 1-4
1956-57 Meias-finais: Sporting Covilhã 1-0/0-3
1957-58 Quartos-de-final: Sporting 1-1/0-2
1958-59 1ªeliminatória: FC Porto 3-2/1-7
1959-60 2ªeliminatória: Sporting Covilhã 2-2/3-3/1-5
1960-61 Quartos-de-final: Sporting 1-0/1-4
1961-62 Finalista: Benfica 0-3
1962-63 1ªeliminatória: FC Porto 2-0/1-3/1-4
1963-64 Quartos-de-final: Belenenses 1-2/0-2
1964-65 VENCEDOR: Benfica 3-1
1965-66 Finalista: Sporting Braga 0-1
1966-67 VENCEDOR: Académica 3-2 a.p.
1967-68 Finalista: FC Porto 1-2
1968-69 4ªeliminatória: Belenenses 2-3
1969-70 5ªeliminatória: Benfica 3-2/0-2
1970-71 Meias-finais: Sporting 1-1/0-1
1971-72 Quartos-de-final: Belenenses 0-1
1972-73 Finalista: Sporting 2-3
1973-74 5ªeliminatória: Sporting 2-4
1974-75 Quartos-de-final: Benfica 0-1
1975-76 Meias-finais: Boavista 0-2
1976-77 Oitavos-de-final: Famalicão 2-3
1977-78 4ªeliminatória: Famalicão 0-1
1978-79 2ªeliminatória: Paredes 0-2
1979-80 Quartos-de-final: Varzim 0-1
1980-81 Meias-finais: FC Porto 1-2
1981-82 3ªeliminatória: Portimonense 0-1
1982-83 2ªeliminatória: Estrela Portalegre 1-2
1983-84 4ªeliminatória: Gil Vicente 0-1
1984-85 2ªeliminatória: Sporting Braga 0-1
+Campo neutro; *recinto adversário

O Vitória Setúbal teve neste período, sobretudo nos anos 60, os seus anos dourados na Taça Portugal. Um final nos anos 50, uma nos anos 70 e, a sua melhor década, cinco finais nos anos 60, todas elas, orientado por Fernando Vaz. Deu-se mesmo ao luxo, de a primeira dos anos 60, 1961-62, o clube estava na II Divisão. Apesar de a ter perdido, qualificou-se pela primeira vez para as competições europeias, neste caso, para  a Taça das Taças, pois o Benfica, vencedor nessa final, tinha sido campeão europeu, apurando-se para a Taça dos Campeões, pois era o campeão em título, visto ter falhado no campeonato, onde terminou em terceiro lugar. Assim, os sadinos participaram, em 1962-63, na sua primeira aventura pelas competições da UEFA. Ainda, realçar, que, em 1960-61, o Vitória, então na II Divisão, afastou o Benfica da taça. Pela primeira vez o Benfica foi eliminado deste evento por uma equipa de divisões secundários. Seria preciso esperar por 2002-03, quando os desconhecidos do Gondomar, repetiram tal feito.

Após 11 anos e apesar de ter terminado o campeonato no 12ºlugar, antepenúltimo, fugindo à despromoção por pouco, atingiu a final da taça, Aqui, para surpresa geral, perdeu por 3-2, mas deu mais luta do que se esperava contra o que restava dos cinco violinos do Sporting, que tinha acabado de conquistar o treta no campeonato. Mais oito anos, outra final, já mencionada acima. No entanto, ao aqui chegar, disputou-a pela segunda vez, estando na II Divisão, feito já ocorrido em 1942-43, isto é, os setubalenses são o único clube a fazer isto por duas vezes, os outros só o fizeram uma vez, nas seis vezes que uma formação de escalões secundários chegou à final.

