Dínamo Zagreb vence a Taça das Feiras 1966-67

uefa 56

 

Na Taça das Feiras de 1966-67 (depois Taça UEFA e agora Liga Europa) o Dínamo Zagreb fez história. Depois de ter perdido a final de 1962-63 para o Valência, tiveram uma segunda hipótese. Isto é, venceu-a em 1966-67, derrotando os fortíssimos rivais do Leeds United. Assim, tornaram-se a primeira equipa jugoslava a conquistar uma competição europeia. Feito só igualado em 1990-91, quando já no ocaso da Jugoslávia o Estrela Vermelha se sagrou campeão europeu. Ainda hoje, é a única formação croata a disputar uma final europeia. A verdade é que o Dínamo teve muita sorte, já que na 1ªeliminatória, só passou por moeda do ar, forma de desempate da altura, não havia grandes penalidades, diante dos checos do FC Boby Brno. Na 2ªeliminatória, recuperou de outra desvantagem de dois golos, mas já havia a regra dos golos fora para desempatar, contra os escoceses do Dunfermline.  Nos quartos-de-final afastou um dos grandes do futebol europeu, a Juventus. Nas meias-finais recuperou de um 0-3, ganhando por 4-0 na 2ªmão, contra o Eintracht Frankfurt. Na final, na altura decidida em dois jogos casa e fora, a vitória na primeira mão por dois a zero frente ao Leeds United chegou para fazer história.

 

 

 

 

 

 

1966-67, Taça das Feiras: Dínamo Zagreb

   
   
         
         
         
    1ªeliminatória FC Boby Brno 0-2*/2-0 a)
    2ªeliminatória Dunfermline 2-4*/2-0
    Oitavos-de-final Arges Pitesti 1-0*/0-0
    Quartos-de-final Juventus 2-2*/3-0
    Meias-finais Eintracht Frankfurt 0-3*/4-0
    FINAL Leeds United 2-0/0-0*
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro; a) apurado por moeda ao ar
 
Anúncios

Leeds United: finais europeias

ÉPOCA FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
Leeds United:
Taça Feiras 1966-67
  1ªeliminatória Isento
  2ªeliminatória DWS Amesterdão (Hol) 3-1*/5-1
Oitavos-de-final Valência (Esp) 1-1/2-0*
Quartos-de-final Bolonha (Ita) 0-1*/1-0 apurado por moeda ao ar
Meias-finais Kilmarnock (Esc) 4-2/0-0*
FINAL Dínamo Zagreb (Jug) 0-2*/0-0
 Onze principal (1ªmão) : Sprake; Reaney, Cooper, Bremner, Charlton, Hunter, Bates, Lorimer, Belfitt, Gray e O’Grady
Onze principal (2ªmão): Sprake; W.Bell, Cooper, Bremner, Charlton, Hunter, Reaney, Belfitt, Greenhoff, Giles e O’Grady
Marcha do marcador (1ªmão): 0-1, por Cercek (39m); 0-2, por Rora (59m)
Marcha do marcador (2ªmão): 0-0
* jogos no recinto adversário; +campo neutro

Apesar de terem sido derrotados, em 1966-67, pelo Dínamo Zagreb, na final da Taça das Feiras (agora Liga Europa), esta foi a primeira experiência nas grandes decisões do futebol europeu. Uma caminhada com alguma sorte, visto, nos quartos-de-final, ter sido apurado por moeda ao ar, frente ao Bolonha, após igualdade no final dos dois jogos, não existiam desempate por pontapés da marca de grande penalidade, seriam introduzidos quatro épocas depois. Não obstante isto, conseguiram atingir os jogos decisivos. Não ganharam, mas foi um primeiro aviso do que viria a seguir.

