XVII Europeu de Voleibol Feminino, 1991, Itália: título soviético

1991, Itália: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 1) Bulgária 3-0 (15-7,15-2,15-11)
      França 3-0 (15-6,15-11,15-13)
      Albânia 3-0 (15-2,15-7,15-6)
      Grécia 3-0 (15-7,15-2,15-3)
      Itália 3-0 (15-6,15-6,15-9)
    Meias-finais Alemanha 3-0 (15-6,15-3,15-11)
    FINAL Holanda 3-0 (15-4,15-2,15-3)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

O Europeu de voleibol feminino de 1991 disputou-se na Itália. Mais uma vez com o vencedor do costume: a União Soviética. A última vez que esta nação participou nesta prova, pois, pouco depois subdividiu-se em vários países. A Rússia seria a sua sucessora pois era a potência colonizadora. Quanto à prova nada à dizer quanto à justeza da sua vitória. Não cedeu qualquer set. Poucos vezes concedeu mais de dez pontos em cada set (recorde-se que isto ainda era a pontuação antiga onde só se marcava pontos no próprio serviço e era até aos quinze). Foi um autêntico passeio rumo a mais um título. O último como URSS. Ao contrário dos masculinos, nos femininos a Rússia não ficou muito abalada com este fim, pois conquistou mais alguns. Nos homens apenas mais um em 2013.

fpv 2

Anúncios

XVI Europeu Basquetebol Feminino, 1978, Polónia: mais um título soviético

1978- Polónia: URSS:      
       
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) França 111-73
      RFA 120-57
      Roménia 97-64
    Fase Final [França 111-73] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Bulgária 89-63
      Jugoslávia 116-78
      Checoslováquia 92-70
      Polónia 79-57
      Hungria 119-72
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Um país da então chamada cortina de ferro recebeu o Eurobasket feminino de 1978. Seria este torneio na Polónia diferentes dos outros? Haveria outro vencedor que não a URSS? Haveria competitividade na disputa do título? A resposta a estas três perguntas é não. A União Soviética continuou a dominar. A União Soviética passeou rumo a mais um troféu. Os jogos “mais equilibrados” foram no grupo de apuramento de campeão, onde venceu a Checoslováquia e a Polónia por “apenas” 22 pontos de diferença! Se estes foram os mais renhidos imagine-se os outros?! Mais uma caminhada sem sobressaltos rumo a mais uma  festa. As russas simplesmente não tinham oposição a nível europeu, tão simples como isso!

 

fpb 3

XV Europeu de Basquetebol Feminino, 1976, França: mais um para a URSS

Seleções femininas de basquetebol qualificaram-se para o Europeu de Basquetebol Feminino, na França, em 1976. O resultado, o do costume: título soviético. Tal como os últimos, ganho sem quaisquer problemas. Todos os jogos foram autênticos passeios para as russas. Vitórias por mais de trinta pontos. O mais “renhido” foi, na fase de apuramento de campeão, frente à França, com uma vitória por “apenas” 27 pontos, 83-56. Daí as aspas nesta frase! Não tinham rivais à altura, na década de 70, no panorama do basquetebol feminino europeu. As únicas que lhes davam a luta a nível mundial eram obviamente as americanas. Nada a dizer quanta à justeza deste título! Simplesmente não tinham competição!

fpb 3

 

1976- França: URSS:      
       
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Roménia 127-60
      Jugoslávia 110-59
      Bélgica 127-48
    Fase Final [Jugoslávia 110-59] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Bulgária 96-57
      Polónia 95-46
      França 83-56
      Itália 90-49
      Checoslováquia 62-30
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

XIII Europeu de Basquetebol Feminino, 1972, Bulgária: mais um título para URSS

 

1972-Bulgária:      
URSS      
         
    1ªfase

(Grupo A)

Polónia 82-46
      Roménia 88-43
      Itália 93-37
      Hungria 73-39
      Jugoslávia 94-53
    Fase Final [Hungria 73-39] – resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      [Roménia 88-43] – resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      França 63-41
      Checoslováquia 89-42
      Bulgária 79-48
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

Em 1972, na Bulgária, disputou-se mais um Campeonato da Europa de Basquetebol Feminino. Mais uma vez, a festa foi soviética. Nada a dizer quanto à justeza deste título. Pode-se dizer que praticamente não teve oposição. A vitória mais apertada foi frente à França com uma diferença de… 22 pontos! Uma passeio rumo ao levantar do caneco.

