Sporting conquista segunda Taça Challenge 2016-17

ehf

 

O Sporting conquistou a Taça Challenge 2016-17. Foi a segunda do seu historial. Tornou-se no primeiro clube português a conquistar dois troféus europeus, embora, o ABC tenha mais finais disputadas (4). Os lisboetas, ao contrário dos bracarenses, foram a duas finais e venceram ambas, cem por cento de eficácia.

Foi um percurso imaculado, perfeito, sem derrotas nem empates, isto é, o Sporting venceu todos os jogos desde a sua entrada na prova até ao segundo jogo, da segunda mão da final, na Roménia. Assim, ninguém conseguiu travar os leões. É a conquista europeia mais contundente da história do andebol português nas competições europeias.

Para os leões este ano também ficou marcado pela conquista do título nacional. O primeiro desde 2000-01, ou seja, 16 anos depois foram novamente campeões. No entanto, é preciso recuar até 1985-86 para encontrar outro triunfo no escalão máximo do andebol português. Serão os sportinguistas capazes de vencer regularmente, ou dar-se-á um novo hiato temporal até alcançarem outro?

 

2016-17, Taça Challenge: Sporting    
   
         
         
         
    3ªeliminatória A.S.D. Romagna Handball (Itália) 32-25/37-24*
    Oitavos-de-final RK Pelister (Macedónia) 32-18*/34-26
    Quartos-de-final AC Doukas (Grécia) 35-23*/27-25
    Meias-finais JMS Hurry-Up (Holanda) 32-27*/37-14
    FINAL AHC Potaissa Turda (Roménia) 37-28/30-24*
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

ABC-Benfica, final da Taça Challenge 2015-16

2015-16 , Taça Challenge:      
ABC      
         
    2ªeliminatória Ruislip Eagles (Inglaterra) 51-18*/46-19
    3ªeliminatória HC Odorhei (Roménia) 25-24*/25-22
    Oitavos-de-final HC Kehra (Estónia) 40-29/45-14*
    Quartos-de-final Wacker Thun (Suíça) 30-23/34-34*
    Meias-finais Dukla Praga (República Checa) 34-33/32-29*
    FINAL Benfica (Portugal) 28-22*/25-29
         
 Benfica:        
    3ªeliminatória ÍBV Vestmannaeyjar (Islândia) 28-26*/34-26
    Oitavos-de-final Filippos Verias (Grécia) 34-14/23-26*
    Quartos-de-final St.Petersburgo HC (Rússia) 24-20/25-27*
    Meias-finais Fyllingen Bergen (Noruega) 35-22/29-27*
    FINAL ABC (Portugal) 22-28/29-25*
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

Uma final portuguesa! Uma final totalmente portuguesa numa competição europeia de Andebol! Algo impensável há 25 anos atrás. O ABC defrontou o Benfica. Para os minhotos era a quarta final europeia, terceira nesta prova. Para o Benfica, era a segunda neste evento. Quem venceria?

A final do campeonato, também entre estes dois clubes, teve cinco jogos e na negra só se resolveu no prolongamento. Portanto, esta final também deveria de ser igualmente renhida e equilibrada discutida até ao último momento.

Porém, isto não se verificou. A vitória do ABC em Lisboa, por seis golos de diferença na primeira mão, deixava antever uma segunda mão tranquila para os bracarenses e missão quase impossível para os encarnados, pois, este jogo era em Braga.

É verdade que o Benfica triunfou por quatro golos neste segundo encontro. Mas só construiu essa vantagem, nos últimos minutos, quando o ABC já festejava, pois já não havia hipóteses de os lisboetas recuperarem os seis golos de diferença. Finalmente, à quarta, o ABC conquistou a sua primeira competição europeia. Custou mas triunfaram!

ehf 4

 

Benfica todas as presenças na I Divisão de Voleibol

cev

Eis as classificações do Benfica no escalão máximo do Voleibol:

Benfica-52 presenças
Épocas: 1946-47, 1956-57 a 1984-85, 1988-89 a 1993-94, 1999-2000 a 2014-15
CAMPEÃO: 1981,1991,2005,2013,2014,2015
2ºlugar: 1947,1957,1958,1960,1963,1967,1970,1975,1976,1977,1978,1990,1993,

2010,2011,2012

3ºlugar: 1959,1961,1962,1966,1971,1974,1979,1980,1992,1994,2009
4ºlugar: 1964,1965,1972,1973,2006,2007,2008
5ºlugar: 1969,1982,1983,1984,1989,2003
7ºlugar: 1968,2002,2004
8ºlugar: 1985,2000,2001

Os dois últimos títulos do Paço d’Arcos na I Divisão de hóquei em patins, 1952-53 e 1954-55