ÉPOCA FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
Leeds United:
Taça Feiras 1967-68
  1ªeliminatória Spora Luxembourg (Lux) 9-0*/7-0
  2ªeliminatória Partizan Belgrado (Jug) 2-1*/1-1
Oitavos-de-final Hibernian (Esc) 1-0/1-1*
Quartos-de-final Glasgow Rangers (Esc) 0-0*/2-0
Meias-finais Dundee FC (Esc) 1-1*/1-0
FINAL Ferencvaros (Hun) 1-0/0-0*
 Onze principal (1ªmão) : Sprake; Reaney, Cooper, Bremner, Charlton, Hunter, Lorimer, Madeley, Jones (Belfitt), Giles (Greenhoff) e Gray
Onze principal (2ªmão): Sprake; Reaney, Cooper, Bremner, Charlton, Hunter, O’Grady, Lorimer, Jones, Madeley e Hibbitt (Bates)
Marcha do marcador (1ªmão): 1-0, por Jones (41m)
Marcha do marcador (2ªmão): 0-0
* jogos no recinto adversário; +campo neutro

Uma época depois, os jogadores do Leeds United mostraram que tinham aprendido a lição. Não só, voltaram à final da Taça das Feiras, como a conquistaram e em todo o percurso nesta não sofreram qualquer derrota. Na final, também, contra uma equipa do Leste Europeu, os húngaros do Ferencvaros, um golo em dois jogos bastou para o primeiro troféu europeu desta equipa inglesa. Com a curiosidade, de terem eliminado três equipas escocesas, nos oitavos, quartos e meias finais da edição desse ano. Don Revie continuava a liderar, a conquistar e agora na Europa, chegou ao topo e não ficaria por aqui.

ÉPOCA FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
Leeds United:
Taça Feiras 1970-71
  1ªeliminatória Sarspsborg (Nor) 1-0*/5-0
  2ªeliminatória Dínamo Dresden (RDA) 1-0/1-2*
Oitavos-de-final Sparta Praga (Che) 6-0/3-2*
Quartos-de-final Vitória Setúbal (Por) 2-1/1-1*
Meias-finais Liverpool (Ing) 1-0*/0-0
FINAL Juventus (Ita) 2-2*/1-1
 Onze principal (1ªmão) : Sprake; Reaney, Cooper, Bremner, Charlton, Hunter, Lorimer, Clarke, Jones (Bates), Giles e Madeley
Onze principal (2ªmão): Sprake; Reaney, Cooper, Bremner, Charlton, Hunter, Lorimer, Clarke, Jones, Giles e Madeley (Bates)
Marcha do marcador (1ªmão): 0-1, por Bettega (27m); 1-1, por Madeley (48m); 1-2, por Capello (55m); 2-2, por Bates (77m)
Marcha do marcador (2ªmão): 1-0, por Clarke (12m); 1-1, por Anastasi (20m)
* jogos no recinto adversário; +campo neutro

Uma final com um adversário que ainda é um gigante do futebol europeu, à altura, todavia, ainda não tinha nenhum troféu europeu conquistado, a velha senhora, Juventus. Tinha perdido na mesma prova, a final de 1964-65, frente ao Ferencvaros. E desta vez não seria diferente, o Leeds voltou a superiorizar-se, apesar de a final ter registado dois empates, onde o 2-2 em Turim fez a diferença, já que, no jogo a seguir terminou empatado 1-1 e os ingleses festejaram por golos fora. Nos quartos-de-final, Leeds United defrontou o Vitória Setúbal e foi uma eliminatória muito renhido, com o saldo de 3-2 para os britânicos. Já em 1968-69, o Newcastle tinha eliminado os setubalenses, também, nos quartos-de-final e também venceu a competição.

ÉPOCA FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
Leeds United:
Taça das Taças 1972-73
  1ªeliminatória Ankaragücü (Tur) 1-1*/1-0
Oitavos-de-final Carl Zeiss Jena (RDA) 0-0*/2-0
Quartos-de-final Rapid Bucareste (Rom) 5-0/3-1*
Meias-finais Hajduk Split (Jug) 1-0/0-0*
FINAL AC Milan (Ita) 0-1
 Onze principal: Harvey; Reaney, Cherry, Bates e Madeley; Hunter, F.Gray e Yorath (McQueen); Lorimer, Jordan e Jones
Marcha do marcador: 0-1, por Chiarugi (5m)
* jogos no recinto adversário; +campo neutro

Outra competição europeia, outra final do Leeds, na sua única presença neste evento. Isto é, em 1972-73, na Taça das Taças, para onde se qualificou em virtude também da sua única Taça de Inglaterra, em 1971-72, o clube inglês voltou à final, novamente com oposição italiana. Desta vez, contudo, perderam, com um golo logo no início da partida. Uma caminhada até à final, sem ceder qualquer derrota, porém tiveram-na no jogo decisivo. Só faltava a final da então Taça dos Campeões (Liga dos Campeões). Seria Don Revie capaz de os levar a isso?!

