VC Viana 11ºclassificado da I Divisão de Voleibol 2018-19

fpv 15

O VC Viana ficou em 11ºlugar em 2018-19, na I Divisão de Voleibol. Tem três presenças na I Divisão, entre 2016-17 e 2018-19. A melhor classificação foi obtida no primeiro ano, um nono lugar em 2016-17. Seguiu-se um 12ºlugar em 2017-18 e ficou em 11º em 2018-19. Nunca chegou à final da Taça de Portugal ou participou em competições europeias. Um lugar nos oito primeiros deve ser o objetivo da época.
Nos escalões secundários tem um palmarés com algumas conquistas interessantes. Venceu a II Divisão por duas vezes: 2008-09 e 2015-16. No primeiro caso, este campeonato era na verdade a terceira divisão. A partir de 2011-12, voltou ao que sempre foi, o segundo escalão do voleibol português. A A2 foi extinta. A estes, junta três títulos da III Divisão: 1995-96, 2006-07 e 2013-14. Não tem qualquer troféu nacional nas camadas jovens.

Anúncios

Finais do play-off da Liga Basquetebol: 2001-02 a 2018-19

 

Desde do início do escalão máximo do basquetebol em 1932-33, o formato do campeonato teve várias variações. No começo era tudo resolvido em eliminatórias de um só jogo, quem chegasse à final ia disputá-la em campo neutro, também num só encontro. Isto durou até de 1932-33 a 1942-43. Não havia qualquer fase que apurasse para isto, começava-se diretamente nas eliminatórias.

Depois, vieram os campeonatos onde quem tivesse mais vitórias e em alguns casos pontos era campeão. Foi assim que se manteve, com algumas diferenças no modelo até 1987-88. Aí, instaurou-se o modelo de play-off. Nessa temporada, todas as eliminatórias e a final eram à melhor de três jogos, ou seja, quem primeiro chegasse às duas vitórias era campeão. Em 1988-89, era assim nos quartos-de-final e meias-finais, a final passou a ser à melhor de cinco, quem triunfasse primeiro três vezes era o vencedor. A partir de 1989-90, é tudo como é agora, com uma exceção: entre 2006-07 e 2010-11, a final era à maior de sete, quatro vitórias davam o título. A partir de 2011-12, eliminatórias e final, tudo à maior de cinco. Tudo depois de no mínimo uma primeira fase, de todos contra todos, a duas voltas. Houve anos, como agora com duas fases, dividindo em dois grupos de seis.

Durante 13 anos tivemos um campeonato onde todas as equipas eram 100% profissionais. Esta liga extinguiu-se no final de 2007-08, a federação tomou conta do campeonato e o profissionalismo deixo de ser um requisito. O Benfica foi o clube que mais lucrou com isto. Até 2009-10, a Portugal Telecom fez o tri (2000-01 e 2002-03), derrotando sempre na final a Oliveirense, e em 2002-03 extinguiu a equipa. O FC Porto superiorizou-se ao Queluz em 2003-04, mas estes em 2004-05 festejavam um troféu que fugia há 21 anos. Dois anos após, também, desistiram deste campeonato. A Ovarense fez o tri em quatro finais: perdeu a de 2004-05, mas, venceu entre 2005-06 e 2007-08. A de 2005-06, tem uma curiosidade foi contra o Ginásio Figueirense, que nos quartos e meias eliminou os dois grandes do nosso desporto, respetivamente, FC Porto e Benfica, depois de perder os dois primeiros jogos da eliminatória e portanto 28 anos depois voltava a ficar em segundo e podia 29 anos depois ter festejado o título, mas a Ovarense foi melhor.

A Federação em 2008-09 voltou a organizar o campeonato principal de basquetebol. Desde aí, o Benfica tem dominado, vencendo sete dos onze campeonatos. Os outros quatros dividem-se em dois para o FC Porto 2010-11 e 2015-16, e os últimos dois para a Oliveirense, 2017-18 e 2018-19. Para o clube de Oliveira de Azeméis após perder as finais de 1996-97, 2000-01 a 2002-03, finalmente, à quinta, foram campeões, contra o clube que os bateu na primeira, o FC Porto. Não satisfeitos, são atualmente bicampeões. A Académica chegou a uma final do play-off pela primeira vez na sua história, em 2012-13. Já foi quatro vezes campeã, a última em 1958-59, não havia este modelo então,  foi a sua primeira vez e 46 anos depois voltou a ser vice-campeã nacional. O Vitória Guimarães duas vezes finalistas e derrotado sem triunfar em nenhum jogo, feito idêntico ao Esgueira, este em 1992-93 e 1993-94, os vimaranenses em 2013-14 e 2014-15.  No caso destes dois clubes são as suas melhores classificações de sempre.

