Leixões todas as classificações na I Divisão de Voleibol

lsc

Eis todas as classificações do Leixões na I Divisão de Voleibol:

Leixões-63 presenças
Épocas: 1946-47 a 1948-49, 1950-51 a 1955-56, 1958-59 a 1960-61, 1963-64 a 2012-13, 2014-15
CAMPEÃO: 1964,1972,1974,1976,1979,1980,1982,1989
2ºlugar: 1951,1952,1953,1966,1971,1973,1983,1984,1986,1988,1992
3ºlugar: 1947,1948,1955,1965,1967,1969,1970,1975,1977,1978,1981,1987,

1990,1996,1999

4ºlugar: 1954,1956,1959,1960,1961,1968,1985,1991,1993,1995,1998,2009
5ºlugar: 1949,1994,2002,2007,2008
6ºlugar: 2000,2001,2011
7ºlugar: 2003,2005,2006
8ºlugar: 1997,2004,2012,2015
9ºlugar: 2010
12ºlugar: 2013
Anúncios

Campeões em ambos os géneros: Leixões, voleibol, 1963-64, masculinos; 1964-65, femininos

1963-64, I Divisão Voleibol J V D SETS P
1-Leixões 8 7 1 22-8 15
2-Sporting Espinho 8 6 2 21-11 14
3-Lisboa e Ginásio 8 4 4 19-14 12
4-Benfica 8 3 5 11-16 11
5-Académica 8 0 8  0-24  8

Um título um pouco surpreendente, pois o Leixões nas duas épocas anteriores tinha participado na II Divisão, vencendo mesmo esse troféu em 1961-62. Assim, num percurso quase imaculado, tendo perdido apenas um jogo, somando sete vitórias, alcançando o seu primeiro campeonato. Primeiro de oito; ainda hoje, apesar de o seu último título ter sido em 1988-89, é o quarto clube com mais campeonatos, só ultrapassado pelo FC Porto, com nove, o Técnico com 13 e o Sporting Espinho com 18. E é o segundo clube com mais presenças no escalão máximo de voleibol, só melhorado pelos espinhenses.

fpv 2

1964-65, I Divisão Voleibol Feminino J V D SETS P
1-Leixões 8 7 1 21-5 15
2-Benfica 8 6 2 20-8 14
3-Sporting Espinho 8 4 4 16-15 12
4-CDUL 8 3 5 11-17 11
5-Arte e Recreio 8 0 8  1-24  8

Este título, primeiro do Leixões na vertente feminina, não foi tão surpreendente com o masculino, pois estas já tinham sido vice-campeãs em épocas anteriores. Tinham participado nas cinco edições antes desta. Ainda hoje, as leixonenses são de longe a equipa com mais presenças no escalão máximo de voleibol feminino. E isto foi o primeiro título de quinze, que permite ao Leixões ser o clube com mais títulos nas senhoras de voleibol, apesar de o último ter sido em 1991-92. Este foi o primeiro, o culminar de um trabalho de meia década, pois em anos anteriores, já tinham andado perto. Assim, conseguiram em dois anos seguidos, ser campeões em homens e mulheres, o seu primeiro em ambos. Foi o clube que mais rapidamente venceu o seu primeiro troféu em ambos em géneros: 1963-64, masculinos; 1964-65, femininos.

Benfica-Sporting na Taça de Portugal

fpf 13

 

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1933-34 Meias-finais: Sporting-Benfica 3-2/0-0*
1934-35 FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1936-37 Meias-finais: Benfica-Sporting 3-2/2-4*
1937-38 FINAL: Sporting-Benfica 3-1
1941-42 Quartos-de-final: Sporting-Benfica 4-0
1942-43 Meias-finais: Benfica-Sporting 3-2
1944-45 Meias-finais: Sporting-Benfica 1-2/3-2/1-0+
1947-48 Meias-finais: Sporting-Benfica 3-0
1951-52 FINAL: Benfica-Sporting 5-4
1953-54 1ªeliminatória: Sporting-Benfica 3-2/1-2*/4-2+
1954-55 FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1958-59 Meias-finais: Benfica-Sporting 1-2/3-1
1959-60 Meias-finais: Sporting-Benfica 3-0/0-0*
1962-63 Meias-finais: Sporting-Benfica 0-1/2-0
1969-70 FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1970-71 FINAL: Sporting-Benfica 4-1
1971-72 FINAL: Benfica-Sporting 3-2 a.p.
1973-74 FINAL: Sporting-Benfica 2-1 a.p.
1975-76 5ªeliminatória: Sporting-Benfica 1-0
1976-77 Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 3-0
1977-78 Quartos-de-final: Sporting-Benfica 3-1
1979-80 Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 2-1
1982-83 Quartos-de-final: Benfica-Sporting 3-0
1983-84 Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 2-1
1985-86 Quartos-de-final: Benfica-Sporting 5-0
1986-87 FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1995-96 FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1999-2000 Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 1-3
2004-05 Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 3-3/7-6 g.p.
2007-08 Meias-finais: Sporting-Benfica 5-3
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

