Um grande abaixo do quarto lugar: Sporting, 5ºlugar, 1972-73

fpf 16

 

1972-73 J V E D GOLOS P
1-Benfica 30 28  2  0 101-13 58
2-Belenenses 30 14 12  4  53-30 40
3-Vitória Setúbal 30 16  6  8  65-26 38
4-FC Porto 30 15  7  8  56-28 37
5-Sporting 30 15  7  8  57-31 37
6-Vitória Guimarães 30 11 11  8  38-38 33
7-Boavista 30 12  7 11  41-47 31
8-CUF 30 11  8 11  38-37 30
9-Leixões 30 11  8 11  32-45 30
10-Barreirense 30  9  7 14  43-64 25
11-Farense 30  8  8 14  27-53 24
12-Beira-Mar 30  5 13 12  27-57 23
13-Montijo 30  9  5 16  29-47 23
14-União Coimbra 30  5  7 18  22-54 17
15-Atlético 30  4  9 17  27-52 17
16-União Tomar 30  6  5 19  35-69 17
             

 

1972-73: Sporting, 5ºlugar CASA FORA
Benfica 1-2 1-4
Belenenses 1-0 2-2
Vitória Setúbal 1-0 0-2
FC Porto 0-3 1-0
Vitória Guimarães 2-0 1-1
Boavista 1-0 2-3
CUF 0-1 1-1
Leixões 0-1 2-2
Barreirense 5-1 4-1
Farense 4-0 3-1
Beira-Mar 4-0 0-0
Montijo 4-1 0-0
União Coimbra 3-1 5-1
Atlético 4-1 0-1
União Tomar 4-0 1-1
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
11 0 4 34-11 4 7 4 23-20
TOTAL
J V E D GOLOS P
30 15 7 8 57-31 37

 

O Benfica esteve verdadeiramente intratável durante a temporada de 1972-73, na I Divisão. Trinta jogos, vinte e oito vitórias e nenhuma derrota. 101 golos marcados e apenas 13 sofridos. Mas, estamos aqui para falar de um Sporting que acabou num impensável quinto lugar. É verdade que salvou a época, ganhando a Taça de Portugal, mas não deixa de ser algo mau, quinto classificado. O FC Porto, também, não fez muito melhor e acabou em quarto. A surpresa foi o Belenenses em segundo e o Vitória Setúbal em terceiro. Dois grandes fora do pódio, algo inédito então!

Quatro derrotas caseiras já por si só não augura algo de bom e isso expressou-se na classificação final. Se perder com o Benfica e o FC Porto em casa pode ser considerado normal, com o Leixões e a CUF, nono e oitavo classificado, obviamente, demonstrou que os leões estavam a fazer uma péssima temporada.

Fora a coisa também não foi muito melhor. Apenas quatro vitórias, sete empates e quatro derrotas. Resumindo uma participação no campeonato para esquecer, isto, porque estamos a falar de um crónico candidato ao título. Ainda assim, parece que o Sporting aprendeu com este desempenho, na época seguinte fizeram a dobradinha e chegaram às meias-finais da Taça das Taças. Mas que custou para os seus adeptos custou!

O já referido acima, Belenenses e Vitória Setúbal no pódio. Realce-se a única presença da União de Coimbra na I Divisão, curiosamente, o seu rival da cidade, a Académica, tinha descido na época anterior, por isso, não se defrontaram aqui. Uma curiosidade pois a Académica ultrapassou há muito as meia centena de presenças na agora I Liga, mas falhou a temporada em que podia ter-se disputado um derby conimbricense. A União de Coimbra terminou em 14º e desceu na liguilha. O Montijo estreou-se aqui na I Divisão, participou três vezes.