1952-53 J V E D GOLOS P
1-Paço d’Arcos 14 12  2  0 67-34 40
2-Campo Ourique 14  8  3  3 42-29 33
3-Infante Sagres 14  8  2  4 44-27 32
4-Benfica 14  8  2  4 60-43 32
5-HC Sintra 14  6  1  7 41-25 27
6-Académico Porto 14  4  2  8 32-46 24
7-Estrela Vigorosa 14  3  1 10 32-55 21
8-Sanjoanense 14  0  1 13 23-82 15

O Paços d’Arcos é uma das mais famosas coletividades de Portugal. É um clube com diversas modalidades, apesar, de não ter futebol. Já ganhou competições nacionais em hóquei em patins e andebol feminino; e chegou mesmo a vencer uma competição europeia no caso do hóquei: a Taça CERS (Liga Europa desta modalidade) em 1999-2000, perdendo, antes, duas finais da mesma.

Na modalidade coletiva  que mais títulos internacionais deu a Portugal, esta equipa, esteve poucas épocas ausentes do escalão máximo do hóquei em patins, desde a sua criação em 1938-39, teve nas já longíquas décadas de 40 e 50 o seu período de ouro, onde conquistou oito campeonatos. E não triunfou na Taça de Portugal, porque à altura não se disputava. Desde aí, ganhou a tal Taça CERS. Teve nas suas fileiras Jesus Correia, entre outros, figura mítica do Sporting, membro dos famosos cinco violinos, e também mitificado no Paço d’Arcos. Até porque, desde que se retirou não mais estes foram campeões.

Este foi o seu penúltimo título, ganho sem grandes problema: doze vitórias e dois empates. O segundo, Campo de Ourique, ficou a uns distantes sete pontos, num campeonato de apenas 8 equipas. No entanto, estes, no ano seguinte, conquistaram o seu único título, sobrepondo-se ao Benfica, Paço d’Arcos e HC Sintra, todas elas, clubes campeões nesta década. Ainda assim, o Paço d’Arcos venceu o seu sétimo título e muito bem deve ter sabido.

1954-55 J V E D GOLOS P
1-Paço d’Arcos 14 12  2  0 64-23 26
2-Benfica 14 10  2  2 65-30 22
3-Campo Ourique 14  7  2  5 44-40 16
4-Infante Sagres 14  5  4  5 41-40 14
5-HC Sintra 14  5  1  8 43-44 11
6-Estrela Vigorosa 14  3  4  7 25-41 10
7-HC Carvalhos 14  3  3  8 27-63  9
8-Académico Porto 14  2  0 12 14-42  4

Na altura não se sabia, como é óbvio. Contudo, este foi o oitavo e último título de campeão nacional ganho pelo Paço d’Arcos. Depois de um penta, na década de 40, foi só igualado e depois melhorado pelo FC Porto, este foi o fim dos seus dias de glória. Andaram perto em um par de ocasiões, depois disto, mas não adicionaram o nono. Agora esse desiderato está muito longe de sequer ser um objectivo palpável. Um dia de tamanha glória a curto prazo é quase utópico. Talvez daqui a uns tempos o Paço d’Arcos possa ambicionar o que tanto gozo lhe deve ter dado nas décadas de 40 e 50, do século XX.

Um campeonato também ganho, não pela mesma margem do de 1952-53, mas com alguma. Novamente doze vitórias e dois empates. O segundo classificado, Benfica, ficou a quatro pontos. Deste modo foi um ano inesquecível para o Paço d’Arcos. Será que conseguirão o nono algures no futuro?

fpp 14

Boavistão pela quinta vez na Taça Portugal: vitória na taça em 1996-97

fpf 13

 

 

 

ÉPOCA   FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
         
Boavista:      
1996-97, Taça Portugal      
    4ªeliminatória Estrela Vendas Novas 6-0
    5ªeliminatória Oriental 4-0
    Oitavos-de-final Infesta 2-0
    Quartos-de-final Estoril 1-0*
    Meias-finais Sporting 3-2 a.p.
    FINAL Benfica 3-2
         
Onze principal: Ricardo; Paulo Sousa, Litos, Isaías e Mário Silva; Tavares, Rui Bento e Hélder; Sanchez (Jimmy), Simic (Jorge Couto) e Nuno Gomes (Tulipa)
         
Marcha do marcador: 1-0, por Sanchez (7m); 2-0, por Nuno Gomes (28m); 2-1, por Calado (35m); 3-1, por Sanchez (58m, gp); 3-2, por Paulo Sousa (60m, pb)
 
         
* jogos no recinto adversário; +campo neutro

 

1996-97 marcou a última presença do Boavista na final da Taça de Portugal. Foi a sua sexta final. E foi a sua quinta vitória. O adversário? Benfica, terceiro classificado nessa época; o Boavista, terminou em sétimo lugar. Os portuenses marcaram 62 golos nessa temporada no campeonato; é ainda o seu terceiro melhor registo na sua história no escalão máximo do futebol português, só batido pelos 65 de 1975-76 e 63 de 2000-01, ano do título.