 

O Benfica e o Sporting defrontaram-se por 30 vezes na Taça de Portugal. A maior parte destes confrontos ocorreu durante os alvores da competição, pois, nesta competição, então, pouco mais participavam de que equipas da I Divisão e assim, em muitos anos, nem 20 equipas disputavam uma edição da prova. Assim, a probabilidade destas se encontrarem era maior. Com a democratização do evento, com a presença de equipas de todas as divisões nacionais, ou seja, muitas mais equipas a participar, isto tornou-se menos provável de acontecer. Um exemplo disso é que já vamos em 2013, século XXI, e Benfica e Sporting apenas se encontraram em duas ocasiões: 2004-05 e 2007-08, com dois jogos espetaculares, 3-3 num e 5-3 noutro, com uma eliminação para cada lado.

A maior vitória do Benfica sobre o Sporting aconteceu em 1985-86, nos quartos-de-final por 5-0. A do Sporting ocorreu por 4-0, nos quartos-de-final em 1941-42; isto demonstra o equilíbrio quando se confrontam. O auge destes clássicos foi entre 1969-70 e 1973-74, onde em cinco anos, se defrontaram na final da taça por quatro vezes: 1969-70, 1970-71, 1971-72 e 1973-74. O facto inédito de três finais consecutivas jogadas entre os dois. Nas finais duas vitórias para cada lado, no entanto, ressalve-se a goleada por 4-1 do Sporting ao Benfica, na final de 1970-71; e o hat-trick de Eusébio na vitória da época seguinte, 3-2, no prolongamento.

As duas equipas lisboetas enfrentaram-se por 30 vezes. Apesar, do Benfica ter larga vantagem nas finais: sete vitórias (1934-35,1951-52,1954-55,1969-70,1971-72,1986-87 e 1995-96), contra três dos leões (1937-38,1970-71 e 1973-74); o Sporting em fases a eliminar antes da final leva um grande avanço: nas 20 que isso aconteceu, os leões eliminaram as águias por 14 vezes contra seis. Isto não deixa de ser interessante, já que, o Benfica ganhou 27 taças contra 19 do Sporting e a larga vantagem dos encarnados nos confrontos do campeonato. No balanço geral (finais e eliminatórias): o Sporting eliminou o Benfica em 17 ocasiões e o Benfica levou a melhor em 13.

Benfica bi-campeão em 1963-64, curiosidade: 103 golos marcados, recorde do clube

fpf 9

 

Numa época pobre a nível europeu, ainda mais com o sucesso das três anteriores temporadas, três finais seguidas da Taça dos Campeões, onde foi eliminado nos oitavos-de-final (então segunda eliminatória da prova), pelo Borússia Dortmund, sendo esmagado na RFA, perdendo por 5-0, o Benfica foi claramente campeão, seis pontos da avanço, agora seriam onze pontos, na altura a vitória só valia dois não três pontos como agora e, sobretudo, estabeleceu o seu recorde de golos numa só época: 103, ainda, hoje, segundo maior registo de sempre.

Duas vitórias por 8-0, uma por 8-1 e um chapa dez ao Seixal, clube que teve aqui a sua primeira de duas presenças no escalão máximo, consecutivas. Mais algumas goleadas como 7-0 ao Leixões e alguns vitórias com cinco dígitos; em resumo, uma época onde o Benfica passeou contra quase todos os adversários, os únicos que lhe causaram problemas foram o FC Porto, dois empates, e o Sporting, que , lhes infligiram a única derrota no campeonato e um empate na Luz.

Um final de época de glória para os lisboetas, pois, alcançaram a dobradinha, esmagando o FC Porto na final por 6-2.