Anúncios

Um grande abaixo do quarto lugar: FC Porto, 5ºlugar, 1971-72

 

 

1971-72 J V E D GOLOS P
1-Benfica 30 26  3  1 81-16 55
2-Vitória Setúbal 30 17 11  2 62-16 45
3-Sporting 30 17  9  4 51-26 43
4-CUF 30 12 13  5 43-28 37
5-FC Porto 30 13  7 10 51-32 33
6-Vitória Guimarães 30 11  8 11 49-47 30
7-Belenenses 30 11  7 12 35-33 29
8-Barreirense 30 11  5 14 34-46 27
9-Farense 30  9  7 14 34-48 25
10-Atlético 30  8  9 13 35-52 25
11-Boavista 30  7 10 13 28-46 24
12-União Tomar 30  9  5 16 25-42 23
13-Beira-Mar 30  7  9 14 29-51 23
14-Leixões 30  7  7 16 26-51 21
15-Académica 30  7  7 16 29-38 21
16-Tirsense 30  6  7 17 26-66 19
             

 

1971-72: FC Porto, 5ºlugar CASA FORA
Benfica 1-3 0-1
Vitória Setúbal 0-1 0-2
Sporting 0-0 1-2
CUF 1-0 0-1
Vitória Guimarães 1-2 4-0
Belenenses 3-2 2-3
Barreirense 1-1 1-1
Farense 2-0 0-0
Atlético 1-3 1-1
Boavista 6-0 2-1
União Tomar 1-1 2-0
Beira-Mar 1-0 5-1
Leixões 2-0 1-0
Académica 2-3 1-0
Tirsense 6-0 3-3
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
7 3 5 28-16 6 4 5 23-16
TOTAL
J V E D GOLOS P
30 13 7 10 51-32 33

 

 

 

 

fpf 17

 

A última vez que aconteceu ao FC Porto. Ficar abaixo do quarto lugar não mais se verificou na história do clube portuense. O pior a seguir foram três quartos lugares, todos na década de 70. Depois, os portistas entrariam no seu período de domínio do futebol português. Contudo, esta foi uma época verdadeiramente para esquecer; provavelmente, a pior de sempre em casa, em campeonatos com mais de dez clubes. Cinco derrotas, três empates e sete vitórias, foi o pecúlio dos jogos no Estádio das Antas. Isto é, nem 50% dos encontros realizados em seu reduto triunfaram.

Fora de casa, também, não foram nada de especial, contudo, ganharam mais do que o que perderam. Tudo somado colocou, 22 anos depois, o clube novamente em quinto lugar. Já, em 1949-50, tinha sido o pior de sempre fora de casa, com apenas uma vitória, um empate, e onze derrotas. Este, no Estádio das Antas, para esquecer. Terminaram com 33 pontos, quatro atrás da CUF, quarta classificada, e 22 atrás do Benfica, que foi campeão. Relembre-se, naquele tempo, a vitória só valia dois pontos, às contas atuais, seriam 35 pontos de desvantagem portista, muitos pontos!

O Vitória de Setúbal conseguiu a sua melhor classificação de sempre, foi vice-campeão. A CUF, com o quarto lugar, igualando o registo de 1961-62, atrás do pódio de 1964-65, qualificou-se pela última vez para as competições europeias, onde atingiu a segunda eliminatória, sendo, a primeira equipa a vencer na então RFA. A Académica após se ter qualificado para as competições europeias na temporada anterior, desceu nesta, pondo fim a 23 anos seguidos no escalão máximo do futebol português. Atualmente, ainda é a maior sequência de épocas consecutivas pela equipa de Coimbra.

Um grande abaixo do 4ºlugar: 1947-48, FC Porto, 5ºlugar

1947-48 J V E D GOLOS P
1-Sporting 26 20  1  5 92-40 41
2-Benfica 26 19  3  4 84-35 41
3-Belenenses 26 16  5  5 76-30 37
4-Estoril 26 16  4  6 91-49 36
5-FC Porto 26 17  2  7 73-42 36
6-Atlético 26 11  4 11 69-62 26
7-Vitória Guimarães 26 10  4 12 44-56 24
8-Elvas 26 11  2 13 66-63 24
9-Boavista 26  9  2 15 40-65 20
10-Vitória Setúbal 26  8  3 15 38-64 19
11-Olhanense 26  5  7 14 48-66 17
12-Lusitano VRSA 26  7  3 16 29-78 17
13-Sporting Braga 26  6  4 16 47-69 16
14-Académica 26  4  2 20 35-113 10

