XVII Europeu de Voleibol Feminino, 1991, Itália: título soviético

1991, Itália: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 1) Bulgária 3-0 (15-7,15-2,15-11)
      França 3-0 (15-6,15-11,15-13)
      Albânia 3-0 (15-2,15-7,15-6)
      Grécia 3-0 (15-7,15-2,15-3)
      Itália 3-0 (15-6,15-6,15-9)
    Meias-finais Alemanha 3-0 (15-6,15-3,15-11)
    FINAL Holanda 3-0 (15-4,15-2,15-3)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

O Europeu de voleibol feminino de 1991 disputou-se na Itália. Mais uma vez com o vencedor do costume: a União Soviética. A última vez que esta nação participou nesta prova, pois, pouco depois subdividiu-se em vários países. A Rússia seria a sua sucessora pois era a potência colonizadora. Quanto à prova nada à dizer quanto à justeza da sua vitória. Não cedeu qualquer set. Poucos vezes concedeu mais de dez pontos em cada set (recorde-se que isto ainda era a pontuação antiga onde só se marcava pontos no próprio serviço e era até aos quinze). Foi um autêntico passeio rumo a mais um título. O último como URSS. Ao contrário dos masculinos, nos femininos a Rússia não ficou muito abalada com este fim, pois conquistou mais alguns. Nos homens apenas mais um em 2013.

fpv 2

Anúncios

XVII Europeu de Voleibol, 1991, Alemanha: título soviético

cev

 

1991, Alemanha: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo 1) Suécia 3-0 (15-5,15-13,15-13)
      Polónia 3-0 (16-14,15-11,15-6)
      Finlândia 3-0 (15-12,15-7,15-11)
      Grécia 3-1 (10-15,15-9,15-2,15-6)
      Alemanha 3-0 (15-13,15-11,15-13)
    Meias-finais Holanda 3-0 (15-8,15-8,15-8)
    FINAL Itália 3-0 (15-11,17-16,15-9)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

Neste Europeu ocorreu o fim de uma era. A União Soviética estava a aproximar-se do fim. Este foi a sua última aparição como país unido num Campeonato da Europa. Em 1993, já se tinha subdividido em várias nações. Como tinha acontecido até então, o título não lhe escapou. Um troféu conquistado sem grandes aflições, só cedeu um set em sete jogos, o que demonstra o domínio neste evento de 1991, na Alemanha. Ao vencer a Itália na final estava-se a dar a passagem do testemunho, pois, apesar desta derrota na final, seriam os italianos a dominar a década de 90 do voleibol internacional. A única coisa que não ganharam foi os Jogos Olímpicos. De resto: Liga Mundial, tricampeã do Mundo (1990,1994,1998) e vários Europeus.

Este título também foi um marco. Desde o fim da União Soviética, os russos, potência colonizador desse país, só venceram mais um Europeu, o de 2013. Isto mostra que a Rússia ainda tem muito a percorrer para se equiparar às equipas da URSS dos anos 60,70 e 80.

Taça das Taças de Hóquei em Patins

Uma competição criada em 1976-77, tendo como seu primeiro vencedor o Oeiras. Esta equipa conseguiria um feito inédito até hoje no hóquei em patins português: vencer em três épocas consecutivas uma competição europeia, ao vencer entre 1976-77 e 1978-79 a Taça das Taças.  Só não é totalmente novo no deporto português pois no Atletismo, quer na Taça dos Campeões de Corta-Mato quer na de Estrada esse feito até foi suplantado, no entanto, em modalidades colectivas é algo que ainda não foi igualado. O Sporting também venceu por três vezes esta competição (1980-81,1984-85 e 1990-91), o mesmo alcançou o Roller Monza (1988-89,1991-92 e 1994-95). O Oeiras, o Roller Monza e o Sporting estão perpetuados nesta competição como as equipas que mais vezes a venceram.

Perpetuados porquê? Porque esta prova não se disputa mais, isto, desde a sua última edição em 1995-96, ganha pelo Liceo da Corunha. Durante as vinte edições que teve, Portugal é o país com mais triunfos, vencendo metade das disputas que a a prova teve, a Itália e a Espanha dividem as restantes. De referir, a presença da equipa alemã do Walsum na final de 1984-85, frente ao Sporting e dos suíços do Thunerstorn em 1992-93, frente ao Óquei de Barcelos, como as únicas equipas fora das três potências europeias a marcar presença numa final desta competição europeia.

Ressalvo ainda o facto de as vitórias portuguesas serem analizadas em posts precedentes.