Finalmente, destaca-se o quinto lugar da CUF (agora Fabril de Barreiro), uma boa temporada que na época seguinte levou os cufenses ao pódio do campeonato, isto é, terminaram em terceiro lugar em 1964-65. Os vimaranenses acabaram no quarto lugar, um lugar honroso, já que, era, então, apenas a segunda vez que tão alto se classificavam.

 

 

1963-64 J V E D GOLOS P
1-Benfica 26 21  4  1 103-26 46
2-FC Porto 26 16  8  2  51-20 40
3-Sporting 26 13  8  5  49-26 34
4-Vitória Guimarães 26 16  2  8  62-42 34
5-CUF 26 12  6  8  46-33 30
6-Belenenses 26 12  6  8  46-36 30
7-Vitória Setúbal 26 12  5  9  46-41 29
8-Leixões 26  8  9  9  34-44 25
9-Académica 26 11  3 12  43-48 25
10-Varzim 26  8  4 14  37-57 20
11-Lusitano Évora 26  5  4 17  22-51 14
12-Seixal 26  4  6 16  28-66 14
13-Olhanense 26  2  8 16  20-57 12
14-Barreirense 26  4  3 19  22-62 11

 

1963-64, Benfica CAMPEÃO CASA FORA
FC Porto 2-2 1-1
Sporting 2-2 1-3
Vitória Guimarães 2-1 4-1
CUF 2-1 3-0
Belenenses 5-2 1-1
Vitória Setúbal 5-2 4-2
Leixões 7-0 5-1
Académica 3-0 5-1
Varzim 8-0 2-0
Lusitano Évora 2-0 3-1
Seixal 10-0 3-2
Olhanense 8-1 3-0
Barreirense 8-0 4-2
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
11 2 0 64-11 10 2 1 39-15
TOTAL
J V E D GOLOS P
26 21 4 1 103-26 46

Benfica na Taça de Portugal: 1951-52 a 1980-81

Neste período temporal, o Benfica venceu doze taças e perdeu cinco finais, isto é, disputou 17 hipóteses de conquistar este troféu. Com o decorrer dos anos, equipas fora da esfera dos grandes começaram a eliminar os encarnados: Sporting Braga, Académica, Boavista, Leixões, Vitória Setúbal; isto demonstra que o fosso entre os principais clubes e os restantes diminuiu, não muito, mas sim, em relação aos anos 30 e 40. Fosso esse que seria aproximado nas próximas décadas. De realçar ainda o facto de o Sporting ter eliminado o Benfica em três edições consecutivas, 1975-76 a 1977-78, coisa inédita na história desta prova.

Outra curiosidade é o facto de apenas Otto Glória, treinador brasileiro, que conquistou três vezes isto, ser o único a ganhar mais que uma ocasião, de resto uma lista de vários técnicos que levantaram a taça pelo Benfica uma só vez. Apenas Cândido Tavares, Ribeiro dos Reis, Fernando Caiado, José Augusto e Mário Wilson são portugueses, de resto, tudo de fora. O FC Porto foi a equipa que mais vezes defrontou o Benfica na final, seis vezes (1952-53,1957-58,1958-59,1963-64,1979-80 e 1980-81), os encarnados ganharam cinco, o FC Porto uma, 1957-58 (ainda a única que conseguiu derrotar os lisboetas na final) e o Sporting (1951-52,1954-55,1969-70,1970-71,1971-72,1973-74),também, disputou seis finais, triunfando duas e perdendo quatro. As outras duas derrotas foram frente ao Vitória Setúbal, 1964-65 e o Boavista em 1974-75 (final disputada no Estádio José de Alvalade).

Image

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
1951-52 VENCEDOR: Sporting 5-4
1952-53 VENCEDOR: FC Porto 5-0
1953-54 1ªeliminatória: Sporting 2-3/2-1/2-4+
1954-55 VENCEDOR: Sporting 2-1
1955-56 Oitavos-de-final: Belenenses 1-2*
1956-57 VENCEDOR: Sporting Covilhã 3-1
1957-58 Finalista vencido: FC Porto 0-1
1958-59 VENCEDOR: FC Porto 1-0
1959-60 Meias-finais: Sporting 0-3*/0-0
1960-61 Oitavos-de-final: Vitória Setúbal 3-1/1-4*
1961-62 VENCEDOR: Vitória Setúbal 3-0
1962-63 Meias-finais: Sporting 1-0/0-2
1963-64 VENCEDOR: FC Porto 6-2
1964-65 Finalista vencido: Vitória Setúbal 1-3
1965-66 Quartos-de-final: Sporting Braga 1-4*/3-1
1966-67 Quartos-de-final: Académica 0-2*/2-1
1967-68 Meias-finais: FC Porto 2-2/0-3*
1968-69 VENCEDOR: Académica 2-1 a.p.
1969-70 VENCEDOR: Sporting 3-1
1970-71 Finalista vencido: Sporting 1-4
1971-72 VENCEDOR:Sporting 3-2 a.p.
1972-73 Oitavos-de-final: Leixões 0-2*
1973-74 Finalista vencido: Sporting 1-2 a.p.
1974-75 Finalista vencido: Boavista 1-2
1975-76 5ªeliminatória: Sporting 0-1*
1976-77 Oitavos-de-final: Sporting 0-3*
1977-78 Quartos-de-final: Sporting 1-3*
1978-79 4ªeliminatória: Sporting Braga 1-2*
1979-80 VENCEDOR: FC Porto 1-0
1980-81 VENCEDOR: FC Porto 3-1
+Campo neutro; *recinto adversário