fifa 18

Vitória Setúbal na Taça de Portugal: 1953-54 a 1984-85

fpf 6

ÉPOCA FASE ATINGIDA RESULTADO
1953-54 Finalista: Sporting 2-3
1954-55 Oitavos-de-final: Académica 1-3
1955-56 1ªeliminatória: Leões Santarém 1-4
1956-57 Meias-finais: Sporting Covilhã 1-0/0-3
1957-58 Quartos-de-final: Sporting 1-1/0-2
1958-59 1ªeliminatória: FC Porto 3-2/1-7
1959-60 2ªeliminatória: Sporting Covilhã 2-2/3-3/1-5
1960-61 Quartos-de-final: Sporting 1-0/1-4
1961-62 Finalista: Benfica 0-3
1962-63 1ªeliminatória: FC Porto 2-0/1-3/1-4
1963-64 Quartos-de-final: Belenenses 1-2/0-2
1964-65 VENCEDOR: Benfica 3-1
1965-66 Finalista: Sporting Braga 0-1
1966-67 VENCEDOR: Académica 3-2 a.p.
1967-68 Finalista: FC Porto 1-2
1968-69 4ªeliminatória: Belenenses 2-3
1969-70 5ªeliminatória: Benfica 3-2/0-2
1970-71 Meias-finais: Sporting 1-1/0-1
1971-72 Quartos-de-final: Belenenses 0-1
1972-73 Finalista: Sporting 2-3
1973-74 5ªeliminatória: Sporting 2-4
1974-75 Quartos-de-final: Benfica 0-1
1975-76 Meias-finais: Boavista 0-2
1976-77 Oitavos-de-final: Famalicão 2-3
1977-78 4ªeliminatória: Famalicão 0-1
1978-79 2ªeliminatória: Paredes 0-2
1979-80 Quartos-de-final: Varzim 0-1
1980-81 Meias-finais: FC Porto 1-2
1981-82 3ªeliminatória: Portimonense 0-1
1982-83 2ªeliminatória: Estrela Portalegre 1-2
1983-84 4ªeliminatória: Gil Vicente 0-1
1984-85 2ªeliminatória: Sporting Braga 0-1
+Campo neutro; *recinto adversário

O Vitória Setúbal teve neste período, sobretudo nos anos 60, os seus anos dourados na Taça Portugal. Um final nos anos 50, uma nos anos 70 e, a sua melhor década, cinco finais nos anos 60, todas elas, orientado por Fernando Vaz. Deu-se mesmo ao luxo, de a primeira dos anos 60, 1961-62, o clube estava na II Divisão. Apesar de a ter perdido, qualificou-se pela primeira vez para as competições europeias, neste caso, para  a Taça das Taças, pois o Benfica, vencedor nessa final, tinha sido campeão europeu, apurando-se para a Taça dos Campeões, pois era o campeão em título, visto ter falhado no campeonato, onde terminou em terceiro lugar. Assim, os sadinos participaram, em 1962-63, na sua primeira aventura pelas competições da UEFA. Ainda, realçar, que, em 1960-61, o Vitória, então na II Divisão, afastou o Benfica da taça. Pela primeira vez o Benfica foi eliminado deste evento por uma equipa de divisões secundários. Seria preciso esperar por 2002-03, quando os desconhecidos do Gondomar, repetiram tal feito.

Após 11 anos e apesar de ter terminado o campeonato no 12ºlugar, antepenúltimo, fugindo à despromoção por pouco, atingiu a final da taça, Aqui, para surpresa geral, perdeu por 3-2, mas deu mais luta do que se esperava contra o que restava dos cinco violinos do Sporting, que tinha acabado de conquistar o treta no campeonato. Mais oito anos, outra final, já mencionada acima. No entanto, ao aqui chegar, disputou-a pela segunda vez, estando na II Divisão, feito já ocorrido em 1942-43, isto é, os setubalenses são o único clube a fazer isto por duas vezes, os outros só o fizeram uma vez, nas seis vezes que uma formação de escalões secundários chegou à final.

