XX Europeu de Voleibol, 1997, Holanda: título para a Holanda

Finalmente! Após ter estado, desde o final da década de 80, tantas vezes perto de conquistar este troféu, a Holanda, em casa, sagrou-se campeã europeia de voleibol. Em 1996, já tinham chegado ao ouro olímpico, finalmente acrescentaram este troféu ao seu palmarés. Era a geração de ouro do voleibol masculino da Holanda. Nem antes, nem depois desta década de 90, tiveram outra que sequer se comparasse. Continuam a qualificar-se para torneios deste cariz, mas muito longe de alcançarem fases decisivas. Este ainda é algo que não foi repetido pela Holanda, o seu único título europeu. Custou muito! Mas conseguiram. Só faltou o Mundial, onde em 1994 atingiram a final, mas perderam com a sua besta negra a Itália. Durante este torneio, não teve adversário à altura, só cedeu um set, na final com a Jugoslávia. E a vitória nas meias-finais diante da Itália deve ter sabido bem, tantas desilusões que tiveram contra este antagonista. A Holanda em 1997 foi campeã europeia, espera-se por outra geração que volte a por esta nação na luta por títulos.

cev 1

1997: Holanda: Holanda
   
 
 
  1ªfase (Grupo 2) Finlândia 3-0 (15-3,15-7,15-2)
  Ucrânia 3-0 (15-6,15-10,15-1)
  República Checa 3-0 (15-7,15-2,15-6)
  França 3-0 (16-14,15-6,15-5)
  Bulgária 3-0 (15-3,15-9,15-11)
  Meias-finais Itália 3-0 (15-9,15-6,15-13)
  FINAL Jugoslávia 3-1 (15-11,10-15,15-10,15-9)
 
 
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Anúncios

XIX Europeu de Voleibol, 1995, Grécia: título para a Itália

1995, Grécia: Itália    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 2) Roménia 3-0 (15-7,15-2,15-5)
      Bulgária 3-0 (15-6,15-10,15-12)
      Polónia 3-0 (15-8,15-6,16-14)
      República Checa 3-0 (15-8,17-15,15-11)
      Rússia 1-3 (10-15,12-15,15-4,10-15)
    Meias-finais Jugoslávia 3-1 (15-11,10-15,15-6,15-9)
    FINAL Holanda 3-2 (13-15,15-10,11-15,15-12,15-11)
         
         
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

A sorte estava a mudar. Os vencedores e finalistas eram outros. A Rússia já não dominava isto como queria. Isto é verdade porque a final foi entre a Itália e a Holanda, isto, apesar da derrota dos italianos diante da Rússia na primeira fase. Todavia, já tinham o apuramento garantido quando disputaram esse jogo. Nas meias-finais, a Itália teve algumas dificuldades diante dos jugoslavos, precisou de quatro sets para se qualificar para a final. O jogo decisivo foi diante da Holanda e foi uma das finais mais renhidas da história dos Europeus de voleibol: cinco sets, os holandeses estiveram a vencer por dois sets a um, porém, a Itália ganhou o quarto e quinto sets, todos com um resultado muito apertado e assim somou mais um título neste evento. A Holanda continuava à procura do seu primeiro ouro depois de ter estado perto várias vezes nas últimas edições deste torneio.

 

cev

XVI Europeu de Voleibol, Suécia, 1989: primeiro para a Itália

1989-Suécia: Itália    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 1) Bulgária 3-1 (10-15,15-9,15-5,15-6)
      RFA 3-1 (15-2,15-9,13-15,15-2)
      RDA 3-1 (11-15,15-5,15-1,15-13)
      Suécia 3-0 (15-8,15-9,15-8)
      França 2-3 (5-15,13-15,15-4,17-15,13-15)
    Meias-finais Holanda 3-0 (15-7,15-3,15-2)
    FINAL Suécia 3-1 (14-16,15-7,15-13,15-7)
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