Quatro finais, quatro derrotas. Até quando ia demorar esta perseguição pela festa do Jamor?! Em 1964-65, três anos após a última final, com o adversário a ser novamente o Benfica, também, finalista da Taça dos Campeões, desta vez sem glória, pois perdeu para o Inter Milão, não era favorito, contudo, contra todas as previsões, venceu os encarnados por 3-1, finalmente festejando um triunfo na Taça de Portugal. Em 1965-66, nova final, segunda consecutiva, algo inédito no seu historial até então, desta vez era favorito, mas um golo de Perrichon, deu ao Sporting Braga a sua única taça até aos dias de hoje. Um ano depois, nova final, terceira seguida, frente aos surpreendentes vice-campeões do campeonato, a Académica, numa final com 144 minutos, dois prolongamentos, as grandes penalidades ainda não existiam um lado algum, um golo de JJ deu a segunda para Setúbal. Fernando Vaz continuava a fazer história como treinador desta agremiação. 1967-68, quarta consecutiva, terminando numa derrota frente aos portistas, treinados por José Maria Pedroto que também faria história pelo clube sadino, numa final sem favoritos.

Os anos 60 foram onde Vitória Setúbal mais se destacou nesta prova. Após isto, e até ao final do século XX, apenas mais uma vez chegou a esta fase, em 1972-73, sucumbindo por 3-2, contra o Sporting. No restante, nada de realce, apenas algumas meias-finais. Seria preciso esperar pelo início do século XXI, para se ver, novamente, este clube setubalense em novas epopeias no Estádio Nacional.

Um grande abaixo do quarto lugar: FC Porto, 7ºlugar, 1942-43

1942-43 J V E D GOLOS P
1-Benfica 18 15  0  3 74-38 30
2-Sporting 18 14  1  3 66-37 29
3-Belenenses 18 14  0  4 78-20 28
4-Unidos Lisboa 18  9  2  7 70-46 20
5-Olhanense 18  8  2  8 44-48 18
6-Académica 18  6  2 10 54-60 14
7-FC Porto 18  5  4  9 40-56 14
8-Vitória Guimarães 18  6  2 10 48-76 14
9-Unidos Barreiro 18  5  1 12 46-77 11
10-Leixões 18  0  2 16 19-81  2
             

 

1942-43: FC Porto, 7ºlugar CASA FORA
Benfica 2-4 2-12
Sporting 2-2 2-5
Belenenses 3-1 0-4
Unidos Lisboa 2-6 0-0
Olhanense 3-2 0-3
Académica 1-1 2-5
Vitória Guimarães 6-2 2-3
Unidos Barreiro 3-4 1-1
Leixões 5-1 4-0
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
4 2 3 27-23 1 2 6 13-33
TOTAL
J V E D GOLOS P
18 5 4 9 40-56 14

 

Um época de absoluto terror para o FC Porto em 1942-43! Classificado em sétimo lugar num campeonato com apenas dez equipas. Humilhado pelo Benfica por 12-2, pior derrota do seu historial. Eliminado na Taça de Portugal, nas meias-finais, por uma equipa da II Divisão, Vitória Setúbal, num jogo que se ficou pelos…7-0!

Empatados na classificação final com o sexto e o oitavo, Académica e Vitória Guimarães, sofreram a primeira derrota em casa frente ao Benfica em jogos para o campeonato, 2-4. Em casa dos encarnados, humilhação total, pior derrota do seu historial por 2-12. Não satisfeitos, levaram 6-2 em casa dos Unidos de Lisboa, pior resultado em casa da sua história, igualado em 1944-45; e para não destoar, mais um jogo para esquecer, 3-4 contra o agora Fabril Barreiro, concedendo 4 golos em casa mais uma vez. Em nove jogos no seu recinto, os portistas em três desses, permitiram quatro ou mais golos.