 

1947-48: FC Porto, 5ºlugar CASA FORA
Sporting 4-1 2-5
Benfica 0-2 1-4
Belenenses 0-2 0-3
Estoril 2-2 1-4
Atlético 1-1 5-3
Vitória Guimarães 3-1 3-0
Elvas 4-0 4-2
Boavista 5-1 3-0
Vitória Setúbal 5-2 2-3
Olhanense 7-3 4-1
Lusitano VRSA 3-0 1-0
Sporting Braga 2-1 3-0
Académica 7-1 1-0
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
9 2 2 43-17 8 0 5 30-25
TOTAL
J V E D GOLOS P
26 17 2 7 73-42 36

 

Mais uma época para esquecer do FC Porto. Quinto lugar! Dois anos após ter sido sexto classificado, voltou a desiludir. A diferença desta temporada para esse sexto, é que o Estoril fez uma época excecional. A pontuação que os portuenses conseguiram dava, na grande maioria dos campeonatos com 14 clubes, para ficar nos três, quatro primeiros, mas os canarinhos foram excelentes. Assim, com os mesmos pontos do Estoril, mas, com desvantagem no confronto direto, primeiro critério de desempate em caso de igualdade na classificação, ficaram relegados a um quase escandaloso quinto lugar!

Novamente, os confrontos com os quatro primeiros foram péssimos: uma vitória, um empate e seis derrotas. Com isto, antevia-se, logo, que o resultado final não seria por aí além. Apenas um jogo perdido e um empate cedido, foram os poucos pontos perdidos frente a clubes abaixo do quinto lugar; no entanto, demasiados maus resultados com os clubes do topo originaram esta má classificação para os portistas, para os patamares deste emblema. Pois havia e há muitos clubes que não se importavam de ter um quinto lugar com uma das piores classificações!

O Estoril conseguiu aqui a sua melhor classificação de sempre, um quarto lugar, com um absurdo de 91 golos marcados, número que nem o FC Porto, Belenenses e Boavista (os outros campeões nacionais) alguma vez chegaram! Um patamar que este clube está prestes a repetir em 2013-14, veremos…. Também, 1947-48 ficou marcada pela estreia do Sporting Braga, um dos históricos do futebol português, acabando em 13º, fugindo por pouco à despromoção. Falando em estreias, não foi o Farense, nem o Portimonense, o segundo clube algarvio a participar na I Divisão, mas sim, o Lusitano VRSA, um pequeno clube do Algarve, agora compete nos Distritais. Seriam três épocas seguidas nesta luta, não mais participaria após este percurso. A Académica desceu pela primeira vez, depois de 14 épocas consecutivas, deixando de ser um totalista, à altura isso ficou reduzido a quatro clubes: os três grandes e o Belenenses. Juntando à descida, um ridículo ou uns ridículos 113 golos sofridos! Muito mau!

fpf 15

 

Um grande abaixo do 4ºlugar: FC Porto, 1945-46, 6ºlugar

 

1945-46 J V E D GOLOS P
1-Belenenses 22 18  2  2 74-24 38
2-Benfica 22 17  3  2 82-29 37
3-Sporting 22 15  2  5 73-36 32
4-Olhanense 22 13  1  8 65-39 27
5-Atlético 22  8  5  9 38-55 21
6-FC Porto 22  9  2 11 65-44 20
7-Vitória Setúbal 22  8  2 12 47-59 18
8-Vitória Guimarães 22  8  2 12 39-52 18
9-SL Elvas 22  8  1 13 43-78 17
10-Académica 22  7  2 13 51-76 16
11-Boavista 22  6  0 16 39-73 12
12-Oliveirense 22  3  2 17 22-73  8
             

 