ÉPOCA FASE ATINGIDA RESULTADO
Finais no Campeonato de Basquetebol
2001-02 Portugal Telecom-Oliveirense 3-0
2002-03 Portugal Telecom-Oliveirense 3-2
2003-04 FC Porto-Queluz 3-1
2004-05 Queluz-Ovarense 3-0
2005-06 Ovarense-Ginásio Figueirense 3-0
2006-07 Ovarense-FC Porto 4-3
2007-08 Ovarense-FC Porto 4-3
2008-09 Benfica-Ovarense 4-0
2009-10 Benfica-FC Porto 4-1
2010-11 FC Porto-Benfica 4-3
2011-12 Benfica-FC Porto 3-2
2012-13 Benfica-Académica 3-1
2013-14 Benfica-Vitória Guimarães 3-0
2014-15 Benfica-Vitória Guimarães 3-0
2015-16 FC Porto-Benfica 3-1
2016-17 Benfica-FC Porto 3-0
2017-18 Oliveirense-FC Porto 3-0
2018-19 Oliveirense-Benfica 3-1
+Campo neutro; *recinto adversário

 

 

 

Rivalidade entre Benfica e Sporting na Taça Portugal e na Supertaça Cândido Oliveira

fpf 13

 

Benfica vs Sporting na Taça Portugal e Supertaça Cândido Oliveira:
 
Taça Portugal:
 
1941-42,
Quartos-de-final: Sporting-Benfica 4-0
1942-43, Meias-finais: Benfica-Sporting 3-2
1944-45, Meias-finais: Sporting-Benfica 1-2/3-2/1-0
1947-48, Meias-finais: Sporting-Benfica 3-0
1951-52, FINAL: Benfica-Sporting 5-4
1953-54, 1ªeliminatória: Sporting-Benfica 3-2/1-2/4-2
1954-55, FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1958-59, Meias-finais: Benfica-Sporting 1-2*/3-1
1959-60, Meias-finais:                                          Sporting-Benfica 3-0/0-0
1962-63, Meias-finais: Sporting-Benfica 0-1/2-0*
1969-70, FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1970-71, FINAL: Sporting-Benfica 4-1
1971-72, FINAL: Benfica-Sporting 3-2 a.p.
1973-74, FINAL: Sporting-Benfica 2-1 a.p.
1975-76, 5ªeliminatória: Sporting-Benfica 1-0 a.p.
1976-77, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 3-0
1977-78, Quartos-de-final: Sporting-Benfica 3-1
1979-80, Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 2-1
1982-83, Quartos-de-final: Benfica-Sporting 3-0
1983-84, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 2-1
1985-86, Quartos-de-final: Benfica-Sporting 5-0
1986-87, FINAL: Benfica-Sporting 2-1
1995-96, FINAL: Benfica-Sporting 3-1
1999-2000, Oitavos-de-final: Sporting-Benfica 3-1*
2004-05, Oitavos-de-final: Benfica-Sporting 3-3/7-6 g.p.
2007-08, Meias-finais: Sporting-Benfica 5-3
2013-14, 4ªeliminatória: Benfica-Sporting 4-3 a.p.
2015-16, 4ªeliminatória: Sporting-Benfica 2-1 a.p.
2018-19, Meias-finais: Sporting-Benfica 1-2*/1-0
   
Supertaça:  
1979-80, FINAL: Benfica-Sporting 2-2*/2-1
1986-87, FINAL: Sporting-Benfica 3-0*/1-0
2014-15, FINAL: Sporting-Benfica 1-0
2018-19, FINAL: Benfica-Sporting 5-0
   
* jogos no recinto adversário

 

O Benfica tem mais títulos que o Sporting em quase tudo, exceto na Supertaça Cândido Oliveira, tem os mesmos oito, no Campeonato Portugal (espera-se pela definição a que prova se devem acrescentar os ganhos neste) 4 contra 3; e na Taça das Taças, competição europeia que foi extinta em 1998-99, os leões conquistaram-na em 1963-64 e as águias nunca disputaram sequer uma final. Nos jogos do campeonato a vantagem é grande também, até, porque, nos encontros na casa do Sporting, todas que este já possuiu desde os anos 30, os encarnados ganharam tantos quantos os sportinguistas, em casa deste!