Como acima é referido: meias-finais da Taça de Portugal, Vitória Setúbal, então na II Divisão, 0-7!! Parecido com isto, em 1925-26, também nesta prova, também, nas meias-finais, 1-7 contra o Marítimo. E igual, quartos-de-final, Benfica, 1937-38, também aqui, 0-7. Mas ser humilhado desta forma por uma equipa da II Divisão, não acontece todos os anos! Melhor, nunca mais aconteceu! Ser eliminados por equipas de escalões secundários aconteceu mais vezes, mas não por estes números! Uma das poucas vitórias significativas aconteceu frente ao Belenenses, decisiva quanto à atribuição do título, pois se os azuis de Belém tivessem ganho, tinham sido campeões!

Finalmente, o Unidos Lisboa, um clube que já não existe e que não mais participou na agora I Liga depois desta época, conseguiu um histórico quarto lugar. Naquela altura, ficar nos quatro primeiros lugares não sendo o Benfica, FC Porto, Sporting e Belenenses eram um feito pois estes eram os quatro candidatos ao título, normalmente até à década de 60, quando a queda dos homens do Restelo começou, foram poucas as vezes que isso se deu, daí o realce deste resultado interessante desta equipa lisboeta.

 

fpf 15

A mais imprevisível de todas as edições da Taça de Portugal: 1998-99, para o Beira-Mar

ÉPOCA   FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
         
Beira-Mar:      
1998-99, Taça Portugal      
    4ªeliminatória Futebol Benfica 4-2
    5ªeliminatória Portomosense 7-0
    Oitavos-de-final União Leiria 1-1/2-1*
    Quartos-de-final Moreirense 1-1*/1-0
    Meias-finais Vitória Setúbal 1-0
    FINAL Campomaiorense 1-0
         
 Onze principal: Palatsi; Jorge Neves, Lobão, Gila e Caetano; Fusco e Eusébio; Paulo Sérgio (Quintas), Ricardo Sousa (André) e Fernando; Fary (Simic)
         
Marcha do marcador: 1-0, por Ricardo Sousa (69m)
 

fpf 6

 

Já a edição de 1989-90,da Taça de Portugal, tinha ido contra todos os prognósticos, isto é, os três grandes foram todos eliminados na mesma época antes dos quartos-de-final, ou seja, chegaram aos quartos-de-final da taça de 1989-90 e já não havia nenhum grande presente. Ressalva-se, todavia, que essas derrotas foram todas contra equipas da, então, I Divisão: o Benfica com o Vitória de Setúbal; o FC Porto despedido pelo Tirsense; e o Sporting afastado pelo Marítimo. O vencedor desse ano foi o Estrela Amadora, numa final contra o Farense. Final inédita para os dois. Ainda mais um dado a salientar, o Farense competiu esse ano na antiga II Divisão, sendo, o primeiro representante de escalões secundários na final da Taça de Portugal em 28 anos, desde o Vitória Setúbal em 1961-62. Gritou-se escândalo, nem daqui a cem anos tal ocorreria. Bem, em 1998-99, esses cem anos foram, por um lado, reduzidos para nove anos, com dois novos factos: os grandes não só foram todos eliminados antes dos oitavos-de-final, como aconteceu outra coisa que não acontecia há décadas, isto é, dois deles foram eliminados por equipas de divisões secundárias.

Em 1998-99, a equipa de Aveiro, Beira-Mar, atingiu a sua segunda final da taça do seu historial, depois, da derrota, após prolongamento, em 1990-91, frente ao FC Porto. Em 1990-91, teve a sua melhor classificação de sempre no primeiro escalão, um sexto lugar, resultado ainda por igualar ou melhorar. Nesta época completamente louca, aproveitou os erros, ou seja, as eliminações dos grandes, para chegar à final, precisando mesmo de jogar os jogos de desempates, nos oitavos-de-final frente à União Leiria e nos quartos frente ao Moreirense. No fim consagrou-se como vencedor da Taça de Portugal, de 1998-99, batendo o estreante Campomaiorense, por 1-0, golo de Ricardo Sousa, treinados pelo seu pai, António Sousa, apesar de acabarem o jogo reduzidos a nove. Como nesse ano acabaram o campeonato em 16º, desceram de divisão, isso significou que foram a primeira equipa a descer de divisão e a ganhar esta competição, e tornaram-se, até hoje, a equipa pior classificada a vencer a Taça de Portugal.

