Belenenses na Taça de Portugal: 1921-22 a 1950-51

fpf 7

Apesar do Belenenses estar afastado dos grandes palcos do futebol português, compete na presente época na Liga de Honra, segundo escalão da nossa pirâmide futebolística, começou a sua participação na Taça de Portugal em grande: entre 1925-26 e 1935-36, isto é, onze épocas, dez presenças (não participou na edição de 1930-31), seis finais, três troféus, nada mau! De cá até hoje, isto é, de 1935-36 a 2011-12, 77 anos, 75 edições da prova, mais oito finais. Muito longe desses primórdios dos anos 20 e 30. Em todas essas finais o clube era orientado por Artur José Pereira, uma lenda do clube lisboeta, sendo dos poucos treinadores que conseguiu vencer como treinador três vezes.

A edição de 1931-32 ficou marcada por duas eventualidades: a primeira nos oitavos-de-final, o Belenenses despachou o Sporting por 9-0 e 6-0, humilhando completamente os leões; a segunda, a perder por 1-4 na final com o FC Porto, a derrota era só uma questão de tempo, no entanto, três golos nos últimos quinze minutos, permitiram levar a decisão para prolongamento e com o consequente empate no final desse para uma finalíssima, onde perderiam por 2-1. No ano seguinte, nova vitória sobre o Sporting, esta ainda mais saborosa, pois, foi na final, vitória por 3-1. Juntando, assim, às vitórias de 1926-27 frente ao Vitória Setúbal e em 1928-29 frente ao União Lisboa. O triunfo de 3-0 sobre os setubalenses é ainda a maior diferença, nas nove finais, onde não havia nenhum grande representado! Em 1925-26, uma derrota surpreendente frente ao Marítimo, permitindo aos insulares até hoje única alegria suprema nesta competição!

cfb

 

 

Depois deste período de ouro, com alguma continuidade no início da década de 40, com três finais consecutivas, entre 1939-40 e 1941-42, com vitória apenas na última, o Belenenses, entrou numa fase onde só disputaria finais de vez em quando, assunto que se arrastou até aos dias de hoje. Todavia, há que realçar que as três finais seguidas nos alvores dos anos 40, entre clubes pequenos, apenas foi igualada e depois melhorada pelo Vitória Setúbal, com quatro finais consecutivas, entre 1964-65 e 1967-68. O timoneiro da conquista de 1941-42, uma antiga glória do clube, jogador e participante nos triunfos dos anos 20 e 30, Rodolfo Faroleiro. Ainda conseguiram chegar à final de 1947-48, mas, daí para cá, apenas mais 4 finais. O final da década de 40, início da década de 50, ainda aqui representada, marcaria, o início de eliminações inexplicáveis frente a clubes bem mais inferiores em termos teóricos que os azuis de Belém, como a Académica em 1950-51 e o Sporting Braga em 1948-49. Muito disto se veria na continuação da década de 50.

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1921-22 Não participou  
1922-23 Não participou  
1923-24 Não participou  
1924-25 Não participou  
1925-26 Finalista vencido: Marítimo 0-2
1926-27 VENCEDOR: Vitória Setúbal 3-0
1927-28 Quartos-de-final: Vitória Setúbal 1-4
1928-29 VENCEDOR: União Lisboa 2-1
1929-30 Meias-finais: Barreirense 1-1/2-3*
1930-31 Não participou  
1931-32 Finalista vencido: FC Porto 4-4/1-2
1932-33 VENCEDOR: Sporting 3-1
1933-34 Quartos-de-final: Sporting 1-1*/1-3
1934-35 Quartos-de-final: Benfica 0-1*/1-2
1935-36 Finalista vencido: Sporting 1-3
1936-37 Meias-finais: FC Porto 1-0/0-4*
1937-38 Quartos-de-final: Sporting 4-2/0-3*
1938-39 Quartos-de-final: Sporting 1-3/1-1
1939-40 Finalista vencido: Benfica 1-3
1940-41 Finalista vencido: Sporting 1-4
1941-42 VENCEDOR: Vitória Guimarães 2-0
1942-43 Quartos-de-final: Sporting 0-1
1943-44 Quartos-de-final: Benfica 1-2/2-8
1944-45 Quartos-de-final: Benfica 5-4/1-7
1945-46 1ªeliminatória: Benfica 0-3
1946-47 Não se realizou a prova  
1947-48 Finalista vencido: Sporting 1-3
1948-49 Oitavos-de-final: Sporting Braga 0-1*
1949-50 Não se realizou a prova  
1950-51 Meias-finais: Académica 3-3/0-3*
     
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

 

 

 

 

Anúncios

VII Europeu de Voleibol, 1967, Istambul, Turquia: novo título soviético

Uma nova edição com o resultado do costume, isto é, novo título russo ou soviético. Apenas dois jogos verdadeiramente difíceis o primeiro frente à RDA e o último frente à Checoslováquia que decidia o título, pois, quer os checos quer os russos tinham ganho todos os encontros da segunda fase sendo assim este último decisivo na atribuição do troféu, isto é, quem vencesse era campeão. Apesar de uma partida muito equilibrada, a consequência disso foi o normal: festa para os russos! De resto, nada mais a acrescentar numa caminhada mais ou menos calma rumo à festa.