Na Taça de Portugal o Benfica manda em termos de finais, em oito, ganhou seis: 1951-52, 1954-55, 1969-70, 1971-72, 1986-87 e 1995-96; o Sporting duas: 1970-71 e 1973-74. Curiosamente, em jogos a eliminar, os leões levam larga vantagem, eliminando os encarnados mais vezes que o inverso.  Não é uma margem pequena é substancial. É só ver o quadro acima e fazer as contas.

Na Supertaça o panorama é igual: duas para o Sporting: 1986-87 e 2014-15 e duas para o Benfica: 1979-80 e 2018-19. Aqui anda-se a falar dos 5-0. A maior goleada ocorrida nesta prova foi em 1981-82, na 2ªmão, o Sporting trucidou o Sporting Braga por 6-1 e conquistou a sua 1ªsupertaça então.

 

As primeiras 25 finais do Campeonato de Basquetebol

ÉPOCA FASE ATINGIDA RESULTADO
     
Finais no Campeonato de Basquetebol    
     
1932-33 Conimbricense-Guifões 25-23 a.p.
1933-34 União Lisboa-Conimbricense 28-19
1934-35 Carnide-União Lisboa 31-20
1935-36 Carnide-Benfica 33-16
1936-37 Carnide-Sporting 39-33
1937-38 Carnide-União Lisboa 33-28
1938-39 Belenenses-Guifões 37-11
1939-40 Benfica-União Lisboa 35-19
1940-41 Carnide-Benfica 31-26
1941-42 Vasco Gama-Benfica 36-31
1942-43 Carnide-Vasco Gama 41-33
1987-88 Ovarense-Benfica 2-1
1988-89 Benfica-Ovarense 3-1
1989-90 Benfica-FC Porto 3-0
1990-91 Benfica-FC Porto 3-1
1991-92 Benfica-Ovarense 3-2
1992-93 Benfica-Esgueira 3-0
1993-94 Benfica-Esgueira 3-0
1994-95 Benfica-FC Porto 3-2
1995-96 FC Porto-Benfica 3-1
1996-97 FC Porto-Oliveirense 3-1
1997-98 Estrelas Avenida-Ovarense 3-2
1998-99 FC Porto-Illiabum 3-1
1999-2000 Ovarense-FC Porto 3-0
2000-01 Portugal Telecom-Oliveirense 3-1
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

 

 O Campeonato de Basquetebol começou em 1932-33. Nessa altura era decidido por eliminatórias, a um só jogo, até se chegar à final, em campo neutro, para apurar o campeão, também em só um encontro. Este formato vigorou entre 1932-33 e 1942-43, 11 épocas.

O clube que dominou este primeiro período foi o Carnide com seis títulos, conseguindo mesmo o tetra entre 1934-35 e 1937-38.  Os outros cinco títulos estão divididos por cinco equipas: Conimbricense em 1932-33, União Lisboa 1933-34, Belenenses 1938-39, Benfica 1939-40 e Vasco da Gama 1941-42. O Guifões, finalista em 1932-33 e 1938-39, alcançou as suas melhores prestações neste certame. Desde 1989-90 que não participa no primeiro escalão de basquetebol.

O formato alterou-se novamente e passou a ser tudo decidido num campeonato onde todos contra todos, festejava quem ganhava mais jogos. Isto teve variações, chegou mesmo a ter na década de 80 três fases para apurar o vencedor do campeonato.

Em 1987-88 decidiu-se implementar o modelo norte-americano, isto é, play-offs. Nessa temporada, era à melhor de três jogos e o primeiro campeão foi a Ovarense, festejando assim o seu primeiro título. Na época de 1988-89, a final passou a ser à maior de cinco, situação inalterada até ao século XXI. O Benfica é o grande dominador deste ciclo,  conseguiu algo inédito, sete títulos seguidos entre 1988-89 e 1994-95, o FC Porto ganhou três, a Ovarense dois e o Estrelas Avenida e a Portugal Telecom um.  O Esgueira, finalista em 1992-93 e 1993-94 e o Illiabum na mesma posição em 1998-99, conseguiram as suas melhores classificações de sempre.

fpb 13

 

 

1967-68, Técnico campeão de voleibol

1967-68 J V D SETS P
1-Técnico 14 12  2 39-17 26
2-FC Porto 14 12  2 39-17 26
3-Sporting Espinho 14  9  5 35-21 23
4-Leixões 14  7  7 31-35 21
5-CDUP 14  6  8 25-31 20
6-Académica 14  5  9 26-33 19
7-Benfica 14  3 11 18-37 17
8-Nacional Ginástica 14  2 12 16-38 16

 

fpv 10

 

Agora é um nome periférico no voleibol. Poucos sabem que existe e ainda menos conhecem o seu passado glorioso nesta modalidade. No feminino a sua última presença data de 2005-06, quando acabaram em décimo e desceram de divisão. No masculino a derradeira aventura foi em 1988-89, onde se classificaram em nono e foram relegados.