Falemos dos escândalos desse ano. Logo na primeira eliminatória, onde as equipas da I Divisão entraram, 4ªeliminatória, o Gil Vicente, da Liga de Honra, defrontou o Sporting, em casa, e, para a surpresa geral, fez algo que só tinha acontecido uma vez aos leões e essa única vez tinha sido em 1948-49!! 50 anos depois, uma equipa de escalões secundários, eliminava os lisboetas. Surpresa! Mas não ficaria por aqui!

O FC Porto tinha tido dificuldades frente ao Famalicão na eliminatória anterior, vencendo apenas no prolongamento, depois de estar a perder por 2-0. Os adeptos respiraram de alívio! Os dragões não levaram este aviso muito a sério, pois, na eliminatória seguinte, frente a uma equipa da II B, afundada nos últimos lugares da Zona Centro, chegou às Antas e um desconhecido Cláudio Oeiras, a poucos minutos do final do jogo, marcou o golo da vitória. Há 29 anos que os portistas não eram eliminados por equipas de escalões secundários. Sendo que essa última vez, frente ao Tirsense, tem uma “desculpa”, o FC Porto, nessa época, acabou o campeonato no nono lugar, pior lugar de sempre!

O Benfica chegou à noite, quando o seu jogo estava calendarizado para jogar, no Bonfim, frente ao Vitória Setúbal, com o caminho mais que aberto para vencer a taça. Em 1989-90 gritou-se nem daqui a cem anos! Pois, nove anos depois, o Vitória de Setúbal vence o Benfica por 2-0 e, assim, completa o ramalhete, melhorando o que tinha acontecido em 1989-90: os três foram eliminados antes dos oitavos-de-final, uma eliminatória a menos do que tinha ocorrido.

Claro que é quase impossível melhorar este registo. Para isso, teriam que ser os três eliminados logo na primeira eliminatória que entram, isto é, segundo as regras presentes, na 3ªeliminatória. Porém, esta edição totalmente deslocada do que é  normal na história da Taça de Portugal, onde os grandes dominam quase hegemonicamente, não tanto como no campeonato, mas, mesmo assim é um domínio absoluto, teve um revés: nunca mais houve uma final sem os três grandes e como na corrente época um estará na final, pelo menos, significa quinze anos sem uma final, sem nenhum dos três. Esse tipo de final só se deu por nove vezes, para quando a décima?

 

 

 

FC Porto-Sporting na Taça de Portugal

fpf 13

 

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1921-22 FINAL: FC Porto-Sporting 2-1/0-2/ 3-1 a.p.+
1922-23 Meias-finais: Sporting-FC Porto 3-0
1924-25 FINAL: FC Porto-Sporting 2-1
1928-29 Oitavos-de-final: Sporting-FC Porto 3-2
1932-33 Meias-finais: Sporting-FC Porto 1-1/0-0/3-1+
1934-35 Meias-finais: Sporting-FC Porto 4-0/0-0
1936-37 FINAL: FC Porto-Sporting 3-2
1943-44 1ªeliminatória: FC Porto-Sporting 2-0/3-3
1944-45 1ªeliminatória: Sporting-FC Porto 4-1/0-0
1951-52 Meias-finais: Sporting-FC Porto 4-2/0-2/5-2+
1953-54 Quartos-de-final: Sporting-FC Porto 1-1/4-2
1957-58 Meias-finais: Sporting-FC Porto 2-2/0-3
1960-61 Meias-finais: FC Porto-Sporting 1-2/4-1
1965-66 Quartos-de-final: Sporting-FC Porto 1-0/0-1/2-0+
1966-67 1ªeliminatória: Sporting-FC Porto 1-1/0-1
1976-77 Quartos-de-final: FC Porto-Sporting 3-0
1977-78 FINAL: Sporting-FC Porto 1-1/2-1
1983-84 Meias-finais: Sporting-FC Porto 1-1/1-2
1986-87 Meias-finais: FC Porto-Sporting 0-1
1991-92 Oitavos-de-final: FC Porto-Sporting 1-0
1993-94 FINAL: FC Porto-Sporting 0-0/2-1 a.p.
1995-96 Meias-finais: FC Porto-Sporting 1-1/0-1
1999-2000 FINAL: FC Porto-Sporting 1-1/2-0
2000-01 Meias-finais: FC Porto-Sporting 2-1
2005-06 Meias-finais: FC Porto-Sporting 1-1/5-4 g.p.
2007-08 FINAL: Sporting-FC Porto 2-0 a.p.
2008-09 4ªeliminatória: Sporting-FC Porto 1-1/4-5 g.p.
2009-10 Quartos-de-final: FC Porto-Sporting 5-2
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