cev 2

Caminho para o título europeu      
1967-Istambul/Turquia      
URSS      
         
    1ªfase RDA 3-2 (17-19,15-5,3-15,15-4,15-9)
    (Grupo A) Suécia 3-0 (15-5,15-1,15-3)
      Holanda 3-0 (15-9,15-10,15-13)
      Áustria 3-0 (15-2,15-0,15-1)
    Fase Final [RDA] 3-2 (17-19,15-5,3-15,15-4,15-9)-resultado que transita da 1ªfase acumulando aos jogos desta fase final
      Roménia 3-1 (15-6,15-8,5-15,15-7)
      Polónia 3-1 (15-6,15-6,5-15,15-11)
      Itália 3-0 (15-8,15-8,15-3)
      Hungria 3-0 (15-8,15-8,15-6)
      Jugoslávia 3-0 (15-1,15-9,15-8)
      Checoslováquia 3-2 (15-7,15-13,13-15,10-15,15-10)
         
         
*jogos no estádio do adversário; +campo neutro

 

 

FC Porto na Taça de Portugal: 1981-82 a 2012-13

fpf 6

 

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1981-82 Quartos-de-final: Benfica 0-1
1982-83 Finalista vencido: Benfica 0-1
1983-84 VENCEDOR: Rio Ave 4-1
1984-85 Finalista vencido: Benfica 1-3
1985-86 Oitavos-de-final: Benfica 1-2*
1986-87 Meias-finais: Sporting 0-1
1987-88 VENCEDOR: Vitória Guimarães 1-0
1988-89 Oitavos-de-final: Belenenses 0-1*
1989-90 Oitavos-de-final: Tirsense 0-2
1990-91 VENCEDOR: Beira-Mar 3-1 a.p.
1991-92 Finalista vencido: Boavista 1-2
1992-93 Oitavos-de-final: Benfica 1-1/0-2*
1993-94 VENCEDOR: Sporting 0-0/2-1 a.p.
1994-95 Meias-finais: Marítimo 0-1*
1995-96 Meias-finais: Sporting 1-1/0-1*
1996-97 Meias-finais: Benfica 0-2*
1997-98 VENCEDOR: Sporting Braga 3-1
1998-99 5ªeliminatória: Torreense 0-1
1999-2000 VENCEDOR: Sporting 1-1/2-0
2000-01 VENCEDOR: Marítimo 2-0
2001-02 Quartos-de-final: Sporting Braga 1-2
2002-03 VENCEDOR: União Leiria 1-0
2003-04 Finalista vencido: Benfica 1-2 a.p.
2004-05 4ªeliminatória: Vitória Guimarães 1-2*
2005-06 VENCEDOR: Vitória Setúbal 1-0
2006-07 4ªeliminatória: Atlético 0-1
2007-08 Finalista vencido: Sporting 0-2 a.p.
2008-09 VENCEDOR: Paços Ferreira 1-0
2009-10 VENCEDOR: Desportivo Chaves 2-1
2010-11 VENCEDOR: Vitória Guimarães 6-2
2011-12 4ªeliminatória: Académica 0-3*
2012-13 Oitavos-de-final: Sporting Braga 1-2*
     
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

O FC Porto, a partir da década de 80, entrou no seu período de ouro, concomitantemente, onde fez sobressair a sua hegemonia. De ir de vez em quando à final da taça e de a ganhar também uma vez por outra, passou a ser um cliente assíduo do Jamor e um vencedor regular da Taça de Portugal. Entre 1981-82 e 2012-13, festejaram por doze vezes a conquista deste troféu e foram cinco vezes mais finalistas. Isto é, 32 anos, 18 finais disputadas. A única malapata que não conseguiram superar foi as finais com o Benfica, ou seja, quatro finais com os encarnados, quatro derrotas, mantendo a tradição de perder frente a este adversário nos jogos decisivos. As outras duas derrotas foram contra o Boavista e o Sporting.

É verdade que este foi um período glorioso no entanto não foi isento de surpresas. Primeira das quais frente ao Torreense, da II Divisão B, que veio ao Estádio das Antas eliminar os portistas, com um golo de Cláudio Oeiras a poucos minutos do fim do jogo, em 1998-99. Essa edição da Taça de Portugal foi pródiga em surpresas, pois os três grandes foram todos eliminados antes dos oitavos-de-final! Superando o que tinha acontecido em 1989-90, quando foram os três eliminados antes dos quartos-de-final. Estas foram as duas últimas finais sem nenhum dos gigantes do nosso futebol! Um verdadeiro escândalo! Este não seria contudo algo singular, pois, em 2006-07, desta vez no Estádio do Dragão, o Atlético, também na II B, afastou os dragões, por 1-o; mais outra página negra dos portistas. De resto, apenas a confirmação de que o FC Porto é o clube dominante em Portugal desde os anos 80!