1945-46: FC Porto, 6ºlugar CASA FORA
Belenenses 0-1 2-3
Benfica 2-3 0-4
Sporting 0-2 0-1
Olhanense 3-4 1-3
Atlético 11-0 1-2
Vitória Setúbal 2-2 4-1
Vitória Guimarães 3-2 2-1
SL Elvas 9-2 3-3
Académica 8-1 1-2
Boavista 3-1 2-3
Oliveirense 4-1 4-2
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
6 1 4 45-19 3 1 7 20-25
TOTAL
J V E D GOLOS P
22 9 2 11 65-44 20

 

Numa época que ficou marcada como inédita e não repetível ou impossível de acontecer novamente, devido ao título do Belenenses ,um dos dois que fugiu aos 3 grandes, só em 2000-01, no início do século XXI, o Boavista acabou com essa maldição. Entretanto, seria um campeonato com poucos motivos de festa para os portistas, pois, ficaram em sexto lugar, situação que não mais se repetiu. Isto, apesar, de terem uma diferença de golos de mais 21 marcados que sofridos e de terem humilhado o quinto classificado, Atlético, por 11-0, contudo, os homens de Lisboa, teriam na taça a sua vingança, eliminando os portistas nas meias-finais, disputando a primeira final realizada no Jamor.

Voltando à temporada dos portuenses, oito jogos, oito derrotas, com os primeiros quatro classificados. Só aí fica latente o quão mau isto foi. Apesar de algumas goleadas, a acrescentar à infligida aos homens do Atlético, 9-2 ao SL Elvas, 8-1 à Académica, aqueles oito jogos perdidos já de si não permitiriam um lugar muito destacado, mas acabar em sexto, foi mau de mais. Até, porque, o quinto classificado, o Atlético, teve mais derrotas que vitórias. Muito fraco! Resultado não mais igualado e só piorado em 1969-70.

Para concluir algumas notas: a primeira, o Olhanense conseguiu a sua melhor temporada de sempre na agora I Liga, um quarto lugar. A segunda, é que pela primeira vez na história do futebol português foram criadas subidas e descidas de divisão entre a então I Divisão e II Divisão. Como o campeonato foi alargado para 14 clubes em 1946-47, ao contrário dos doze que tinha: desceram o último classificado, Oliveirense (não mais regressou a estes palcos e esta é a sua única presença), subindo os três primeiros da II Divisão, o campeão Estoril mais o Famalicão e a Sanjoanense. Desde então, houve sempre descidas e subidas de divisão com formatos para todos os gostos, a única diferença foi em 1986-87.

 

fpf 15

Finais da Taça Portugal voleibol feminino: 1993-94 a 2012-13

fpv

 

 

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1993-94 Boavista-Castêlo Maia 3-1 (15-11,13-15,15-5,15-10)
1994-95 Boavista-Castêlo Maia 3-0 (15-9,15-13,15-5)
1995-96 Castêlo Maia-Sports Madeira 3-1 (15-12,10-15,16-14,15-9)
1996-97 Castêlo Maia-Boavista 3-0 (15-2,15-4,15-5)
1997-98 Castêlo Maia-Sports Madeira 3-0 (15-0,15-4,15-10)
1998-99 Castêlo Maia-Boavista 3-0 (15-10,15-0,15-7)
1999-2000 Castêlo Maia-Sports Madeira 3-2 (25-23,22-25,23-25,25-21,15-11)
2000-01 Boavista-Sports Madeira 3-0 (25-20,25-18,25-21)
2001-02 Castêlo Maia-Câmara Lobos 3-0 (25-19,25-15,25-15)
2002-03 Castêlo Maia-Sports Madeira 3-2 (25-17,22-25,23-25,25-17,15-13)
2003-04 Castêlo Maia-Sports Madeira 3-2 (22-25,19-25,26-24,25-17,15-8)
2004-05 CA Trofa-Famalicense AC 3-0 (25-22,25-20,25-19)
2005-06 CA Trofa-Ribeirense 3-0 (25-20,25-18,25-21)
2006-07 CA Trofa-Gueifães 3-0 (25-13,25-23,25-14)
2007-08 Sports Madeira-Gueifães 3-0 (25-22,25-17,25-16)
2008-09 Ribeirense-Gueifães 3-1 (25-14,18-25,25-17,25-16)
2009-10 CA Trofa-Sporting Braga 3-0 (25-15,25-16,25-9)
2010-11 Ribeirense-CA Trofa 3-0 (25-17,25-20,26-24)
2011-12 Ribeirense-Castêlo Maia 3-0 (25-17,25-13,25-13)
2012-13 Ribeirense-Gueifães 3-1 (24-26,25-23,25-22,25-20)