É neste género que o Técnico viveu momentos inolvidáveis. Foi campeão nacional de voleibol masculino por treze vezes! Mais que FC Porto, Benfica e Sporting. Só o Sporting Espinho tem mais. Esses triunfos foram alcançados entre 1946-47, primeira edição do campeonato, e 1967-68. Em 22 épocas somaram esses troféus. Têm ainda um recorde que ninguém ainda igualou, um heptacampeonato entre 1946-47 e 1952-53. Foi o Sporting que acabou essa série. Só ganharam uma Taça de Portugal em 1966-67 por uma simples razão, como digo acima, a I Divisão começou em 1946-47, a Taça de Portugal iniciou-se em 1964-65, daí este pormenor.

No ano do seu último título não havia subidas e descidas de divisão. Fazia-se dois campeonatos regionais, Norte e Sul e os quatro primeiros de cada apuravam-se para discutir o título, fazendo-o defrontando todos a duas voltas. Foi um ano engraçado porque o Técnico e o FC Porto acabaram igualados em pontos e no somatório de sets ganhos e perdidos, mas o primeiro tinha vantagem no confronto direto com os portistas. Assim festejou o seu 13ºtítulo o que lhe permite ainda estar no segundo lugar  no ranking de clubes com mais troféus nesta modalidade. O Benfica em 1967-68 acabou em sétimo lugar, uma das piores prestações de sempre!

Sporting vence Liga Europeia de 2018-19

cers

 

O Sporting organizou e venceu a Liga Europeia de Hóquei em Patins. Foi o seu segundo título, 42 anos depois do último em 1976-77, assim os leões sagraram-se campeões europeus desta modalidade. Em 1988-89 também tinham atingido a final, mas perderam para os espanhóis do Noia. Este ainda é o único título europeus destes catalães. Pela terceira vez em sete anos tivemos uma final só com equipas portuguesas. Em 2012-13 e 2015-16 foi o Benfica que fez a festa e este ano estava novamente com hipóteses de atingir a final, mas o Sporting num jogo empolgante levou a melhor nas meias-finais, por 5-4, e impediu os encarnados de chegar a nova final. Na outra meia-final, após três jogos decisivos onde o Barcelona levou a melhor sobre o FC Porto, desta vez, nas grandes penalidades, os portistas foram mais fortes. Tinham a hipótese de 29 anos depois serem campeões europeus e acabar com a série de finais perdidas desde então. Todavia, o Sporting foi claramente mais forte, 5-2, e os portuenses já vão em mais de dez finais perdidas na Liga Europeia. Uma maldição que parece não ter fim!

Com este título, o Sporting torna-se no clube português com mais troféus internacionais: 2 Ligas Europeias: 1976-77 e 2018-19; 3 Taças das Taças: 1980-81, 1984-85 e 1990-91; 2 Taças World Skate Europa: 1983-84 e 2014-15.

 

 

 

2018-19 Liga Europeia: Sporting

   
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo B) Forte dei Marmi 2-1
      Herringen 5-0*
      Liceo Corunha 4-1*
      Liceo Corunha 6-4
      Forte dei Marmi 0-0*
      Herringen 10-2
    Quartos-de-final Lodi 5-3*/8-2
    Final Four (Meias-finais) Benfica 5-4
    FINAL FC Porto 5-2
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 

 

 

Benfica campeão europeu de Hóquei em Patins 2015-16

cerh-2

 

Liga Europeia, 2015-16:        
Benfica      
         
    1ªfase (Grupo B) Vic (Esp) 5-1
      Mérignac (Fra) 5-2*
      Bassano (Ita) 8-2*
      Bassano (Ita) 9-6
      Vic (Esp) 6-7*
      Mérignac (Fra) 8-0
    Quartos-de-final Vendrell (Esp) 5-3*/5-5
    Meias-finais Barcelona (Esp) 1-1/2-1 g.p.
    FINAL Oliveirense (Por) 5-3
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Depois do título de 2012-13, frente ao FC Porto, ao Benfica teve o privilégio de organizar a final four da Liga Europeia de hóquei em patins, da época 2015-16. Um dos concorrentes ao título era o defensor do troféu, o todo poderoso Barcelona. Portugal era também representado aqui pela Oliveirense. No fim, os encarnados sorriram.

