13ª intromissão no pódio entre os 3 Grandes (1954-55, Belenenses, 2ºlugar)

Nesta a época tivemos um Belenenses que quase repetiu o título de 1945-46. Quando eu digo quase, digo a quatro minutos de ser campeão, uma das mais dramáticas definições de campeão nacional que tivemos na agora Liga do futebol português, quando o jogador do Sporting, Martins, fez o empate a 2-2, na última jornada, nas Salésias, um jogo onde o Belenenses necessitava de vencer pois em caso de igualdade pontual o Benfica tinha vantagem nos confrontos directos. Aliás, critério que daria o título aos encarnados já que terminaram ambos com 39 pontos, tendo o Benfica vencido na última jornada o Atlético por 4-2, permitindo, com o empate do Belenenses frente ao Sporting, o título.

O Belenenses nesta época foi mais regular que nas outras num aspecto que lhe permitiu lutar pelo título até ao último suspiro do campeonato: nos jogos fora de casa. Aqui, em vez de vencer os normais seis que era o costume desde que o campeonato passou a ter 14 clubes, venceu oito. Todavia, perdeu três jogos em casa, se um era aceitável, frente ao Benfica, embora viesse a ter implicações decisivas na atribuição do título, as derrotas contra o Vitória Setúbal e o Sporting Braga, transformadas em vitórias, talvez, tivessem permitido ao Belenenses chegar campeão à tão fatídica última jornada. Fatídica, pois, o Belenenses nunca mais se recompôs desta perda, venceu apenas mais duas Taças de Portugal e dez anos depois dessa data já não era candidato a coisa alguma, coisa que se mantém até aos dias de hoje,onde até os lugares nos cinco primeiros são ocasionais, sobretudo desde a década de 80, década em que o Belenenses desce pela primeira vez, coisa que aconteceria mais cinco vezes, só que, em duas delas foi salvo pela santa providência da secretaria, caso contrário, estaria agora na Liga de Honra. O treinador desta época, Fernando Riera, é famoso por ter levado o Chile ao terceiro lugar no Mundial de 1962, no Chile e por ter orientado o Benfica nos anos 60. Um Belenenses onde pontificavam os monstros Matateus e Vicente, irmãos que nunca alcançaram o justo sabor merecido de um campeonato nacional da I Divisão. De realçar que nesta época as duas equipas despromovidas foram o Boavista e o Vitória Guimarães, outros tempos…ou talvez estejam de volta!

1954-55 J V E D GOLOS P
1-Benfica 26 18 3  5 61-20 39
2-Belenenses 26 17 5  4 63-28 39
3-Sporting 26 15 7  4 73-27 37
4-FC Porto 26 12 6  8 51-34 30
5-Sporting Braga 26 12 5  9 52-42 29
6-Académica 26 10 5 11 53-52 25
7-CUF 26 10 5 11 45-52 25
8-Vitória Setúbal 26  8 6 12 37-52 22
9-Atlético 26  9 4 13 42-52 22
10-Lusitano Évora 26  9 3 14 40-70 21
11-Barreirense 26  7 6 13 25-38 20
12-Sporting Covilhã 26  8 4 14 32-53 20
13-Boavista 26  7 4 15 33-71 18
14-Vitória Guimarães 26  5 7 14 33-49 17
1954-55: Belenenses, 2ºlugar CASA FORA
Benfica 1-2 0-0
Sporting 2-2 2-1
FC Porto 1-0 1-0
Sporting Braga 2-3 3-2
Académica 6-2 2-2
CUF 4-1 4-2
Vitória Setúbal 1-2 1-0
Atlético 5-2 2-2
Lusitano Évora 2-0 2-1
Barreirense 3-0 0-1
Sporting Covilhã 4-0 2-1
Boavista 6-0 1-1
Vitória Guimarães 3-0 3-1
CASA FORA TOTAL
V E D GOLOS V E D GOLOS J V E D GOLOS P
9 1 3 40-14 8 4 1 23-14 26 17 5 4 63-28 39

Deixe um comentário

Ainda sem comentários.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

  • Arquivos

  • Julho 2009
    M T W T F S S
    « Jun   Ago »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031