 

A primeira edição da Taça Portugal, então denominada de Campeonato Portugal, teve como sua primeira final, o confronto entre o FC Porto (campeão do Porto) e o Sporting (campeão de Lisboa). Não houve eliminatórias, só esta final direta. As eliminatórias só surgiriam no ano seguinte, com os campeões de outras zonas do país. O outro aspeto inédito foi a final ser decidida em duas mãos, onde o vencedor que tivesse mais pontos ganhava, isto é, se as equipas vencessem os seus respetivos jogos em casa, não importando a diferença de golos, haveria lugar a uma finalíssima. Isso foi precisamente o que ocorreu: vitória dos portistas em casa por 2-1, derrota em Lisboa por 2-0, finalíssima. Nessa peleja, os portistas venceriam 3-1, após prolongamento. Isto de estes jogos decisivos se estender a uma finalíssima ou a prolongamento, será algo de característico a estes. Depois, mais duas finais, mais duas vitórias do FC Porto: 1924-25 por 2-1 e 1936-37 por 3-2. Sendo, desde a criação dos campeonatos por pontos (1934-35), em 1936-37, os portuenses, ficaram em quarto lugar, sendo esta a pior classificação em anos que ergueram a taça. Após, 41 anos sem se defrontarem na final, algo de ridículo, contando que são dois dos principais clubes portugueses. Assim, 1977-78, nova final, nova finalíssima, vitória pela primeira vez do Sporting em quatro até então. Depois, mais duas festas portistas, em 1993-94 e 1999-2000, com duas finalíssimas, como não podia deixar de ser. Por fim, 2007-08, segundo triunfo do Sporting em sete finais com o FC Porto, com prolongamento. Ou seja, sete finais, 4 finalíssimas (1921-22, 1977-78, 1993-94, 1999-2000) e uma decidida só no tempo adicional (2007-08).

Obviamente que estes dois grandes do futebol português se confrontaram várias vezes na prova, antes das finais. Nos jogos decisivos os portistas levam vantagem cinco a dois. Nas eliminatórias a mesma coisa, mas, está mesmo renhido:  com o FC Porto a eliminar o Sporting em onze ocasiões e sendo eliminado em dez, o que com as finais, dá a soma de 16 para os portuenses e 12 para os lisboetas.

Estes jogos das eliminatórias foram quase sempre muito renhidos, com a maior vitória dos sportinguistas a ser um 4-0, em 1934-35; e a dos portistas um 5-2 em 2009-10. De resto, quase sempre muito equilibradas, sendo que duas delas forma decididas nas grandes penalidades (2005-06 e 2008-09), e, antes, pelas regras de então, decididas em terceiro jogo, campo neutro (1932-33, 1951-52, 1965-66), ou em jogo de repetição, quando os penalties só eram efetivos no segundo jogo, ou seja, se o primeiro confronto ficasse empatado, seria realizado um segundo em casa do clube visitante (1983-84, 1995-96).