Numa meia-final tensa frente ao Barcelona, só decidida nas grandes penalidades, a favor do Benfica, tal como em 2012-13, só o resultado final diferia, em vez de 4-4, foi 1-1. Assim, os lisboetas classificaram-se para a final três anos depois e pela sétima vez. Tal como nessa temporada, o adversário era português, neste caso, a Oliveirense.

Para a OIiveirense era a primeira final europeia, segunda no total, desde a vitória na Taça CERS em 1996-97. Nesse ano, a Oliveirense bateu uma equipa portuguesa, Gulpilhares. No entanto, o Benfica foi mais forte e venceu por 5-3, conquistando assim o seu segundo título europeu. A curiosidade é que foram ambos contra equipas portuguesas, nas duas vezes que uma final só com clubes lusitanos ocorreu na história desta prova. Se em 2012-13 tinha sido com Luís Sénica, nesta foi orientado por Pedro Nunes.

 

 

 

Primeiro título da I Divisão de hóquei em patins do Benfica: 1950-51

1950-51 J V E D GOLOS P
1-Benfica 10 8 2 0 33-14 28
2-Paço d’Arcos 10 6 1 3 31-27 23
3-HC Sintra 10 4 4 2 36-29 22
4-Infante Sagres 10 3 3 4 23-20 19
5-Académico Porto 10 2 1 7 20-27 15
6-Sanjoanense 10 1 1 8 11-37 13

 

seleção

O campeonato nacional da I Divisão de Hóquei em Patins disputou-se pela primeira vez em 1938-39. O título foi para o Sporting. Só 36 anos depois é que os leoninos voltaram a ser campeões nacionais. O Benfica ainda teve que esperar mais de uma década, mas, em 1950-51, foram campeões sem margens para dúvidas, somando o seu primeiro título.

Um campeonato sem grande história pois os encarnados foram campeões sem derrotas, vencendo oito dos dez jogos, cedendo apenas dois empates. O segundo classificado, Paço d’ Arcos finalizou em segundo a cinco pontos dos lisboetas. O então detentor do título, HC Sintra ficou em terceiro longe do primeiro e a um do segundo colocado. Um passeio rumo ao primeiro troféu na I Divisão.

Refira-se que não havia subidas e descidas de divisão, ou seja, o último podia participar no campeonato da época seguinte e o primeiro não, isto, porque, era feita uma fase de apuramento anterior, onde, os três primeiros da Zona Norte e os três primeiros da Zona Sul ficavam apurados para a fase onde se decidia o título da I Divisão de Hóquei em Patins. Mas, para aí chegar era necessário passar por esta fase regional.

 

Benfica na final da Taça Challenge, 2014-15, em Voleibol

Taça Challenge, 2014-15:        
Benfica      
         
    2ªeliminatória CV Andorra (And) O clube andorrenho desistiu
    Oitavos-de-final Partizan Belgrado (Ser) 3-1 (29-31,25-16,26-24,25-21)*/ 3-1 (17-25,25-19,25-14,25-18)
    Quartos-de-final Ethnikos Alexandroupolis (Gre) 3-0 (25-18,25-22,25-19)/ 3-2 (25-22,25-23,20-25,26-28,15-11)*
    Meias-finais CMC Ravenna (Ita) 3-0 (25-20,26-24,25-19)/ 3-2 (23-25,25-27,25-20,25-18,15-10)*
    FINAL Vojvodina (Ser) 1-3 (19-25,23-25,25-22,22-25)*/ 3-2 (24-26,21-25,25-16,25-23,15-10)

 

         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

O Sporting Espinho em 2000-01 e 2001-02 chegou às finais da Top Teams Cup, vencendo a primeira. O Benfica, treze anos depois também alcançou a final. Contudo, perdeu essa final para os sérvios do Vojvodina.

Uma caminhada para a final nada fácil, sobretudo, nas meias-finais, onde conseguiu uma histórica eliminação de uma equipa italiana. Apesar, de aqui, ter ganho a primeira mão por 3-0, este perto de se disputar um golden set (maneira de desempatar uma eliminatória igualada), ao perder os dois primeiros parciais, mas reagiram muito bem, conquistando os próximos 3, apurando-se assim para a final.

Na final, os sérvios do Vojvodina foram mais fortes, ganhando aqui os dois primeiros sets, selando assim a conquista da Taça Challenge, depois de ter vencido a primeira mão por 3-1. Foi pena, pois o Benfica perdeu uma grande oportunidade de vencer um competição europeia. Orientado por José Jardim, com jogadores portugueses de eleição como Hugo Gaspar e Roberto Reis, foi uma lástima não ter triunfado. Sabe-se lá quando uma equipa portuguesa terá nova oportunidade.

cev 2

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