Após duas décadas de domínio, finalmente a URSS perdeu a hegemonia, sendo surpreendente derrotada nas meias-finais pelos anfitriões, a Suécia. A Itália capitalizou essa derrota, vencendo os suecos na final, conseguindo o seu primeiro título. Não só foram campeões, como teriam eles mesmo o seu período de domínio, não tão forte como os soviéticos. Os italianos somaram uma derrota na fase de grupos diante da França, todavia, tinham vencido os quatro anteriores, assim já estavam apurados aquando deste jogo. Nas meias-finais um passeio frente à Holanda, da qual se esperava mais oposição. Na final, a Suécia, surpreendente finalista, não esteve à altura da exibição das meias, onde afastara os russos, cedendo por 3-1. A Itália finalmente foi campeão europeia de voleibol, depois de décadas sem grandes resultados. Nesta década de 80, deu-se uma nova era no voleibol ao nível das competições europeias: os clubes italianos passaram a ganhar quase todas as épocas, em quase todas as competições europeias. A Itália tornou-se numa verdadeira potência de voleibol, sobretudo na vertente masculina.

cev

 

IX Europeu de Voleibol, 1975, Jugoslávia: novo título para a União Soviética

cev 2

 

Uma prova disputada na Jugoslávia em nada alterou o que era normal na década de 70. Isto é, novo europeu, novo título para os soviéticos. Mais uma vez sem qualquer derrota. Foram acumulando vitória atrás de vitória. Só tiveram dificuldades frente aos organizadores, cedendo os dois primeiros sets. Porém a reação foi sintomática: ganharam os restantes três por claros: 15-0, 15-5 e 15-8. Nos restantes jogos, só permitiriam mais uma partida no jogo com a Bulgária, na primeira fase da prova.

Elucide-se que nesta altura não havia final: depois de uma primeira fase de grupos, passavam os dois primeiros; os apurados encontravam-se numa poule final, todos contra todos, acumulando o resultado da outra equipa apurada do grupo da fase inicial, o que vencesse mais jogos era campeão. Assim, a URSS, venceu essas cinco partidas, daí mais um título.

 

 

Caminho para o título europeu
1975-Jugoslávia
URSS
   
    1ªfase

(Grupo 2)

Bulgária 3-1 (8-15,15-8,15-7,15-10)
  França 3-0 (15-4,15-10,15-7)
  RDA 3-0 (15-6,15-12,15-5)
  Fase Final [Bulgária (8-15,15-8,15-7,15-10)] -resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
  Polónia 3-0 (15-12,15-10,15-7)
  Roménia 3-0 (15-2,15-8,15-10)
  Jugoslávia 3-2 (13-15,7-15,15-0,15-5,15-8)
  Checoslováquia 3-0 (15-8,15-13,15-3)
 
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

 

VII Europeu de Voleibol, 1967, Istambul, Turquia: novo título soviético

Uma nova edição com o resultado do costume, isto é, novo título russo ou soviético. Apenas dois jogos verdadeiramente difíceis o primeiro frente à RDA e o último frente à Checoslováquia que decidia o título, pois, quer os checos quer os russos tinham ganho todos os encontros da segunda fase sendo assim este último decisivo na atribuição do troféu, isto é, quem vencesse era campeão. Apesar de uma partida muito equilibrada, a consequência disso foi o normal: festa para os russos! De resto, nada mais a acrescentar numa caminhada mais ou menos calma rumo à festa.

cev 2

Caminho para o título europeu      
1967-Istambul/Turquia      
URSS      
         
    1ªfase RDA 3-2 (17-19,15-5,3-15,15-4,15-9)
    (Grupo A) Suécia 3-0 (15-5,15-1,15-3)
      Holanda 3-0 (15-9,15-10,15-13)
      Áustria 3-0 (15-2,15-0,15-1)
    Fase Final [RDA] 3-2 (17-19,15-5,3-15,15-4,15-9)-resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Roménia 3-1 (15-6,15-8,5-15,15-7)
      Polónia 3-1 (15-6,15-6,5-15,15-11)
      Itália 3-0 (15-8,15-8,15-3)
      Hungria 3-0 (15-8,15-8,15-6)
      Jugoslávia 3-0 (15-1,15-9,15-8)
      Checoslováquia 3-2 (15-7,15-13,13-15,10-15,15-10)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