Benfica-FC Porto na Taça de Portugal

fpf 13

 

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1930-31 FINAL: Benfica-FC Porto 3-0
1931-32 Meias-finais: Benfica-FC Porto 1-2/0-3
1932-33 Quartos-de-final: FC Porto-Benfica 8-0/2-4
1937-38 Quartos-de-final: FC Porto-Benfica 4-2/0-7
1938-39 Meias-finais: FC Porto-Benfica 6-1/0-6
1940-41 Quartos-de-final: Benfica-FC Porto 3-4/2-0
1952-53 FINAL: Benfica-FC Porto 5-0
1957-58 FINAL: FC Porto-Benfica 1-0
1958-59 FINAL: Benfica-FC Porto 1-0
1961-62 Oitavos-de-final: FC Porto-Benfica 2-2/1-3
1963-64 FINAL: Benfica-FC Porto 6-2
1964-65 2ªeliminatória: Benfica-FC Porto 4-1/1-1
1967-68 Meias-finais: FC Porto-Benfica 2-2/3-0
1968-69 4ªeliminatória: Benfica-FC Porto 3-0
1971-72 Meias-finais: Benfica-FC Porto 6-0
1973-74 Meias-finais: FC Porto-Benfica 0-3
1979-80 FINAL: Benfica-FC Porto 1-0
1980-81 FINAL: Benfica-FC Porto 3-1
1981-82 Quartos-de-final: FC Porto-Benfica 0-1
1982-83 FINAL: Benfica-FC Porto 1-0
1984-85 FINAL: Benfica-FC Porto 3-1
1985-86 Oitavos-de-final: Benfica-FC Porto 2-1
1987-88 Meias-finais: FC Porto-Benfica 1-0
1990-91 Quartos-de-final: FC Porto-Benfica 2-1
1992-93 Oitavos-de-final: FC Porto-Benfica 1-1/0-2
1996-97 Meias-finais: Benfica-FC Porto 2-0
2000-01 Oitavos-de-final: Benfica-FC Porto 1-1/0-4
2003-04 FINAL: Benfica-FC Porto 2-1 a.p.
2010-11 Meias-finais: FC Porto-Benfica 0-2/3-1
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

Antes de mais, Benfica e FC Porto defrontaram-se na final da Taça de Portugal por dez vezes. O Benfica venceu nove: 1930-31, 1952-53, 1958-59, 1963-64, 1979-80, 1980-81, 1982-83, 1984-85 e 2003-04. O FC Porto apenas uma: 1957-58. Os portuenses já foram bem derrotados em algumas finais: 5-0 em 1952-53, 6-2 em 1963-64 e 3-0 em 1930-31; contra uma magra vitória em 1957-58 por 1-0. Entre 1979-80 e 1984-85, seis épocas, disputaram-se quatro finais entre o Benfica e o FC Porto. Precisamente a seguinte denominação Benfica-FC Porto, pois os encarnados venceram todas as quatro, chegando mesmo a triunfar, em 1982-83, numa final realizada no Estádio das Antas, casa dos dragões, por 1-0. Nem mesmo José Mourinho conseguiu acabar com a tradição das águias em finais contra os portistas, perdendo, após prolongamento, a de 2003-04 (1-2).

Estes dois clubes já se encontraram muitas vezes em eliminatórias da prova rainha do futebol português: 19. Os lisboetas passaram 12 vezes e os portuenses sete. Uma das mais marcantes foi em 1932-33, quando FC Porto impingiu a maior derrota da história do futebol encarnado, ganhando na primeira mão dos quartos-de-final por 8-0! O Benfica não demorou muito a responder: em 1937-38, depois de ter perdido na primeira mão dos quartos-de-final por 4-2, respondeu com uns 7-0, na segunda mão, maior derrota dos portistas na Taça de Portugal, igualada em 1942-43, pelo Vitória Setúbal, então na II Divisão!!!