Quatro finais, quatro derrotas. Até quando ia demorar esta perseguição pela festa do Jamor?! Em 1964-65, três anos após a última final, com o adversário a ser novamente o Benfica, também, finalista da Taça dos Campeões, desta vez sem glória, pois perdeu para o Inter Milão, não era favorito, contudo, contra todas as previsões, venceu os encarnados por 3-1, finalmente festejando um triunfo na Taça de Portugal. Em 1965-66, nova final, segunda consecutiva, algo inédito no seu historial até então, desta vez era favorito, mas um golo de Perrichon, deu ao Sporting Braga a sua única taça até aos dias de hoje. Um ano depois, nova final, terceira seguida, frente aos surpreendentes vice-campeões do campeonato, a Académica, numa final com 144 minutos, dois prolongamentos, as grandes penalidades ainda não existiam um lado algum, um golo de JJ deu a segunda para Setúbal. Fernando Vaz continuava a fazer história como treinador desta agremiação. 1967-68, quarta consecutiva, terminando numa derrota frente aos portistas, treinados por José Maria Pedroto que também faria história pelo clube sadino, numa final sem favoritos.

Os anos 60 foram onde Vitória Setúbal mais se destacou nesta prova. Após isto, e até ao final do século XX, apenas mais uma vez chegou a esta fase, em 1972-73, sucumbindo por 3-2, contra o Sporting. No restante, nada de realce, apenas algumas meias-finais. Seria preciso esperar pelo início do século XXI, para se ver, novamente, este clube setubalense em novas epopeias no Estádio Nacional.

Campeões em ambos os géneros: voleibol, Benfica, femininos, 1966-67; masculinos, 1980-81

1966-67, I Divisão Voleibol Feminino J V D SETS P
1-Benfica 10 9 1 27-4 19
2-CDUL 10 7 3 22-13 17
3-Leixões 10 7 3 22-11 16 (1 falta de comparência)
4-Académica 10 5 5 16-16 15
5-Arte e Recreio 10 1 9  6-27 11
6-Sporting Braga 10 1 9  5-27 11

Após alguns anos de quase campeões, o Benfica, em 1966-67, alcança o seu primeiro título de voleibol feminino. Troféu conquistado sem grandes problemas, pois, só cederam uma derrota e mais um set a juntar aos três dessa. O segundo classificado, CDUL, ficou a dois pontos, ou seja, teve mais duas derrotas. Este seria o primeiro de nove seguidos que coloca os encarnados, apesar de o último ter sido em 1974-75, como a segunda equipa coma mais títulos de voleibol feminino, igualado com o Castêlo Maia e a seis do primeiro, o Leixões com quinze. Isto apesar de não terem esta secção desde o início dos anos 90. Para concluir, ainda, o voleibol masculino do Benfica só conquistou cinco títulos, isto é, ainda estão relativamente longe dos nove do setor feminino.

1980-81, I Divisão Voleibol J V D SETS P
1-Benfica 14 12  2 39-12 26
2-Sporting Espinho 14 11  3 36-16 25
3-Leixões 14 11  3 35-15 25
4-Esmoriz 14  9  5 31-16 23
5-Técnico 14  6  8 21-29 20
6-Francisco Holanda 14  5  9 21-30 19
7-CDUL 14  1 13  9-39 15
8-Gil Vicente 14  1 13  5-40 15

Isto é mesmo assim, não há como dizer de outra maneira! Assim após sete Taças de Portugal conquistados e muitos segundos lugares, sobretudo, durante a década de 70, o Benfica, finalmente, em 1980-81, festeja o seu primeiro título de voleibol masculino. Tantas e tantas oportunidades teve no passo para obter este desiderato. Finalmente, no início da década de 80, puderam festejar como nunca. Depois, seria preciso mais uma década para o segundo e em 2004-05 o terceiro. Isto é apenas uma curiosidade: a equipa lisboeta tem cinco campeonatos conquistados e 14 Taças de Portugal ganhas, isto quer dizer que teve sempre mais engenho na taça do que no escalão máximo do voleibol português; por isso lideram o ranking de triunfos na prova a eliminar. No campeonato têm muito que aprender relativamente à eficácia e ao aproveitar quando se pode o ganhar. Até as senhoras, há muito extintas no clube, têm quase o dobro dos títulos dos homens.

cev

Nova vitória na Taça de Portugal: 1966-67, Vitória Setúbal

Depois da final perdida para o Sporting Braga na época anterior, o Vitória Setúbal venceu a Académica, vice-campeã nacional, por 3-2, numa final que durou mais que o normal: foram precisos vários prolongamentos até o golo de Jacinto João dar a taça para os vitorianos. Depois desta época, criou-se a finalíssima, isto é, se o jogo estiver empatado ao fim de 120 minutos (90 minutos mais prolongamento), haverá novo jogo, embora isto tenham acontecido em 1921-22 e 1931-32, mas, depois, houve mudança de regras. Nova mudança aconteceu em 2000-01, onde se aboliu a finalíssima, isto é, empate ao fim de 120 minutos significa desempate por grandes penalidades.