Nas últimas vinte edições da Taça Portugal de voleibol feminino, destaca-se o Castêlo Maia que disputou 11 finais, ganhando oito. Dessas oito, fez um penta, triufando entre 1995-96 e 1999-2000 e um tri entre 2001-02 e 2003-04, igualando o Leixões no número total de taças conquistadas, oito. O Boavista vem logo atrás com sete, três neste hiato: 1993-94, 1994-95 e 2000-01.

Depois do domínio da equipa maiata, duas equipas sobressaíram com quatro troféus: o CA Trofa, com um tri entre 2004-05 e 2006-07 e o Ribeirense que venceu as derradeiras três. Por fim, o Sports Madeira com uma taça em 2007-08. Uma conquista a muito custo pois perdeu as primeiras seis finais que disputou, festejando na sétima; não disputou mais finais após essa festa. Um clube que caminha na mesma direção é o Gueifães, também equipa maiata, que fez a sua estreia nesta fase em 2006-07, perdendo-a, tal como as duas próximas, 2007-08 e 2008-09, somando uma quarta desilusão em 2012-13. O Sports Madeira só venceu à sétima, veremos quantas precisará o Gueifães.

Finais da Taça Portugal voleibol feminino: 1972-73 a 1992-93

fpv 2

Nestas 21 épocas, o principal laureado foi o Leixões com oito triunfos, seis dos quais consecutivos, 1974-75 a 1979-80, que ainda é um recorde nesta competição, conseguindo cinco dobradinhas seguidas entre 1975-76 e 1979-80; feito repetido em 1988-89. O Atlético conseguiu o tri, vencendo entre 1981-82 e 1983-84, nunca foi campeão nacional; o mesmo se passa com o Sporting, com um bis, 1984-85 e 1985-86, também, nunca festejou o troféu máximo. O Benfica venceu as duas primeiras, 1972-73 e 1973-74, duas dobradinhas, a seguir ao título na I Divisão em 1974-75, nada mais ganhou até hoje. O Estrelas Avenida celebrou em 1989-90, juntando ao título da I Divisão de 1990-91. O mesmo fez o CDUP, que à festa de 1961-62, dezanove anos depois, adicionou a taça a esse campeonato. O Boavista, um dos grandes colecionadores de Taças de Portugal, triunfou em 1986-87, 1987-88, 1991-92 e 1992-93, quatro das sete que tem no seu palmarés.

