XVII Europeu de Basquetebol, 1971, RFA: título para URSS

fiba 2

 

1971, RFA: URSS    
   
         
         
         
    1ªfase (Grupo A) Roménia 83-55
      RFA 91-54
      Espanha 118-58
      França 75-63
      Polónia 94-73
    Meias-finais Itália 93-66
    FINAL Jugoslávia 69-64
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro
 

 

O Eurobasket de 1971 disputou-se na Alemanha Ocidental e mais uma vez o vencedor foi a União Soviética. Um percurso imaculado, sem derrotas, com vitórias por mais de vinte pontos, exceto na final, com um triunfo apertado diante da Jugoslávia, cinco pontos; e também outro frente à França por doze pontos, na fase de grupos. Ou seja, além destes dois jogos, sempre diferenças superiores a vinte pontos. Nada a dizer quanto à justeza deste título; mais um para os russos. Serie o fim de uma hegemonia. No Europeu seguinte o troféu seria para a Jugoslávia. No entanto, foi uma série de europeus consecutivos conquistados que não mais seria igualada.

Anúncios

VIII Europeu de voleibol feminino, Itália, 1971: título para a União Soviética

 

Caminho para o título europeu      
1971-Itália      
URSS      
         
    1ªfase

(Grupo A)

Suécia 3-0 (15-1,15-5,15-1)
      Suíça 3-0 (15-3,15-4,15-0)
    Fase Final RDA 3-0 (15-4,15-6,15-7)
      Checoslováquia 3-0 (15-11,15-6,15-8)
      Bulgária 3-0 (15-1,15-3,15-8)
      Polónia 3-0 (15-8,15-6,15-13)
      Hungria 3-0 (15-2,15-5,15-4)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

cev

 

 

Mais um Eurovolley, disputado na Itália, em 1971, mais um título para as soviéticas. Estas cilindraram todos os seus oponentes, não cedendo qualquer set e quase nem sequer incomodadas nesses parciais, pois, poucos fizeram pelo menos dez pontos num set. Aliás, algumas adversárias nem dez pontos fizeram no conjunto dos três sets. Um título inquestionável! Só na década de 80 é que este domínio começou a ser interrompido. Até lá só razões para festejar para as russas.

100% de eficácia

Disputa-se agora o Mundial de Clubes. A competição sua antecessora, Taça Intercontinental, teve diversos vencedores, curiosamente, duas das equipas que mais vezes a vencerem são uruguaias, precisamente, os dois principais clubes deste país. Estes têm dominado completamente o capeonato uruguaio… até ao século XXI, tendo o Peñarol 47 títulos e o Nacional de Montevideu 41, seguindo-se uma série de clubes com quatro títulos, sendo o mais forte actualmente o detentor do título Defensor.

Na Taça Intercontinental/Mundial de Clubes, ambos os clubes têm três triunfos. O Peñarol, no entanto, disputou-a por cinco vezes, perdendo duas, uma das quais com o FC Porto e ganhando outra ao Benfica, isto, em virtude da vitória em cinco edições da Taça Libertadores da América. O Nacional de Montevideu perdeu as três primeiras finais efectuadas na Taça dos Libertadores da América (1964,1967,1969), vencendo as seguintes três (1971,1980,1988). Em virtude desses três triunfos, participou na Taça Intercontinental, vencendo as três finais disputadas. A título de curiosidade, o Uruguai, desde a vitória do Nacional de Montevideu na Taça dos Libertadores da América em 1988, não mais conseguiu colocar uma equipa na final dessa competição.

Nas três finais vencidas, a primeira em 1971, frente ao Panathinaikos, apurado em virtude do campeão europeu Ajax ter declinado participar, passando esse direito ao vice, tinha jogadores como Luis Cubilla, Luis Artime, Morales, Manga, Ubiña, Blanco entre outros; orientada por Washington Echamendi.

