Eintracht Braunschweig

Um clube com um nome estranho, actualmente na III Divisão alemã, já não participa no primeiro escalão desde 1984-85, contando aí com 20 presenças, venceu o seu único título importante em 1966-67, onde surpreendeu todos na Alemanha, triunfando no campeonato. O seu melhor resultado, a seguir a este título, é alcançado nas épocas de 1968-69 e 1976-77, classificando-se no 3ºlugar. Tendo, também, na época subsequinte ao título, chegado aos quartos-de-final da então Taça dos Campeões Europeus, seu melhor resultado nas competições europeias. Conta ainda com 3 presenças na Taça UEFA, onde nunca passou dos oitavos-de-final. Deixo aqui a classificação da sua época de glória:

1966-67

J

V

E

D

GOLOS

P

1-Eintracht Braunschweig

34

17

 9

 8

49-27

43

2-1860 Munique

34

17

 7

10

60-47

41

3-Borússia Dortmund

34

15

 9

10

70-41

39

4-Eintracht Frankfurt

34

15

 9

10

66-49

39

5-Kaiserslautern

34

13

12

 9

43-42

38

6-Bayern Munique

34

16

 5

13

62-47

37

7-FC Koln

34

14

 9

11

48-48

37

8-Borússia M’Gladbach

34

12

10

12

70-49

34

9-Hannover 96

34

13

 8

13

40-46

34

10-Nuremberga

34

12

10

12

43-50

34

11-Duisburgo

34

10

13

11

40-42

33

12-Estugarda

34

10

13

11

48-54

33

13-Karlsruhe

34

11

 9

14

54-62

31

14-Hamburgo

34

10

10

14

37-53

30

15-Schalke 04

34

12

 6

16

37-63

30

16-Werder Bremen

34

10

 9

15

49-56

29

17-Rot-Weiss Essen

34

 6

13

15

35-53

25

18-Fortuna Dusseldorf

34

 9

 7

18

44-66

25

 

Anúncios

Equipas portuguesas campeãs europeias de Hóquei em Patins

Apesar do nosso vasto palmarés em Hóquei em Patins (20 Europeus e 15 Mundias), numa competição iniciada em 1965-66, onde o primeiro representante português foi a CUF em 1966-67, apenas por quatro vezes fomos campeões europeus de clubes. Além de um título ganho pelo Follonica em 2005-06, equipa italiana, todos as restantes edições foram ganhas por equipas espanholas. Portugal tem clubes que já perderam demasiadas finais: o FC Porto sete vezes vice-campeão europeu e o Benfica cinco. Agora, vou recordar as quatro vitórias portuguesas. Em 1976-77, numa equipa com Livramento, Chana, Ramalhete, Sobrinho e Júlio Rendeiro, entre outros, o Sporting foi campeão europeu, com uma equipa que foi tetra-campeã nacional (1974-75 a 1977-78) Em 1985-86 e 1989-90 a equipa portista, vencedora de 8 campeonatos em 9 anos, entre os quais um pentacampeonato (1982-83 a 1986-87), seria campeã europeia, tendo no plantel jogadores como: Franklim Pais, Vítor Hugo, Vítor Bruno, Tó Neves, Carlos Realista, entre outros, seria dupla vencedora deste troféu. Em 1990-91, o Óquei Barcelos, ainda não tinha sido campeão nacional ou vencido qualquer Taça de Portugal, tinha apenas sido duas vezes vice-campeão nacional (1988-89 e 1989-90), surpreende ao ser campeão europeu, com jogadores como: Paulo Alves, Pedro Alves, Guilherme Silva, Serginho, Pires, entre outros. Venceria o seu primeiro título nacional em 1992-93, ganhando tudo nessa época: campeonato, taça, supertaça e Taça das Taças. Deixo aqui a caminhada até à final dessas diversas épocas de glória para o hóquei português:

ÉPOCA

CLUBE

FASE ATINGIDA

ADVERSÁRIO

RESULTADO

1976-77

Sporting

Quartos-de-final

Montreux (Suíça)

18-1/11-3*

 

 

Meias-finais

Voltregá (Espanha)

2-5*/8-3

 

 

FINAL

Villaneuva (Espanha)

6-0/6-3*

1985-86

FC Porto

1ªeliminatória

Residentie (Holanda)

10-6*/4-5

 

 

Meias-finais

Barcelona (Espanha)

5-5*/6-3

 

 

FINAL

Novara (Itália)

5-3/7-5*

1989-90

FC Porto

Pré-eliminatória

Roller Monza (Itália)

3-4*/3-2

 

 

1ªeliminatória

Walsum (RFA)

4-1/6-0*

 

 

Meias-finais

Igualada (Espanha)

8-4*/4-2

 

 

FINAL

Noia (Espanha)

6-0/5-2*

1990-91

Óquei Barcelos

Pré-eliminatória

Walsum (Alemanha)

13-2*/16-4

 

 

1ªeliminatória

FC Porto (Portugal)

4-4/5-4*

 

 

Meias-finais

La Roche (França)

22-3*/22-0

 

 

FINAL

Roller Monza (Itália)

4-4/4-3 a.p.*

*jogos efectuados no pavilhão adversário

 

Segunda intromissão no pódio entre os 3 grandes: 1939-40,Belenenses 3ºclassificado

Um Belenenses, grande na altura, volta a intrometer-se entre os 3 grandes, ficando no 3ºlugar, consignando o Benfica a um 4ºlugar, um facto que aconteceu apenas por mais 3 vezes, além do 6ºlugar de 2000-01. Uma equipa que tinha em Mariano Amaro, Artur Quaresma e os três argentinos: Óscar Tárrio, Horácio Tellechea, Alejandro Scopelli como as suas grandes figuras. Tendo ficado muito longe para ambicionar o título, o destaque desta época vai para a presença na final da Taça de Portugal, onde foi derrotado pelo Benfica (1-3). Estava em gestação a equipa que em 1945-46 seria campeã nacional. Aqui fica essa época:

1939-40

 J

 V

E

 D

GOLOS

 P

1-FC Porto

18

17

 1

76-21

34

2-Sporting

18

15

2

 1

87-23

32

3-Belenenses

18

11

3

 4

58-21

25

4-Benfica

18

11

1

 6

58-34

23

5-Barreirense

18

 8

3

 7

27-39

19

6-Académica

18

 7

3

 8

42-54

17

7-Carcavelinhos

18

 4

2

12

26-49

10

8-Académico Porto

18

 3

2

13

24-53

 8

9-Leixões

18

 1

5

12

26-70

 7

10-Vitória Setúbal

18

 1

3

14

 7-67

 5

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1939-40: Belenenses 3ºlugar

CASA

FORA

 

FC Porto

0-1

2-3

 

Sporting

0-0

1-4

 

Benfica

2-0

2-4

 

Barreirense

6-0

2-2

 

Académica

5-0

2-2

 

Carcavelinhos

1-0

5-1

 

Académico Porto

6-1

3-2

 

Leixões

9-0

3-1

 

Vitória Setúbal

8-0

1-0

 

CASA

FORA

TOTAL

V

E

D

GOLOS

V

E

D

GOLOS

J

V

E

D

GOLOS

P

7

1

1

37-2

4

2

3

21-19

18

11

3

4

58-21

25

 

 

 

 

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