Vitórias portuguesas nas competições da UEFA

1960-61 marcou o ano da primeira final e primeiro triunfo duma equipa portuguesa nas competições da UEFA. Este feito foi obtido pelo Benfica, batendo na final da Taça dos Campeões o Barcelona por 3-2, golos de José Águas, Ramallets (pb) e Coluna. Ainda sem Eusébio, tinha jogadores como Costa Pereira, os esteios defensivos Mário João, Germano e Ângelo, no meio-campo Neto e Cruz e na frente jogadores como Coluna, Cavém, José Águas, Santana e José Augusto. Na vitória de 1961-62, o onze era quase o mesmo, destacando-se as entradas dos jovens adolescentes Eusébio e António Simões, com Mário Coluna a assumir-se como o patrão do meio-campo, para as saídas de Santana e Neto do onze da final anterior. Relembra-se que nesta altura não havia substituições nem cartões. Os golos foram obtidos por Cavém, José Águas, Coluna e um bis de Eusébio. O treinador do bis europeu foi Bella Guttmann.

Em 1963-64, o Sporting vence a Taça das Taças, treinado por Anselmo Fernandez,onde no caminho para a final precisou de dois jogos de desempate, já que na altura não havia nem desempate por golos fora, nem por pontapés da marca da grande penalidade. Na final frente a um representante do então fortíssimo futebol magiar, MTK Budapeste, o Sporting precisou de uma finalíssima para vencer a competição, depois de um empate a três golos na final, com golos de Mascarenhas e um bis de Figueiredo. Na finalíssima um canto directo, aos 19 minutos, de Morais, deu à equipa lisboeta o seu único troféu europeu. Além dos três marcadores dos golos, jogadores como Hilário, Carvalho (guarda-redes), Fernando Mendes, Alexandre Baptista, Osvaldo Silva, Géo, desempenharam um papel importante neste triunfo, sobretudo Osvaldo Silva que se destacou na reviravolta nos quartos-de-final frente ao Manchester United, marcando uma hat-trick na vitória da segunda mão por 5-0.

Nos anos 80, treinador por Artur Jorge,onde emergia já o poderoso FC Porto e onde começou o seu domínio do futebol português, venceu na final da Taça dos Campeões os arrogantes alemães do Bayern do Munique com o inesquecível calcanhar de Madjer e dois minutos depois Juary fez do clube portuense campeão europeu. Jogadores como Augusto Inácio, Celso, Frasco, João Pinto, Eduardo Luís, Quim, António Sousa, Jaime Pacheco, Futre, Jaime Magalhães, Fernando Gomes (falhou a final), André e o guarda-redes Mlynarczyk. Na Taça Intercontinental, treinado por Tomislav Ivic, dois golos de Fernando Gomes e de Madjer, este já no prolongamento, deram este troféu ao FC Porto, num relvado completamente coberto de neve. Ainda referente a essa época, também orientado por Tomislav Ivic, a conquista da Supertaça Europeia frente ao Ajax com uma dupla vitória por 1-0, sendo que na vitória na Holanda o golo foi marcado pelo pequeno Rui Barros, um jogador que no final da época 1987-88 se transferiu para a Juventus. Nas épocas de glória seguintes, 2002-03 e 2003-04, seria José Mourinho o timoneiro dos triunfos na Taça UEFA e Liga dos Campeões em anos consecutivos, feitos que só Bob Paisley, pelo Liverpool (1975-76 Taça UEFA, 1976-77 Taça dos Campeões) e Rafa Benitez, pelo Valência (2003-04 Taça UEFA) e pelo Liverpool (2004-05 Liga dos Campeões) conseguiram. Com golos de Derlei e Alenitchev frente ao Celtic, na Taça UEFA e com golos de Carlos Alberto, Deco e Alenitchev frente ao Mónaco, na Liga dos Campeões, o FC Porto obteve esses feito. Vítor Baía na baliza, Paulo Ferreira, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Nuno Valente e até Ricardo Costa e Pedro Emanuel-em Sevilha, contra o Celtic-Costinha, Deco, Maniche e Alenitchev, depois no ataque Derlei, Capucho e depois McCarty, Marco Ferreira, César Peixoto, Carlos Alberto, entre outros, que fizeram da equipa portuense a equipa portuguesa com mais palmarés europeu, complementada por nova Taça Intercontinental, com jogadores novos como Seitaridis, Diego, Luis Fabiano e Ricardo Quaresma.