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
1972-73 Benfica-Leixões 3-1 (15-8,15-12,15-17,15-9)
1973-74 Benfica-CDUP 3-0 (15-8,15-12, 15-9)
1974-75 Leixões-Benfica 3-2 (15-10,9-15,15-7,9-15,15-11)
1975-76 Leixões-Benfica 3-2 (15-13,15-11,14-16,14-16,15-7)
1976-77 Leixões-Benfica 3-1 (15-11,12-15,15-11,15-11)
1977-78 Leixões-Benfica 3-0 (15-5,15-5,15-12)
1978-79 Leixões-Atlético 3-0 (15-8,15-7,15-6)
1979-80 Leixões-CDUP 3-0 (15-6,15-9,16-14)
1980-81 CDUP-CDUL 3-0 (15-9,15-1,15-5)
1981-82 Atlético-Leixões 3-1 (4-15,15-12,15-8,15-8)
1982-83 Atlético-Leixões 3-0 (15-13,15-11,15-10)
1983-84 Atlético-Leixões 3-2 (11-15,16-18,15-2,15-5,15-6)
1984-85 Sporting-Boavista 3-1 (15-12,15-11,6-15,15-9)
1985-86 Sporting-Leixões 3-2 (15-17,15-11,15-13,8-15,19-17)
1986-87 Boavista, 6pts- Leixões, 5pts
1987-88 Boavista, 6pts- Leixões, 5pts
1988-89 Leixões-Estrelas Avenida 3-1 (15-4,15-10,9-15,15-3)
1989-90 Estrelas Avenida-Benfica 3-0 (15-5,16-14,15-11)
1990-91 Leixões-Estrelas Avenida 3-1 (15-10,11-15,15-7,15-5)
1991-92 Boavista-Leixões 3-1 (15-11,17-15,13-15,15-5)
1992-93 Boavista-Sporting 3-1 (15-9,15-5,13-15,15-1)
+Campo neutro; *recinto adversário

Boavista foi Boavistão uma última vez, 2001-02, 2ºlugar, vice-campeão nacional

fpf 12

 

 

2001-02 J V E D GOLOS P
1-Sporting 34 22  9  3 74-25 75
2-Boavista 34 21  7  6 53-20 70
3-FC Porto 34 21  5  8 66-34 68
4-Benfica 34 17 12  5 66-37 63
5-Belenenses 34 17  6 11 54-44 57
6-Marítimo 34 17  5 12 48-35 56
7-União Leiria 34 15 10  9 52-35 55
8-Paços Ferreira 34 12 10 12 41-44 46
9-Vitória Guimarães 34 11  9 14 35-41 42
10-Sporting Braga 34 10 12 12 43-43 42
11-Beira-Mar 34 10  9 15 48-56 39
12-Gil Vicente 34 10  8 16 42-56 38
13-Vitória Setúbal 34  9 11 14 40-46 38
14-Santa Clara 34  9 10 15 32-46 37
15-Varzim 34  8  8 18 27-55 32
16-Salgueiros 34  8  6 20 29-71 30
17-Farense 34  7  7 20 29-63 28
18-Alverca 34  7  6 21 39-67 27
             

 

2001-02, Boavista Vice-Campeão CASA FORA
Sporting 0-0 0-2
FC Porto 2-0 1-4
Benfica 1-0 1-2
Belenenses 2-0 2-0
Marítimo 0-1 0-0
União Leiria 1-0 1-0
Paços Ferreira 5-0 1-0
Vitória Guimarães 0-0 0-2
Sporting Braga 3-0 2-0
Beira-Mar 3-0 3-0
Gil Vicente 0-0 3-0
Vitória Setúbal 4-1 1-1
Santa Clara 2-0 2-0
Varzim 1-2 2-0
Salgueiros 2-1 1-1
Farense 1-1 2-1
Alverca 2-0 2-1
CASA FORA
V E D GOLOS V E D GOLOS
11 4 2 29-6 10 3 4 24-14
TOTAL
J V E D GOLOS P
34 21 7 6 53-20 70

 

Mais uma vez, o Boavista foi Boavistão ao terminar o campeonato no segundo lugar! Esta foi a terceira e última vez que o clube portuense terminou com o título de vice-campeão, igualando os azuis de Belém neste setor. Apesar de ambos terem um título conquistado, o desempate faz-se a favor do Belenenses, enquanto o Boavista só terminou duas vezes em terceiro lugar, os lisboetas fizeram-no por mais de dez vezes. No entanto, são, na história do escalão máximo do futebol português, os principais opositores dos três grandes, o que mais luta lhes deram e mais se intrometeram.