fiba 2

XIII Europeu de Voleibol Feminino, 1983, RDA: primeiro título para RDA

1983-RDA:      
RDA      
         
    1ªfase

(Grupo 3)

Itália 3-0 (15-7,16-14,15-5)
      Suécia 3-0 (15-6,15-3,15-5)
      Hungria 3-0 (15-10,15-10,15-10)
    Fase Final [Hungria 3-0 (15-10,15-10,15-10)] – resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Roménia 3-0 (15-3,15-5,15-7)
      RFA 3-1 (15-10,15-8,14-16,15-6)
      Bulgária 3-2 (15-6,12-15,11-15,15-9,15-9)
      URSS 3-2 (6-15,11-15,15-8,15-3,16-14)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

Parecia que o domínio da União Soviética tinha acabado. Dois Europeus consecutivos sem que esta triunfasse. Bulgária tinha ganho em 1981 e agora, em 1983, triunfou a RDA. Jogando em casa, teve um passeio até aos dois jogos finais da segunda e definitiva fase de grupos. Nesses dois encontros tudo se decidiria em relação ao título. Duas vitórias em cinco sets frente à Bulgária e a URSS, levou as alemãs de leste ao seu primeiro título europeu. Finalmente, havia outros vencedores que não as russas.

cev

XII Europeu de Voleibol feminino, 1981, Bulgária: Primeiro título para a Bulgária

 Após décadas de domínio por parte das soviéticas no Campeonato Europeu de Voleibol, esse chegou ao fim, em 1981, na Bulgária. Quem conseguiu tal feito foi o país anfitrião, ou seja, a Bulgária, Um título ganho com alguma facilidade, já que, venceu todos os jogos e só frente à Hungria, na primeira fase de grupos, é que foi a cinco sets. Nos restantes vitórias mais ao menos tranquilos e sobretudo, no último encontro, frente à múltipla campeã, a União Soviética, uma vitória clara, por três sets a zero. Finalmente, alguém conseguiu acabar com a hegemonia russa e este alguém foi a Bulgária, em casa, no setor feminino.

cev

1981-Bulgária:
Bulgária
   
    1ªfase(Grupo 3) RFA 3-0 (15-4,16-14,15-8)
  Turquia 3-0 (15-4,15-9,15-4)
  Hungria 3-2 (15-13,6-15,13-15,15-5,15-10)
  Fase Final [Hungria 3-2 (15-13,6-15,13-15,15-5,15-10)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
  Polónia 3-0 (15-6,15-10,15-5)
  Checoslováquia 3-1 (10-15,15-3,15-2,15-9)
  RDA 3-1 (15-3,15-0,11-15,15-4)
  URSS 3-0 (15-6,15-13,15-12)
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

XI Europeu de Voleibol feminino, 1979, França: URSS um título muito difícil

1979-França:
URSS
   
    1ªfase

(Grupo A)

Roménia 3-2 (15-5,15-12,11-15,12-15,15-8)
  Polónia 2-3 (10-15,15-6,12-15,15-12,12-15)
  RFA 3-0 (15-5,15-6,15-10)
  Fase Final [Roménia 3-2 (15-5,15-12,11-15,12-15,15-8] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
  Bulgária 3-2 (15-10,15-7,10-15,9-15,15-11)
  Hungria 3-1 (18-16,15-6,9-15,15-8)
  Holanda 3-0 (15-6,15-1,15-1)
  RDA 3-0 (15-9,15-5,15-7)
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

A União Soviética tinha praticamente passeado rumo ao título em edições anteriores, neste, apesar de terem revalidado o seu desígnio, tiveram vida muito mais complicada para chegar a esse desiderato. Logo na primeira fase, uma derrota frente à Polónia. Além disso, uma vitória em cinco sets, na negra, contra a Roménia. Na fase final, depois de um triunfo mais complicado, em cinco sets contra a Bulgária e outro com alguma dificuldade, em quatro parciais frente a Hungria, acertaram passo e venceram pela margem máxima a Holanda e a RDA somando mais um ao seu vasto palmarés. No entanto, ficou aqui o aviso que a hegemonia russa estava seriamente ameaçada. Na década de 80, esta teria o seu fim.

cev

IX Europeu de Andebol Feminino, 2010, Dinamarca/Noruega: quinto título norueguês

Caminho para o título europeu
2010-Dinamarca/Noruega:
Noruega
   
    1ªfase

(Grupo D)

França 33-22
  Eslovénia 32-16
  Hungria 34-13
  2ªfase (Grupo II) [França 33-22]-resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
  [Hungria 34-13] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
  Suécia 19-24
  Ucrânia 32-19
  Holanda 35-13
  Meias-finais Dinamarca 29-19
  FINAL Suécia 25-20
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