ÉPOCA

CLUBE

FASE ATINGIDA

ADVERSÁRIO

RESULTADO

1960-61

Benfica

1ªeliminatória

Hearts (Escócia)

2-1*/3-0

 

 

Oitavos-de-final

Ujpest (Hungria)

6-2/1-2*

 

 

Quartos-de-final

Aarhus (Dinamarca)

3-1/4-1*

 

 

Meias-finais

Rapid Viena (Áustria)

3-0/1-1*

 

 

FINAL

Barcelona (Espanha)

3-2

1961-62

Benfica

Oitavos-de-final

Áustria Viena (Áustria)

1-1*/5-1

 

 

Quartos-de-final

Nuremberga (RFA)

1-3*/6-0

 

 

Meias-finais

Tottenham (Inglaterra)

3-1/1-2*

 

 

FINAL

Real Madrid (Espanha)

5-3

1963-64

Sporting

1ªeliminatória

Atlanta (Itália)

0-2*/3-1/3-1 a.p.+

 

 

Oitavos-de-final

Apoel Nicósia (Chipre)

16-1/2-0

 

 

Quartos-de-final

Manchester United (Inglaterra)

1-4*/5-0

 

 

Meias-finais

Lyon (França)

0-0*/1-1/1-0+

 

 

FINAL

MTK Budapeste (Hungria)

3-3/1-0

1986-87

FC Porto

1ªeliminatória

Rabat Ajax (Malta)

9-0/1-0*

 

 

Oitavos-de-final

Vitkovice (Checoslováquia)

0-1*/3-0

 

 

Quartos-de-final

Brondby (Dinamarca)

1-0/1-1*

 

 

Meias-finais

Dínamo Kiev (URSS)

2-1/2-1*

 

 

FINAL

Bayern Munique (RFA)

2-1

 

FC Porto

FINAL

Peñarol (Uruguai)

2-1 a.p.

 

FC Porto

FINAL

Ajax (Holanda)

1-0*/1-0

2002-03

FC Porto

1ªeliminatória

Polónia Varsóvia (Polónia)

6-0/0-2*

 

 

2ªeliminatória

Áustria Viena (Áustria)

1-0*/2-0

 

 

3ªeliminatória

Lens (França)

3-0/0-1*

 

 

Oitavos-de-final

Denizlispor (Turquia)

6-1/2-2*

 

 

Quartos-de-final

Panathinaikos (Grécia)

0-1/2-0 a.p.*

 

 

Meias-finais

Lázio (Itália)

4-1/0-0

 

 

FINAL

Celtic (Escócia)

3-2 a.p.

2003-04

FC Porto

1ªfase

Partizan Belgrado (Sérvia e Montenegro)

1-1*

 

 

 

Real Madrid (Espanha)

1-3

 

 

 

Marselha (França)

3-2*

 

 

 

Marselha (França)

1-0

 

 

 

Partizan Belgrado (Sérvia e Montenegro)

2-1

 

 

 

Real Madrid (Espanha)

1-1*

 

 

Oitavos-de-final

Manchester United (Inglaterra)

2-1/1-1*

 

 

Quartos-de-final

Lyon (França)

2-0/2-2*

 

 

Meias-finais

Deportivo Corunha (Espanha)

0-0/1-0*

 

 

FINAL

Mónaco (França)

3-0

 

FC Porto

FINAL

Once Caldas (Colômbia)

0-0/8-7 g.p.

*jogos no campo adversário. +jogos em campo neutro

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