FC Porto na Taça de Portugal: 1951-52 a 1980-81

fpf 7

 

 

Logo no segundo ano deste hiato, o FC Porto atingiu a sua primeira final em 16 anos. Um jogo de má memória pois foi humilhado, perdendo por uns esclarecedores 5-0 contra o Benfica. Porém, três anos depois tudo seria esquecido! Uma vitória por 2-0, frente ao Torreense, não só proporcionou o seu primeiro triunfo em 19 anos, como permitiu a sua primeira dobradinha. Em 1957-58, mais glória, 1-0 frente ao Benfica, sendo esta a única final em que os portuenses derrotaram os lisboetas, de resto só triunfos para os encarnados nas finais. Na época seguinte, aconteceu isso nova deceção, perdendo por margem mínima. Em 1960-61, numa final surpreendentemente marcada para o campo do anfitrião, Estádio das Antas, neste caso, o FC Porto, teve um resultado concomitante, isto é, os leixonenses foram a casa dos dragões, então, conhecidos por andrades, vencer por uns esclarecedores 2-0, com uma segunda parte de luxo de Osvaldo Silva, avançado do Leixões. Na altura, os matosinhenses tornaram-se a primeira equipa a vencer a Taça de Portugal, classificada abaixo dos cinco primeiros da I Divisão, da então I Divisão (8ºlugar) e o primeiro representante português na recém criada competição europeia, a Taça das Taças. Três anos depois, mais do costume: 6-2 para o Benfica. Em 1967-68, primeira taça em 10 anos, 2-1, roubando a festa ao Vitória Setúbal. Ou seja:entre 1952-53 e 1967-68, em 16 épocas, sete finais, três taças e quatro derrotas.

O caminho seria penoso após um período de alguma regularidade em termos de presenças no Jamor. Só lá voltariam, aliás nem seria no Jamor, mas sim na Antas, nove anos depois, numa final que levantou alguma polémica, também, pela escolha do sítio onde seria disputada. Nesse penar, uma eliminação por uma equipa da II Divisão, o Tirsense em 1969-70, primeira em 22 anos. Algumas derrotas contundentes frente ao Benfica; até que enfim chegam a nova final. Nas meias-finais aconteceu uma coisa até agora inédita: duas equipas da II Divisão nas meias-finais, Fafe e Gil Vicente. Nem antes, nem depois isto se voltaria a repetir. Assim, em 1977, nas Antas, vitória frente ao Sporting Braga por 1-o. Depois três finais perdidas em 1977-78, 1979-80 e 1980-81, duas frente à besta negra das finais, o Benfica e em 1977-78 a primeira derrota em finais frente ao Sporting. Em 1978-79, uma eliminação prematura mas clara, derrota frente ao Estoril por 3-0. Daqui até aos dias de hoje, os portistas passaram a ser clientes assíduos das finais, nunca ficando muito tempo fora desse habitat!

 

ÉPOCA FASE ATINGIDA/ADVERSÁRIO RESULTADO
     
1951-52 Meias-finais: Sporting 2-0/2-4/2-5+
1952-53 Finalista vencido: Benfica 0-5
1953-54 Quartos-de-final: Sporting 1-1/2-4
1954-55 Oitavos-de-final: Lusitano Évora 0-2
1955-56 VENCEDOR: Torreense 2-0
1956-57 Quartos-de-final: Sporting Covilhã 1-2/0-1*
1957-58 VENCEDOR: Benfica 1-0
1958-59 Finalista vencido: Benfica 0-1
1959-60 Meias-finais: Belenenses 1-3/1-0*
1960-61 Finalista vencido: Leixões 0-2
1961-62 Oitavos-de-final: Benfica 2-2/1-3*
1962-63 Quartos-de-final: Belenenses 1-1/0-3
1963-64 Finalista vencido: Benfica 2-6
1964-65 2ªeliminatória: Benfica 1-4*/1-1
1965-66 Quartos-de-final: Sporting 0-1*/1-0/0-2+
1966-67 Meias-finais: Vitória Setúbal 0-3*/4-4
1967-68 VENCEDOR: Vitória Setúbal 2-1
1968-69 4ªeliminatória: Benfica 0-3*
1969-70 5ªeliminatória: Tirsense 2-2*/0-1
1970-71 Quartos-de-final: Vitória Setúbal 1-1/0-1*
1971-72 Meias-finais: Benfica 0-6*
1972-73 Quartos-de-final: Farense 0-1*
1973-74 Meias-finais: Benfica 0-3
1974-75 Quartos-de-final: Belenenses 0-2*
1975-76 Quartos-de-final: Vitória Guimarães 1-2*
1976-77 VENCEDOR: Sporting Braga 1-0
1977-78 Finalista vencido: Sporting 1-1/1-2
1978-79 2ªeliminatória: Estoril 0-3*
1979-80 Finalista vencido: Benfica 0-1
1980-81 Finalista vencido: Benfica 1-3
     
     
+Campo neutro; *recinto adversário  

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