Em 1980, frente ao campeão europeu Nottingham Forest, nova vitória, com jogadores como o guarda-redes Rodolfo Rodríguez-jogaria mais tarde no Sporting-, Alberto Bino, Morales, Espárrago, Luzardo,Hermes Moreira, entre outros; treinada por Juan Martín Mugica.

Em 1988, frente a equipa que derrotou o Benfica na final nas grandes penalidades, perdeu da mesma maneira a Taça Intercontinental, o PSV Eindhoven, contava com Da Lima, Ostolaza, Vargas, Lemos, Cardaccio, De León, entre outros; coordenada pelo treinador Roberto Fleitas.

Esclarecendo um detalhe, na época de 1988, o Nacional de Montevideu encontrou por duas vezes o Newell’s Old Boys na fase a eliminar, nos quartos-de-final e depois na final, tal aconteceu devido às regras que regiam a competição dessa época, nada mais.

ÉPOCA

CLUBE

FASE ATINGIDA

ADVERSÁRIO

RESULTADO

 

1971

Nacional Montevi-deu

1ªfase, Grupo 3

Peñarol (Uruguai)

2-1

 

 

 

 

Chaco Petrolero (Bolívia)

1-0*

 

 

 

 

The Strongest (Bolívia)

1-1*

 

 

 

 

The Strongest (Bolívia)

5-0

 

 

 

 

Chaço Petrolero (Bolívia)

3-0

 

 

 

 

Peñarol (Uruguai)

2-0*

 

 

 

Meias-finais, Grupo 1

Universitário (Perú)

0-0*

 

 

 

 

Palmeiras (Brasil)

3-0*

 

 

 

 

Universitário (Perú)

3-0

 

 

 

 

Palmeiras (Brasil)

3-1

 

 

 

FINAL

Estudiantes (Argentina)

1-0/0-1*/2-0+

 

 

 

Taça Intercontinental, FINAL

Panathinaikos (Grécia)

1-1*/2-1

 

1980

Nacional Montevi-deu

1ªfase, Grupo 2

Defensor (Uruguai)

1-0

 

 

 

 

Oriente Petrolero (Bolívia)

3-1*

 

 

 

 

The Strongest (Bolívia)

0-3*

 

 

 

 

Defensor (Uruguai)

3-0*

 

 

 

 

Oriente Petrolero (Bolívia)

5-0

 

 

 

 

The Strongest (Bolívia)

2-0

 

 

 

 

Meias-finais, Grupo 2

O’Higgins (Chile)

1-0*

 

 

 

 

Olímpia Assunção (Paraguai)

1-0*

 

 

 

 

Olímpia Assunção (Paraguai)

1-1

 

 

 

 

O’Higgins (Chile)

2-0

 

 

 

FINAL

Internacional (Brasil)

0-0*/1-0

 

 

 

Taça Intercontinental, FINAL

Nottingham Forest (Inglaterra)

1-0

 

1988

Nacional Montevi-deu

1ªfase, Grupo 3

Wanderers (Uruguai)

0-0*

 

 

 

 

América Cali (Colômbia)

2-0

 

 

 

 

Millonarios (Colômbia)

4-1

 

 

 

 

Wanderers (Uruguai)

1-0

 

 

 

 

Millonarios (Colômbia)

1-6*

 

 

 

 

América Cali (Colômbia)

0-0*

 

 

 

Oitavos-de-final

Universidad Católica (Chile)

1-1*/0-0

 

 

 

Quartos-de-final

Newell’s Old Boys (Argentina)

1-1*/2-1

 

 

 

Meias-finais

América Cali (Colômbia)

1-0/1-1*

 

 

 

FINAL

Newell’s Old Boys (Argentina)

0-1*/3-0

 

 

 

Taça Intercontinental, FINAL

PSV Eindhoven (Holanda)

2-2/7-6 g.p.

 

*jogos no campo adversário. +jogos em campo neutro

 

 

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