2010, numa prova coorganizada com a Dinamarca, cuja venceu nas meias-finais, a Noruega somou aqui o seu quinto título europeu. Num evento, onde, apenas cedeu uma derrota, na segunda fase da prova, frente à Suécia, de resto, tudo vitórias por dez ou mais de diferença. A exceção foi final, ganha por somente cinco de vantagem, todavia, foi a vingança, já que, as suecas foram as únicas que as conseguiram tombar. De resto um passeio rumo ao título. Foi o quinto título europeu a que se juntam dois mundiais e dois olímpicos. Nada mau! Tudo colecionado desde os anos 90, quando a Noruega se conseguiu impor como uma das mais fortes seleções do andebol feminino.

ehf 3

O domínio norte-americano (Wimbledon: Brough, Connolly e Bueno)

Durante o período de tempo aqui exposto há um domínio concludente de tenistas dos EUA que ganharam 18 das 25 finais disputadas. No fim deste hiato temporal aparece Billie Jean King, que aqui ganhou três dos seis títulos que ostenta, sendo uma das grandes campeãs da história do torneio.

O triunfo de 1938 de Helen Wills Moody foi o seu oitavo, recorde apenas suprassado com Navratilova nos anos 80, isto é, apenas Navratilova tem mais triunfos aqui que Helen Wills, nove.

Uma tenista que se opôs à hegemonia norte-americana foi a brasileira Maria Bueno com três triunfos. Dois também para a senhora grand slam, a australiana Margaret Smith, que com 24 títulos é mais titulada da história do ténis.

Por fim três referências: os quatro triunfos de Louise Brough, três dos tais consecutivos 1948-1950, também três consecutivos para Maureen Connolly entre 1952-1954 e para uma final 100% britânica, em 1961, entre Angela Mortimer e Christine Truman.

ANO FINAL RESULTADO
1938 Helen Wills Moody (EUA)-Helen Hull Jacobs (EUA) 6-4/6-0
1939 Alice Marble (EUA)-Kay Stammers (Grã-Bretanha) 6-2/6-0
1946 Pauline Betz (EUA)-Louise Brough (EUA) 6-2/6-4
1947 Margaret Osborne (EUA)-Doris Hart (EUA) 6-2/6-4
1948 Louise Brough (EUA)-Doris Hart (EUA) 6-3/8-6
1949 Louise Brough (EUA)-Margaret Osborne duPont (EUA) 10-8/1-6/10-8
1950 Louise Brough (EUA)-Margaret Osborne duPont (EUA) 6-1/3-6/6-1
1951 Doris Hart (EUA)-Shirley Fry (EUA) 6-1/6-0
1952 Maureen Connolly (EUA)-Louise Brough (EUA) 6-4/6-3
1953 Maureen Connolly (EUA)-Doris Hart (EUA) 8-6/7-5
1954 Maureen Connolly (EUA)-Louise Brough (EUA) 6-2/7-5
1955 Louise Brough (EUA)-Beverly Fleitz (EUA) 7-5/8-6
1956 Shirley Fry (EUA)-Angela Buxton (Grã-Bretanha) 6-3/6-1
1957 Althea Gibson (EUA)-Darlene Hard (EUA) 6-3/6-2
1958 Althea Gibson (EUA)-Angela Mortimer (Grã-Bretanha) 8-6/6-2
1959 Maria Bueno (Brasil)-Darlene Hard (EUA) 6-4/6-3
1960 Maria Bueno (Brasil)-Sandra Reynolds (África do Sul) 8-6/6-0
1961 Angela Mortimer (Grã-Bretanha)-Christine Truman (Grã-Bretanha) 4-6/6-4/7-5
1962 Karen Hantze Susman (EUA)-Vera Sukova (Checoslováquia) 6-4/6-4
1963 Margaret Smith (Austrália)-Billie Jean Moffitt (EUA) 6-3/6-4
1964 Maria Bueno (Brasil)-Margaret Smith (Austrália) 6-4/7-9/6-3
1965 Margaret Smith (Austrália)-Maria Bueno (Brasil) 6-4/7-5
1966 Billie Jean King (EUA)-Maria Bueno (Brasil) 6-3/3-6/6-1
1967 Billie Jean King (EUA)-Ann Haydon Jones (Grã-Bretanha) 6-3/6-4
1968 Billie Jean King (EUA)-Judy Dalton Tegart (Austrália) 9-7/7-5

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