Esta final foi a terceira entre o Boavista e o Benfica, e pela segunda vez, o Boavistão triunfou. Isso significa que os boavisteiros têm vantagem sobre as águias em finais desta prova, feito inédito até 2012-13, pois, aí, o Vitória Guimarães bateu os encarnados, ficando com vantagem também em jogos desta estirpe, com uma pequena diferença: os axadrezados disputaram três finais com o Benfica, os vimaranenses só uma,mas, não deixa de ser uma vantagem.

Um percurso fácil  pela equipa orientada por Mário Reis até à meia-final, eliminando equipas de escalões secundários. Nas meias, uma vitória sobre o Sporting no último minuto do prolongamento, isto é, muito drama. Na final, triunfo num jogo emocionante frente ao Benfica, com o desfecho 3-2. Seria a última conquista do Boavista! E, presentemente, será difícil igualar tal desiderato! Contudo, tudo é possível e ninguém paga imposto por sonhar!

Boavista na Taça Portugal: 1981-82 a 2012-13

fpf 6

 

 

Tal como no espaço de tempo analisado anteriormente, o Boavista disputou três finais da Taça de Portugal. Ao contrário, não ganhou as três, mesmo assim, ganhou duas, o que não é mau, tendo em conta que nessas três defrontou sempre um dos grandes do futebol português: o FC Porto em 1991-92, e o Benfica em 1992-93 e 1996-97.

A vitória frente aos portistas, além de ser a quarta vitória na prova, o Boavistão tornou-se, até agora, no único clube que derrotou todos os 3 grandes em finais da Taça de Portugal: Benfica em 1974-75 e 1996-97; Sporting em 1978-79; e o FC Porto em 1991-92. Há vários exemplos de clubes que derrotaram um ou mesmo dois, mas nenhum, a não ser os boavisteiros, o fizeram aos três. O que não deixa de ser interessante, até porque em seis finais, cinco foram frente a esta estirpe de clubes. E apenas uma derrota, nessas seis finais, uma final onde tudo correu mal e Paulo Futre fez uma grande exibição, numa vitória concludente por 5-2 para o Benfica.

Contudo, esta má presença seria compensada em 1996-97. A vingança serve-se fria, em 1996-97, novo Boavistão e nova vitória na final da Taça, de novo o Benfica como rival, mas, desta vez, triunfo dos axadrezados por 3-2. Não só foi a vingança de 1992-93, todavia, esta festa tornou o Boavista no único clube com um registo positivo frente ao Benfica em finais da Taça, desde a sua criação, isto é, três finais frente aos encarnados, duas vitórias, mais ninguém tem essa vantagem em finais frente aos lisboetas! Nem FC Porto, nem Sporting! Aliás os portuenses têm um péssimo registo os leões também não é de realçar, mas não tão mau como os dragões!

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1981-82 4ªeliminatória: Sporting 2-3*
1982-83 Quartos-de-final: Portimonense 0-1*
1983-84 2ªeliminatória: Portimonense 1-2
1984-85 Meias-finais: FC Porto 0-1*
1985-86 3ªeliminatória: União Madeira 0-1*
1986-87 Quartos-de-final: Benfica 1-3
1987-88 Quartos-de-final: FC Porto 2-2*/0-0/4-5 g.p.
1988-89 4ªeliminatória: Sporting Espinho 1-2*
1989-90 Oitavos-de-final: Vitória Setúbal 1-2*
1990-91 Meias-finais: Beira-Mar 0-2*
1991-92 VENCEDOR: FC Porto 2-1
1992-93 Finalista vencido: Benfica 2-5
1993-94 5ªeliminatória: Tirsense 0-1*
1994-95 5ªeliminatória: Sporting 0-0/0-5*
1995-96 5ªeliminatória: Sporting 1-2*
1996-97 VENCEDOR: Benfica 3-2
1997-98 Quartos-de-final: União Leiria 2-2/1-3*
1998-99 Quartos-de-final: Esposende 0-1*
1999-2000 Quartos-de-final: Rio Ave 0-1*
2000-01 Meias-finais: Marítimo 0-1
2001-02 5ªeliminatória: Alverca 0-1
2002-03 4ªeliminatória: Santa Clara 0-4*
2003-04 4ªeliminatória: FC Porto 0-1*
2004-05 Meias-finais: Vitória Setúbal 1-2 a.p.*
2005-06 Quartos-de-final: Vitória Setúbal 1-2*
2006-07 Quartos-de-final: Beira-Mar 0-2 a.p.*
2007-08 5ªeliminatória: Naval 1ºMaio 1-4*
2008-09 4ªeliminatória: Vitória Guimarães 0-2
2009-10 1ªeliminatória: Pescadores 0-3 (falta comparência)*
2010-11 Não participou  
2011-12 Não participou  
2012-13 1ªeliminatória: União Leiria 1-2*
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