Treinados por Fernando Vaz, terceira final consecutiva, seriam precisos mais 38 anos para novo triunfo dos setubalenses na Taça de Portugal. Nesta época, tiveram um percurso mais ou menos fácil até às meias-finais, onde defrontaram o FC Porto que venceram claramente. Depois na final, a segunda Taça de Portugal da equipa de Setúbal.

ÉPOCA FASE ATINGIDA ADVERSÁRIO RESULTADO
Vitória Setúbal:
1966-67 1ªeliminatória Barreirense 2-2*/4-1
  2ªeliminatória Sintrense 3-0/2-1*
Oitavos-de-final Isento
Quartos-de-final Leixões 3-0/3-0*
Meias-finais FC Porto 3-0*/4-4
FINAL Académica 3-2 a.p.
Onze vencedor: Vital; Conceição, Leiria, Herculano e Carriço; Tomé e Vítor Baptista; Guerreiro, José Maria, Pedras e  Jacinto João
Marcha do marcador: :0-1, por Celestino (4m); 1-1, por José Maria (13m); 2-1, por Guerreiro (97m); 2-2, por Ernesto (117m); 3-2, por Jacinto João (149m)
* jogos no recinto adversário; +campo neutro

O seu auge (1969-70, Vitória Setúbal, 3ºlugar)

A época de 1969-70 ficou marcada por um facto quase irrepetível, isto é, o FC Porto acabou o campeonato no 9ºlugar, sua pior classificação de sempre e também de um grande no futebol português. O Sporting ganhou tranquilamente o campeonato e o Sporting Braga desceu pela última vez na sua história. Regressaria em 1975-76 para nunca mais descer. O Barreirense com o seu 4ºlugar, conseguiu a sua melhor classificação de sempre, devendo-se destacar que tinham sido campeões da II Divisão na época de 1968-69. Assim, estabelecendo o melhor lugar de uma equipa vinda da II Divisão, desde que as subidas e descidas foram implementadas em 1945-46. Registo que manteu até 2007-08, onde o terceiro lugar do Vitória Guimarães, vindo da Liga de Honra, melhorou e ultrapassou esse registo.

O Vitória de Setúbal, na época anterior, tinha se classificado no quarto lugar, então melhor classificação de sempre, nesta época, melhoraria isso ao ficar no terceiro lugar, numa época em que eliminaria o Liverpool na 2ªeliminatória da então Taça das Feiras agora Liga Europa. Na época anterior, o Vitória já tinha feito história ao ser a primeira equipa portuguesa a atingir os quartos-de-final desta competição, recorde que só seria igualado e depois melhorado pelo Benfica em 1982-83, onde chegou à final. Os setubalenses conseguiram atingir por quatro vezes os quartos-de-final desta competição em:1968-69,1970-71,1972-73 e 1973-74; infelizmente perderam sempre nessa fase.

No campeonato seria o seu período de ouro, neste campeonato podiam mesmo ter ficado em segundo, no entanto, uma boa ponta final do Benfica estragou esse desejo. Jogadores como Tomé, Jacinto João, Carlos Cardoso, Vítor Baptista, Zé Maria, entre outros construíram e participaram na fase mais gloriosa deste clube das margens do Sado, treinados por José Maria Pedroto, que sucedia a Fernando Vaz, treinador que levou o Setúbal a duas vitórias na Taça de Portugal em 1964-65 e 1966-67.