Houve vários confrontos interessantes, algumas humilhações que os portistas passaram, 6-0, em 1971-72, 3-0, em pleno Estádio das Antas em 1973-74, 4-1, em 1964-65. O FC Porto por sua vez: 3-0, em 1967-68 e 4-0 em 2000-01. Outras eliminatórias equilibradas. Mas, há duas que se destacam em 1938-39, nas meias-finais e em 2010-11, na mesma fase da prova, sendo ambas disputadas em dois jogos. Em 1938-39, depois da primeira mão, os portistas já pensavam na final, depois de obliterar o Benfica por 6-1. Contudo, em 75 minutos, o Benfica deu a volta e triunfou por 6-0. Digo 75 minutos, pois os dragões abandonaram o jogo não engolindo tamanha recuperação! A outra deu-se em 2010-11. Tal como em 1938-39, nas meias-finais, o Benfica ganhou 2-0, no Dragão, por isso, também já fazia preparativos para a final. No entanto, na segunda mão, a super-equipa de André Villas Boas, que nessa temporada ganhou tudo menos a Taça de Liga, venceu por 3-1 na Luz e avançou para mais uma final!

Finais da Taça de Portugal de Basquetebol Feminino: 1988-89 a 2012-13

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1988-89 Estrelas Avenida-CDUL 55-46
1989-90 Estrelas Avenida-CIBF 79-55
1990-91 Estrelas Avenida-Estrela Amadora 67-54
1991-92 Estrelas Avenida-Académico Porto 60-55
1992-93 União Santarém-Estrelas Avenida 57-55
1993-94 União Santarém-CAB 88-61
1994-95 Estrelas Avenida-Olivais FC 66-55
1995-96 CAB-Anadia 70-63
1996-97 União Santarém-Anadia 88-86
1997-98 União Santarém-Olivais FC 72-62
1998-99 CAB-Nacional 76-66
1999-2000 CAB-Nacional 60-46
2000-01 Santarém Basket-Olivais FC 76-53
2001-02 Santarém Basket-CAB 69-63
2002-03 Santarém Basket-Olivais FC 69-56
2003-04 GDESSA-Olivais FC 65-59
2004-05 GDESSA-CAB 71-59
2005-06 CAB-Boa Viagem 90-73
2006-07 CAB-Boa Viagem 80-68
2007-08 Vagos-Algés 62-53
2008-09 Olivais FC-Vagos 73-63
2009-10 Olivais FC-Boa Viagem 67-58
2010-11 Quinta dos Lombos-Algés 78-56
2011-12 Vagos-Algés 55-49
2012-13 Algés-CAB 80-72
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

Este ciclo começou com quatro taças consecutivas do Estrelas Avenida. Adicionaria a de 1994-95 e ocupa o terceiro lugar de equipas com mais taças, cinco. O CAB também faz parte desse grupo, com cinco taças neste período (1995-96, 1998-99, 1999-2000, 2005-06 e 2006-07).  Com quatro taças neste hiato, surge o União Santarém com dois bis (1992-93 e 1993-94; 1996-97 e 1997-98). Com três, todas consecutivas, surge o Santarém Basket (2000-01 a 2002-03). Depois com duas GDESSA, Olivais FC e Vagos. Com uma aparece Quinta dos Lombos. Todos os clube enunciados neste primeiro parágrafo não conquistaram mais taças, isto é, apenas triunfaram neste ciclo, antes não.