Belenenses na Taça de Portugal: 1981-82 a 2011-12

fpf 7

A última fase do Belenenses na Taça de Portugal foi relativamente modesta em termos de resultados, com eliminações prematuras, nas primeiras eliminatórias da prova. Muitas vezes sendo afastado por equipas de escalões inferiores, ou escandalosamente retirado da competição, como aconteceu com o Câmara Lobos em 1998-99, apesar de estar na II Liga. Outro exemplo, em 1997-98, então na I Liga, foi humilhado, em casa, pelo Estoril, perdendo por 4-0. Os canarinhos à altura estavam na II Liga! Dois dos muitos exemplos que se verificaram a partir dos anos 80.

No meio de tanta mediocridade houve alguns momentos de louvar. Momentos que ainda perduram na memória dos adeptos do Belenenses. O clube não chegava à final da Taça de Portugal desde a vitória em 1959-60, tendo perdido inúmeras meias-finais, todavia, em 1985-86 essa maldição foi ultrapassada e o clube chegou de novo ao jogo decisivo, onde, entretanto, cedeu por 2-0 frente ao Benfica.

Não demorou muito a resposta do Belenenses. Em 1988-89, nova presença na final da taça, novamente contra o Benfica, desta vez não houve razão para lamentar, pois, os azuis do Restelo derrotaram os encarnados por 2-1, vencendo a sua primeira taça em 29 anos! A caminhada rumo a este troféu ficou marcada por outro enlace, que muitos estiveram perto de alcançar mas, até hoje, só o Belenenses conseguiu; isto é, em 1988-89, os azuis de Belém eliminaram o FC Porto nos oitavos-de-final, o Sporting nas meias-finais e na final festejaram frente ao Benfica, ou seja, afastou os três grandes na mesma edição da prova, coisa até hoje nunca mais igualada quer antes quer depois!

Em 2006-07, 18 anos depois da última presença no Jamor, voltaram a chegar tão longe, no entanto, acabou em derrota pelo Sporting por 1-0. Até hoje, foi a derradeira ocasião que o Belenenses chegou tão longe, mais se espera deste clube que conta com seis Taças de Portugal, 14 finais, e é o clube com mais vitórias nesta a seguir aos grandes; mas podia ter muitas mais conquistas!

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
1981-82 Oitavos-de-final: Sporting 0-1*
1982-83 3ªeliminatória: Boavista 0-4*
1983-84 Oitavos-de-final: FC Porto 0-2*
1984-85 3ªeliminatória: Elvas 0-1*
1985-86 Finalista vencido: Benfica 0-2
1986-87 3ªeliminatória: Desportivo Chaves 2-4*
1987-88 3ªeliminatória: Felgueiras 0-1*
1988-89 VENCEDOR: Benfica 2-1
1989-90 Meias-finais: Farense 1-2
1990-91 5ªeliminatória: Farense 2-3*
1991-92 5ªeliminatória: Paços Ferreira 1-1*/3-3
1992-93 Oitavos-de-final: Vitória Guimarães 0-1*
1993-94 Quartos-de-final: Lourosa 0-2*
1994-95 4ªeliminatória: União Leiria 0-2*
1995-96 Oitavos-de-final: Vitória Guimarães 0-1*
1996-97 5ªeliminatória: Académica 0-1*
1997-98 4ªeliminatória: Estoril 0-4
1998-99 3ªeliminatória: Câmara Lobos 0-3*
1999-2000 4ªeliminatória: Farense 1-3*
2000-01 5ªeliminatória: Famalicão 2-3*
2001-02 Oitavos-de-final: Marítimo 0-1*
2002-03 5ªeliminatória: Varzim 3-4*
2003-04 Meias-finais: Benfica 1-3
2004-05 Quartos-de-final: Estrela Amadora 0-0/7-8 g.p.*
2005-06 4ªeliminatória: Desportivo Aves 0-1*
2006-07 Finalista vencido: Sporting 0-1
2007-08 4ªeliminatória: Paços Ferreira 2-2/4-5 g.p.
2008-09 4ªeliminatória: Naval 1ºMaio 2-3 a.p.*
2009-10 Oitavos-de-final: FC Porto 2-2/9-10 g.p.
2010-11 3ªeliminatória: Ribeirão 0-2*
2011-12 Oitavos-de-final: Sporting 0-2*
+Campo neutro; *recinto adversário
  • Arquivos

  • Agosto 2017
    S T Q Q S S D
    « Jul    
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031