O Boavista conseguiu um feito único: dez vitórias fora de casa.  Não fossem os percalços em casa, ao cederam um empate em casa frente ao Farense que desceu de divisão, o mesmo ocorrido, mas fora, contra o Salgueiros, também relegado; e, ainda  a derrota frente ao 15ºclassificado, o Varzim, os boavisteiros podiam ter, talvez, feito o bi.

Com jogadores, orientados por Jaime Pacheco, como Pedro Emanuel, Petit, Ricardo, Sanchez, Silva, Martelinho, Duda, Serginho Baiano, Frechaut, o Boavista fez da sua defesa um baluarte, ao sofrerem apenas vinte golos, também, recorde do clube. O ataque não era nada de especial, apenas marcaram 53 golos, todavia, com uma boa solidez defensiva, quase renovaram o título.

Salgueiros e Farense, dois clubes históricos do futebol português, ambos já participaram nas competições europeias, cada um respetivamente com 24 e 23 presenças na agora I Liga,  tiveram nesta temporada a última presença a este nível. O Belenenses fez aqui a sua melhor época desde 1987-88, onde acabou no pódio (última vez no seu historial), ficando em quinto lugar, os anos seguintes, à  exceção de 2006-07, onde ficou em quinto e foi a final da taça, não foram dignos do historial deste clube!

Boavista: Boavistão, 1991-92, quarta final, quarta vitória na Taça de Portugal

O Boavista foi mais uma vez Boavistão e venceu a Taça de Portugal! O que não deixa de ser curioso é que, em 1991-92, era a quarta final nesta prova e a eficácia continuava a ser de assinalar, quarta vitória, isto é, até então tinha festejado todas as vezes que aí chegara! Atualmente continua a ter uma grande dose de alegria, pois, em seis, venceu cinco, o que para qualquer clube seria sempre fantástico!

Ainda mais, depois da vitória em 1974-75, frente ao Benfica; em 1978-79, frente ao Sporting (após finalíssima); em 1991-92, desta vez contra o FC Porto, o Boavista fez o que mais nenhum clube conseguiu na história da Taça de Portugal, ou seja, festejou contra cada um dos 3 grandes, ganhando-lhes a final.  Mais ninguém o fez!

Em 1974-75, derrotaram o Benfica na final; em 1992-93, foram varridos pelo Benfica, perdendo por 5-2 (até à data única derrota do Boavista em finais desta prova); em 1996-97, novo triunfo frente ao Benfica, por 3-2. Isto significa uma coisa: três finais com os lisboetas, duas vitórias. É até hoje, a única equipa que disputou mais que uma final com os encarnados e com um saldo positivo. O outro clube neste ramo deste desporto é o Vitória Guimarães, que, em 2012-13, também, bateu este grande por 2-1, mas, ao contrário do Boavistão, esta foi uma final inédita, não houve no passado e veremos se haverá no futuro; todavia, não deixa de se realçar o mérito dos vimaranenses, pois, há muitas equipas que perderam finais com o Benfica e nunca mais as voltaram a jogar!

O Boavista disputou seis finais da Taça de Portugal, venceu cinco e perdeu uma. Dessas cinco, quatro foram contra os 3 grandes, a outra foi frente ao Vitória Guimarães. Isto demonstra que o Boavistão não só não acusa a pressão em jogos deste tipo, como se transcende, derrotando os favoritos, epíteto que os três grandes quase sempre têm na antevisão de qualquer final.

fpf 11

 

ÉPOCA   FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
         
Boavista:      
1991-92, Taça Portugal      
    4ªeliminatória Lourosa 2-0
    5ªeliminatória União Madeira 3-1
    Oitavos-de-final Freamunde 3-0
    Quartos-de-final Gil Vicente 1-0
    Meias-finais Benfica 2-1*
    FINAL FC Porto 2-1
         
Onze principal: Alfredo; Paulo Sousa, Barny, Samuel e Fernando Mendes; Casaca, “Bobó”, Tavares e Marlon; João Pinto e Ricky
         
Marcha do marcador: 1-0, por Marlon (32m); 1-1, por Jaime Magalhães (52m); 2-1, por Ricky (55m)
 
         
* jogos no recinto adversário; +campo neutro

Boavista na Taça Portugal: 1981-82 a 2012-13

fpf 6

 

 

Tal como no espaço de tempo analisado anteriormente, o Boavista disputou três finais da Taça de Portugal. Ao contrário, não ganhou as três, mesmo assim, ganhou duas, o que não é mau, tendo em conta que nessas três defrontou sempre um dos grandes do futebol português: o FC Porto em 1991-92, e o Benfica em 1992-93 e 1996-97.