O Algés fecha este ciclo com o triunfo em 2012-13. Ao contrário das outras equipas, tinha cinco taças festejadas nos anos 80, no período exposto neste blog anterior a este. Com essa vitória isolou-se no segundo lugar do palmarés da prova com seis taças, só o CIF com sete tem mais.

fpb

Finais da Taça de Portugal de Basquetebol Feminino: 1963-64 a 1987-88

fpb

 

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1963-64 CDUP-Benfica 26-16
1964-65 CDUP-CDUL 33-6
1965-66 CDUP-CIF 24-17
1966-67 CDUP-CIF 26-22
1967-68 Académica-CIF 41-37
1968-69 Académica-CUF 51-35
1969-70 Académica-Gaia 69-48
1970-71 Académica-CIF 50-42
1971-72 Académico Porto-Académica 66-59
1972-73 Académico Porto-Algés 60-22
1973-74 Académico Porto-Académica 45-39
1974-75 Académico Porto-CIF 55-41
1975-76 CIF-Benfica 80-15
1976-77 CIF-Académico Porto 55-46
1977-78 CIF-LX Oriental 51-35
1978-79 CIF-Olivais FC 57-44
1979-80 CIF-Académico Porto 74-49
1980-81 Académico Porto-Algés 54-47
1981-82 Algés-Olivais FC 82-46
1982-83 Algés-Académico Porto 69-58
1983-84 CIF-Independente 72-57
1984-85 Algés-Académico Porto 94-55
1985-86 Algés-CIF 71-64
1986-87 Algés-Académico Porto 88-48
1987-88 CIF-Algés 88-46
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

O clube que mais dominou este período, 1963-64 a 1987-88, foi o CIF com sete triunfos, entre os quais, cinco consecutivos (1975-76 a 1979-80), recorde da prova, ainda não igualado. Segue-se o Académico Porto e o Algés com cinco cada. O Académico Porto conseguiu mesmo um tetra (1971-72 e 1974-75) e o Algés um tri (1984-85 a 1986-87).  Os portuenses não mais triunfaram. O Algés só festejou mais uma vez, em 2012-13.

 Apenas cinco clubes triunfaram durante estes 25 anos. Três estão mencionados no parágrafo acima. Os outros venceram as primeiras oito edições, repartindo igualmente os troféus e não mais ganharam após estas vitórias: CDUP, venceu as primeiras quatro taças (1963-64 a 1966-67) e a Académica as seguintes quatro (1967-68 a 1970-71). De ressalvar que enquanto o CDUP só foi uma vez campeão nacional, a Académica, apesar de não festejar desde 1975-76, é ainda a equipa com mais razões para sorrir no escalão máximo desta modalidade, com dez. O CIF, segue-se com nove. Dos aqui mencionados: Académico Porto tem dois títulos, Algés por sua vez seis.

 

Finais da Taça de Portugal de Basquetebol: 1999-2000 a 2012-13

fpb

 

 

Nestas 14 edições da Taça de Portugal de Basquetebol, últimas 14, o FC Porto foi o grande dominador com seis troféus. Seguem-se a Portugal Telecom e o Vitória Guimarães com duas. Queluz, Ovarense, CAB e Oliveirense conquistaram uma cada.

Os portistas têm um total de treze taças no seu palmarés, só batido pelo Benfica com 18. Os vimaranenses e a Portugal Telecom, não conquistaram mais taças, têm duas; tal como o CAB e a Oliveirense que apenas ostentam esta. Queluz soma esta à de 1982-83, conquistando uma dobradinha em 2004-05; a Ovarense junta esta às de 1988-89 e 1989-90. festejando por três vezes.

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1999-2000 FC Porto-Ovarense 83-76
2000-01 Portugal Telecom-Ovarense 102-88
2001-02 Portugal Telecom-Oliveirense 91-85
2002-03 Oliveirense-CAB 75-65
2003-04 FC Porto-Ovarense 97-88
2004-05 Queluz-Ovarense 71-62
2005-06 FC Porto-Benfica 95-84
2006-07 FC Porto-Belenenses 86-77
2007-08 Vitória Guimarães-FC Porto 65-64
2008-09 Ovarense-AD Vagos 92-87 a.p.
2009-10 FC Porto-Ovarense 71-70
2010-11 CAB-CB Penafiel 64-62
2011-12 FC Porto-Académica 58-47
2012-13 Vitória Guimarães-Benfica 100-81
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