1969-70 J V E D GOLOS P
1-Sporting 26 21 4  1 61-17 46
2-Benfica 26 17 4  5 58-14 38
3-Vitória Setúbal 26 16 4  6 58-26 36
4-Barreirense 26 11 6  9 42-33 28
5-Vitória Guimarães 26 12 4 10 38-36 28
6-Varzim 26 10 8  8 31-26 28
7-Belenenses 26  9 5 12 23-34 23
8-CUF 26  9 5 12 24-38 23
9-FC Porto 26  8 6 12 30-37 22
10-Académica 26  8 6 12 42-46 22
11-Leixões 26 10 1 15 33-47 21
12-Boavista 26  6 6 14 35-61 18
13-Sporting Braga 26  6 5 15 25-52 17
14-União Tomar 26  5 4 17 20-53 14
1969-70 Vitória Setúbal 3ºlugar CASA FORA
Sporting 0-2 1-3
Benfica 1-0 1-2
Barreirense 2-1 0-2
Vitória Guimarães 2-0 1-2
Varzim 2-1 1-1
Belenenses 4-0 0-1
CUF 2-2 4-0
FC Porto 5-0 3-0
Académica 5-1 3-0
Leixões 2-1 3-1
Boavista 2-1 2-2
Sporting Braga 7-1 1-1
União Tomar 2-0 2-1
CASA FORA TOTAL
V E D GOLOS V E D GOLOS J V E D GOLOS P
11 1 1 36-10 5 3 5 22-16 26 16 4 6 58-26 36

Quase;depois nunca igualado (1966-67, 2ºlugar, Académica)

Em 1966-67, aconteceu uma rara surpresa no futebol português. Rara, pois coisas como a que vou relatar a seguir, poucas vezes aconteceram em Portugal. No futebol, infelizmente, contam-se com os dedos das duas mãos em 76 edições do campeonato as classificações que ninguém estava à espera! Infelizmente!

O que aconteceu em 1966-67, foi histórico para o clube nela envolvido, isto é, a Académica. Nesta temporada, alcançou o seu melhor lugar de sempre, até hoje nunca igualado, tendo apenas ficado perto de o repetir na época seguinte ao ficar em 4ºlugar a dois pontos do segundo classificado, mesmo assim, muito longe do primeiro.

No entanto, em 1966-67, com jogadores como Artur Jorge, Toni, Gervásio, Campos, entre outros; a Académica ficou em segundo lugar dando luta ao campeão dessa época o Benfica até bem perto do final do campeonato. Os momentos decisivos foram a derrota com a Sanjoanense quando seguia par a par com os lisboetas no campeonato e depois a derrota caseira com o Benfica que praticamente decidiu o campeonato. Não esquecendo ainda, a derrota caseira frente à CUF, na 2ªjornada, que caso tivesse sido uma vitória teria colocado mais pressão no Benfica. Contudo, foi a época em que a equipa coimbrã mais perto teve do céu. Nessa mesma época foi à final da Taça de Portugal, perdendo para o Vitória Setúbal por 3-2, numa final que durou quase 2 horas e meia! Em relação a isto, se tinha havido duas épocas no passado em que houve lugar à finalíssima, embora muitas distantes desta (1921-22,1931-32), como é que isto ocorreu?! Particularidades do futebol português como sempre!

1966-67 J V E D GOLOS P
1-Benfica 26 20  3  3 64-19 43
2-Académica 26 18  4  4 50-18 40
3-FC Porto 26 17  5  4 56-22 39
4-Sporting 26 11  8  7 36-24 30
5-Vitória Setúbal 26 10  7  9 27-25 27
6-Vitória Guimarães 26 11  4 11 35-40 26
7-Leixões 26  8  8 10 23-29 24
8-CUF 26  9  5 12 27-43 23
9-Sporting Braga 26  9  5 12 33-33 23
10-Varzim 26  8  6 12 29-42 22
11-Belenenses 26  7  6 13 26-34 20
12-Sanjoanense 26  4 11 11 23-39 19
13-Atlético 26  5  4 17 29-55 14
14-Beira-Mar 26  5  4 17 23-58 14
1966-67: Académica 2ºlugar CASA FORA
Benfica 0-1 1-2
FC Porto 0-0 1-1
Sporting 1-0 0-0
Vitória Setúbal 3-0 1-0
Vitória Guimarães 2-1 1-0
Leixões 2-1 1-1
CUF 2-3 2-0
Sporting Braga 2-1 3-1
Varzim 2-1 3-1
Belenenses 6-0 1-0
Sanjoanense 5-3 0-1
Atlético 1-0 2-0
Beira-Mar 5-0 3-0
CASA FORA TOTAL
V E D GOLOS V E D GOLOS J V E D GOLOS P
10 1 2 31-11 8 3 2 19-7 26 18 4 4 50-18 40

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