A vitória frente aos portistas, além de ser a quarta vitória na prova, o Boavistão tornou-se, até agora, no único clube que derrotou todos os 3 grandes em finais da Taça de Portugal: Benfica em 1974-75 e 1996-97; Sporting em 1978-79; e o FC Porto em 1991-92. Há vários exemplos de clubes que derrotaram um ou mesmo dois, mas nenhum, a não ser os boavisteiros, o fizeram aos três. O que não deixa de ser interessante, até porque em seis finais, cinco foram frente a esta estirpe de clubes. E apenas uma derrota, nessas seis finais, uma final onde tudo correu mal e Paulo Futre fez uma grande exibição, numa vitória concludente por 5-2 para o Benfica.

Contudo, esta má presença seria compensada em 1996-97. A vingança serve-se fria, em 1996-97, novo Boavistão e nova vitória na final da Taça, de novo o Benfica como rival, mas, desta vez, triunfo dos axadrezados por 3-2. Não só foi a vingança de 1992-93, todavia, esta festa tornou o Boavista no único clube com um registo positivo frente ao Benfica em finais da Taça, desde a sua criação, isto é, três finais frente aos encarnados, duas vitórias, mais ninguém tem essa vantagem em finais frente aos lisboetas! Nem FC Porto, nem Sporting! Aliás os portuenses têm um péssimo registo os leões também não é de realçar, mas não tão mau como os dragões!

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1981-82 4ªeliminatória: Sporting 2-3*
1982-83 Quartos-de-final: Portimonense 0-1*
1983-84 2ªeliminatória: Portimonense 1-2
1984-85 Meias-finais: FC Porto 0-1*
1985-86 3ªeliminatória: União Madeira 0-1*
1986-87 Quartos-de-final: Benfica 1-3
1987-88 Quartos-de-final: FC Porto 2-2*/0-0/4-5 g.p.
1988-89 4ªeliminatória: Sporting Espinho 1-2*
1989-90 Oitavos-de-final: Vitória Setúbal 1-2*
1990-91 Meias-finais: Beira-Mar 0-2*
1991-92 VENCEDOR: FC Porto 2-1
1992-93 Finalista vencido: Benfica 2-5
1993-94 5ªeliminatória: Tirsense 0-1*
1994-95 5ªeliminatória: Sporting 0-0/0-5*
1995-96 5ªeliminatória: Sporting 1-2*
1996-97 VENCEDOR: Benfica 3-2
1997-98 Quartos-de-final: União Leiria 2-2/1-3*
1998-99 Quartos-de-final: Esposende 0-1*
1999-2000 Quartos-de-final: Rio Ave 0-1*
2000-01 Meias-finais: Marítimo 0-1
2001-02 5ªeliminatória: Alverca 0-1
2002-03 4ªeliminatória: Santa Clara 0-4*
2003-04 4ªeliminatória: FC Porto 0-1*
2004-05 Meias-finais: Vitória Setúbal 1-2 a.p.*
2005-06 Quartos-de-final: Vitória Setúbal 1-2*
2006-07 Quartos-de-final: Beira-Mar 0-2 a.p.*
2007-08 5ªeliminatória: Naval 1ºMaio 1-4*
2008-09 4ªeliminatória: Vitória Guimarães 0-2
2009-10 1ªeliminatória: Pescadores 0-3 (falta comparência)*
2010-11 Não participou  
2011-12 Não participou  
2012-13 1ªeliminatória: União Leiria 1-2*
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