ANO

CAMPEÃO

1976-77

Oeiras

1977-78

Oeiras

1978-79

Oeiras

1979-80

Giovinnazzo

1980-81

Sporting

1981-82

FC Porto

1982-83

FC Porto

1983-84

Réus

1984-85

Sporting

1985-86

Sanjoanense

1986-87

Barcelona

1987-88

Nóia

1988-89

Roller Monza

1989-90

Liceo Corunha

1990-91

Sporting

1991-92

Roller Monza

1992-93

Óquei Barcelos

1993-94

Lodi

1994-95

Roller Monza

1995-96

Liceo Corunha

 

Vencedores:

TAÇAS

Oeiras:

1977,1978,1979

3

Sporting:

1981,1985,1991

3

Roller Monza:

1989,1992,1995

3

FC Porto:

1982,1983

2

Liceo Corunha:

1990,1996

2

Barcelona:

1987

1

Giovinnazzo:

1980

1

Lodi:

1994

1

Noia:

1988

1

Óquei Barcelos:

1993

1

Réus:

1984

1

Sanjoanense:

1986

1

Taça CERS do Hóquei em Patins

Taça CERS é a Taça UEFA do hóquei em patins. Criada em 1980-81, vencida pelo Sesimbra frente aos exóticos holandeses do Lichstad, cuja caminhada para a final é abordada noutro post. Refira-se que isto é a competição mais democrática do hóquei em patins europeu. Mais democrática entre as três potências do continente europeu: Portugal, Espanha e Itália, já que, nenhum país tem grande vantagem sobre o outro: Espanha onze troféus, Itália nove troféus e Portugal oito troféus, seis dos quais na década de 90. Isto ao nível dos países historicamente mais fortes, porque em relação aos outros, não se pode ter tal declaração, já que, o hóquei em patins europeu e mundial masculino é como o futebol português, macrocéfalo.

De Portugal, já abordei as suas caminhadas triunfais nesta competição, destaque apenas para o facto de o Paço d’Arcos ser com o FC Porto a equipa com mais finais entre as equipas portugueses, três. O Paço d’Arcos venceu em1999-2000, perdeu em 1987-88 e 1997-98; a equipa portuense venceu em 1993-94 e 1995-96, derrotada em 2001-02. O Benfica tem aqui a sua única vitória europeia no hóquei em patins. Ressalve-se ainda a final de 1996-97, a única entre equipas portuguesas, vencida pela Oliveirense frente ao Gulpilhares.

A nível dos outros clubes, destaque-se o Novara, de Itália, que ainda é a equipa com mais troféus, três (1984-85,1991-92 e 1992-93). É juntamente com o Reus, a única equipa que conseguiu vencer duas edições consecutivas deste troféu. O Reus conseguiu os seus únicos triunfos em 2002-03 e 2003-04. Realçe-se ainda o triunfo do Barcelona em 2005-06, que lhes permitiu, finalmente, ter no seu vasto e glorioso palmarés vitórias nas três competições europeias. Apenas o FC Porto, o Reus, o Sporting e o Óquei de Barcelos, o Nóia e o Liceo da Corunha,além da equipa catalã, venceram todas as três competições.

ANO

CAMPEÃO

1980-81

Sesimbra

1981-82

Liceo Corunha

1982-83

Vercelli

1983-84

Sporting

1984-85

Novara

1985-86

Tordera

1986-87

Lodi

1987-88

Vercelli

1988-89

Hockey Monza

1989-90

Seregno

1990-91

Benfica

1991-92

Novara

1992-93

Novara

1993-94

FC Porto

1994-95

Óquei Barcelos

1995-96

FC Porto

1996-97

Oliveirense

1997-98

Noia

1998-99

Liceo Corunha

1999-00

Paço d’Arcos

2000-01

Vic

2001-02

Voltregá

2002-03

Réus

2003-04

Réus

2004-05

Follonica

2005-06

Barcelona

2006-07

Vilanova

2007-08

CP Tenerife

 

Vencedores:

TAÇAS

Novara:

1985,1992,1993

3

FC Porto:

1994,1996

2

Liceo Corunha:

1982,1999

2

Reus:

2003,2004

2

Vercelli:

1983,1988

2

Barcelona:

2006

1

Benfica:

1991

1

CP Tenerife:

2008

1

Follonica:

2005

1

Hockey Monza:

1989

1

Lodi:

1987

1

Noia:

1998

1

Óquei Barcelos:

1995

1

Oliveirense:

1997

1

Paço d’Arcos:

2000

1

Sesimbra:

1981

1

Seregno:

1990

1

Sporting:

1984

1

Tordera:

1986

1

Vic:

2001

1

Vilanova:

2007

1

Voltregá:

2002

1

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